Google Translate

terça-feira, 9 de outubro de 2018

Desejo enluarado


Como possuí-la? Teu amor é um pássaro de ouro, cujo imenso valor eu não alcanço. Meu coração deseja profundamente possuir o teu; no entanto, tu o me negas, através de segredos que ocultas no interior de tua alma de mulher.

Será que não compreendes que eu gostaria de habitar o paraíso afrodisíaco da tua pele, e ser embriagado, dia após dia, com o vinho dos teus dionisíacos beijos?

Como eu queria tornar o teu corpo desnudo um templo da lascívia sagrada e, ainda, mergulhar no mar de cores vertiginosas dos teus abraços! Meu espírito anseia unir-se ao teu num conluio nunca antes visto, onde os meus desejos seriam os teus, assim como os teus fetiches seriam os meus. Ah, querida, por que tu me negas o licor divino que escorre de tua flor rosácea, sob a proteção de guardiões labiais?

Tu, e tão somente tu, possuis o mesmo nome que o astro noturno tem: o bendito nome de Luna. 

E eu, desde que te conheci, me perdi em teus encantamentos de beleza lunar, e agora vago pelo mundo, como um dia o próprio Dionísio vagou, insano, totalmente privado do seu juízo. Sim, oh, amada, eis que hoje, sou um LUNÁTICO que percorre os quatro cantos do planeta, atrás de ti e do teu amor salvador. E quando eu te encontrar, te pedirei que, assim como Cibele curou a Dionísio, tu me cures de minha loucura.

Como um lobo solitário, eu uivo é na tua direção, não quero andar em meio a uma alcateia, pois, eu apenas preciso de tua companhia. Quem sabe um dia tu me contes o que te impede a entrega ao meu amor invencível.  Sinto que uma “força maior” não te deixa contar qual seria este tal impedimento.  Mesmo flechado pela dor da tua rejeição, devo respeitar a sacralidade deste teu segredo.  

A noite já se aproxima de mim e de todos os seres viventes. Selene, com sua carruagem prateada, e conduzida por dois bois brancos, presentes de Pan, vai começar a cruzar os céus, levando consigo a branca lua, e quando os meus olhos, em êxtase,  se entregarem, fascinados, a este espetáculo mítico, é de ti, dulcíssima Luna, que me lembrarei.  

-ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS.

Leitura crítica e revisão textual realizada por Natanael Gomes de Alencar.

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

Luiza

Onde moram os teus sonhos de conteúdo mais profundo? Neste momento qual é aquele lugar onde estão postos os teus pés? Tu ainda insistes em ser um doce enigma para mim. E eu só queria saber qual é o segredo para conquistar o teu coração!

Eu sei que te faço muitas perguntas, mas minha natureza ariana é ansiosa; ter nascido sobre a regência de Marte não me é fácil. Os arianos não vieram para serem comandados e sim para tornarem-se Senhores do mundo.

Estou cansado de carregar sob as minhas costas o fardo pesado da tua ausência, como me é duro suportá-la, nestes dias onde a solidão continua sendo o mal do século. Ter a tua companhia me fortalece, nestes tempos onde, em cada esquina, um guerrilheiro marxista ameaça, tendo um lança-chamas em suas mãos, colocar fogo no corpo em quem ainda acredita no verde e amarelo da pátria gentil.

Ultimamente o meu sonho é morar no resort dos teus quentes braços, singrar nas ondas marítimas dos teus orgasmos, ver-me refletido no espelho límpido do teu sorriso, ser levado por ti até as alturas do amor abissal, voando sob o bater das tuas asas de Ícaro.

Apenas temo perder-me no labirinto do teu corpo nu transpirado, e, por não conseguir decifrá-lo, chegar a ser devorado vivo pelo Minotauro do teu horripilante abandono! Sem ti, sou como João, que foi exilado na ilha de Patmos, tendo visões de um terrível apocalipse, protegido por selos inquebráveis. Sem o ardor do teu beijo mais apaixonado, me assemelho a Ulisses que, em noites frias em sua tenda, sentiu a falta de sua belíssima Penélope, nos dez anos que ficou longe dela, por ter ido participar da lendária guerra de Troia.

Não me negues o bálsamo do teu amor escandinavo, e quando as minhas mãos baterem à porta de tua alma, eu te peço que a abra com pressa, porque anseio tomar contigo, em tua aconchegante alcova, o vinho doce de tua paixão deverasmente ninfomaníaca. A meus ouvidos, anseio que cheguem os teus sussurros açucaradamente vermelhos, feitos de palavras tão lascivas, como que saídas da boca de uma profana sereia.

Sei que, semelhantemente a mim, tu também és poeta, pois eu já li e me perdi em meio ao vendaval dos teus tempestivos poemas, percebi que escreves com o teu peito a queimar sobre as chamas de uma violenta paixão simplesmente báquica.

Preciso o quanto antes atracar no porto seguro do teu endereço, fixar assim a minha morada junto a ti, senhora que és de todo o meu querer. Espero aflitivamente derramar-me, feito água fluídica, aos teus pés, com o intuito de pertencer-te pelo correr interminável deste “caudaloso” e imenso rio, chamado ETERNIDADE.

- ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS.

     Revisão ortográfica e leitura crítica, realizadas por Natanael Gomes de Alencar. 

segunda-feira, 11 de junho de 2018

A Tenda-Vermelha


Tu és aquela que cobre o teu rosto com o véu do sublime mistério uterino! É do meio das tuas pernas que a vida brota em rios e córregos menstruais. O rio vermelho da existência humana. És a matriarca da grande tribo dos homo sapiens.

De dentro da Tenda Vermelha ecoam as vozes em louvor do Sagrado-Feminino, levantam-se as mãos que curam, é em seu interior que lábios femininos se abrem para contar as velhas histórias, assim como entoar hinos de louvor a Grande Mãe Inanna. Dentro da Tenda Vermelha se realiza o grande mistério onde as meninas em primeira menstruação deitam o sangue à terra, devolvendo-o ao sagrado útero da Antiga -Senhora, pedindo a Ela que lhes retribua, fazendo que os frutos do seu sustento nasçam em meio ao chão.

Dos teus fartos seios jorram o leite que sustenta o recém-nascido, e em teus fortes e ternos braços é que as crianças dormem em pleno conforto. Com tuas mãos de curandeira, cultivas as ervas que curam teus semelhantes dos seus males físicos, e com teus feitiços e poções de bruxa-sagrada trazes consolo, conforto e paz à alma dos homens.

Quando, com o athame, traças o círculo mágico no ar, e com isto recortas um espaço para teus rituais sacrossantos, os Antigos Deuses e Deusas se aproximam de ti para revelar-lhe o seu poder. Ali neste espaço místico, as divindades do sol e da lua se manifestam com o intuito de falar-te ao coração de mulher.

Com tua sabedoria matriarcal, desenvolveste a arte de realizar um parto e, por consequência disto, trouxeste ao mundo tanta gente que até já perdeste a conta. É apenas em tua direção que acorrem a mulher grávida, o ancião enfermo e o jovem varão que se vê abandonado pelas suas forças. Não tenho dúvidas alguma que és a tecelã do destino de todos os seres humanos.

Muitos não sabem deste pequeno segredo que agora vou comentar e que me revelaste: dentro da Tenda-Vermelha, as quatro esposas e a única filha do patriarca Jacó cultuavam a Antiga e Grande Mãe, sob o seu aspecto de Inanna e isto em total e completo sigilo.

A Deusa se levanta em meio aos lugares mais improváveis e se revela sempre através dos corações das mulheres de infinda sabedoria.

Onde está levantada e fixada a Tenda Vermelha, ali se faz presente o espírito vívido da Deusa Tríplice: Donzela-Mãe-Anciã em toda a sua glória e esplendor!!!

-ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS.
                              
Leitura crítica e revisão textual realizada por Natanael Gomes de Alencar.



terça-feira, 22 de maio de 2018

O destruidor de mundos

Vem para perto de mim, contenta-me com tua presença lunar, eu sei que tu moras a um passo da suprema tentação.  Quero beber da tua água, apenas ela traz o refrigério da vida. Do jarro do teu útero esta jorra em grande profusão. Meu coração compreende que moram dentro de ti o dragão vermelho e a pomba branca.

Não, não temas, eu não sou o destruidor de mundos, os meus dedos jamais apertaram o botão que fez subir aos céus de Hiroshima e Nagasaki, o mais infame cogumelo luminoso da morte! Acredita-me, naquele dia tenebroso, foi outro que acabou escolhido para ser o anjo do apocalipse.  Em suma, saiba que as minhas mãos estão tão limpas como a alma pura de um recém-nascido.

Os meus amores acabei perdendo-os no meio do caminho da existência, sim, minha intransigência e autoritarismo me fizeram perder quem se destinava a passar o resto da sua vida ao meu lado. Mas tua visão me reacende a esperança. Estes que enxergas são tão somente anjos revestidos de sua divina invisibilidade, que me guardam os caminhos. Baby, há muitas histórias para lhe contar, a partir de minhas origens: o outro lado do paraíso.

Aqui, muita mentira vem impressa em rostos nas latinhas de Coca-Cola, são as faces de falsos ídolos que possuem pés de barro. Finalmente, o capitalismo selvagem conseguiu transformar a verdade em “refrigerantes gaseificados!”. Oh, menina bonita, o que eu estou fazendo acorrentado dentro do seio desta Matrix? Onde estará “o prometido”para nos salvar dos tentáculos desta sociedade entrópica, que despeja sinais de uma utopia destrutiva, inimaginável até aos grandes criadores? Tu ainda duvidas que a inteligência artificial vá dominar o mundo? Desta vez, as peças que comporão o novo “Big Brow” Hitler virão do Vale do Silício.

Ontem, premiaram, num programa de TV, a voz do inexistente Mickey Mouse! Acredita-me, meu amor, perverteram a genuína arte com um único objetivo: o de fazer com que as pessoas vivam banhadas, até o pescoço, no excremento fecal da sua própria ignorância. Os maus inventaram uma pseudoarte para distorcer o que é realmente belo, introduzindo-nos em um reino de puríssima feiura.

Atualmente, aqui, a política partidária só serve para partir o coração de gente honesta, o horário político está para chegar, e com ele virão os sacerdotes de um deus chamado escárnio. Tais homens comprarão o nosso voto e junto com ele terão a aquisição do seu sangue sagrado.  Estas almas pérfidas não têm compaixão da viúva ou do órfão. Na política governamental deles não há espaço para a utopia de um mundo melhor. Quem sabe se entrarmos num desses fundamentalismos que pululam por aí, minha querida, possamos nos ocultar e viver nosso “Ser-Um” em paz, sendo aceitos por esses bisonhos vampiros, especialistas amaldiçoados em simulação moral. Mas o preço aposto em nossa consciência, com esse ato, talvez não compense. Baby, contemplemo-nos. Pode ser que abramos um portal na pupila um do outro, de tanto olharmo-nos, e juntemo-nos numa só dimensão chamada “NÓS”.

O planeta Terra está aos poucos se tornando um lugar onde dizer a verdade (sempre vista de um modo ou de outro conforme o observador), e viver segundo ela passa a ser um perigo, e perigo de morte. A mentira se tornou uma pseudodeusa-mãe que, aos pouquinhos, está engolindo a todos para dentro de seu não - útero fétido, onde nasce a hipocrisia.

Vê, doce senhorita, os generais vermelhos de hoje ressuscitaram as fogueiras inquisitórias, e dentro delas jogarão novamente escritores, bruxas e curandeiros, e nós até sabemos por que: estas sempre foram as primeiras vozes a ser caladas por todos os sistemas ditatoriais que já existiram!

Mas, saiamos daqui, aqui não é lugar pra “Nós”. Vem comigo, meu inestimável amor, acho que te envolvi em demasiado amargor, direcionemo-nos ao nosso apartamento. Quem sabe lá, descubramos “aquela” banda de rock, uma que seja verdadeiramente boa (para nós dois, baby, pois jamais imporia meu gosto a ti). Pode ser que a encontremos em um seriado qualquer da Netflix.

Mas está tão frio. Tem pena de mim. Gruda teu corpo um pouco mais, só um pouquinho mais, e sigamos. O paraíso é logo ali....

-ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS