Google Translate

0

Suor, paixão e orgasmos carmins

sexta-feira, 18 de agosto de 2017.
Diga-me qual é o teu segredo, baby, para poder me explicar isto que sinto apenas por ti, onde estão os sinais de que há salvação para mim? Não consigo me dirigir para uma direção oposta a tua, o cheiro do teu perfume de morangos silvestres me alucina e sempre me faz correr para o céu dos teus braços.

Quando estou a sós contigo eu somente penso em tirar a tua roupa, pois, despi-la é a minha melhor diversão. Tua nudez me conduz a paraísos nunca antes explorados pela alma humana, oh, querida, por um acaso tu és uma das filhas de Afrodite? De uma coisa eu sei de que nunca me canso, falo de beijar a tua boca, de inundá-la com os dilúvios dos meus beijos, de sentir a textura macia e quente da tua língua de deusa felina.

Correr com as minhas mãos pelas curvas sedutoras do teu corpo chega a atear em meu peito, a chama de um desejo que possui em si, a força de mil tormentas. Ah, baby, me leve a sério, quando estou no volante e meus pensamentos se perdem em ti, corro o risco de acidentalmente sair da estrada e como quem desperta de um êxtase místico, perguntar depois a mim mesmo que tipo de bruxa és tu, para me deixar neste estado, mergulhado na mais plena paixão.

Quando eu divido contigo a maciez do meu leito, gosto de me afogar no mar libidinoso do teu suor, me satisfaço sem igual, ao sentir o teu odor de fêmea tarada, aquela que perde o controle, ao ser excitada pelas minhas carícias sensuais.  Meus gemidos de prazer se misturam com os teus, e as palavras que escapolem das nossas bocas sem que percebamos, não possuem nexo algum, uma coisa é certa, minha querida, nos momentos em que fazemos amor, a única lógica que existe, é a da nossa LOUCURA libidinosa!

Amo colocar fogo no teu sexo de anjo caído, deixar as chamas dos nossos deleites insanos devorarem a tua relva púbica, incendiando-a completamente. Delicio-me também ao contemplar com os meus olhos, o fluir do rio de prazeres que desce da tua gruta de cavidade funda e estreita.  Enlouqueço-te mil vezes ao penetrar-te ali com os meus dedos, fazendo-a assim, chorar, tamanha é a delícia que em tal circunstância chegas a sentirdes.  

Levada por sensações que apenas uma ninfa do amor erótico poderia sentir, arranhas as minhas costas com tuas unhas vermelhas e afiadas, gritando desvairadamente diante o céu rubro do nosso enlouquecimento orgástico.  Não há palavras que eu consiga usar para descrever o delírio que sinto ao ver-te deste jeito, totalmente entregue em minhas mãos de homem com alma de sátiro.

Urro com a minha voz de trovão, quando ao penetrar-te com a fúria do meu falo em riste e após, estocar-te várias vezes com ele, eu chego a derramar sobre o solo sagrado e fértil do teu útero, as águas brancas e cristalinas do meu ORGASMO mais DIONISÍACO.


- ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS. 
Comente aqui...
0

Heloísa.

quarta-feira, 9 de agosto de 2017.
Eu sei que cometi erros hediondos contigo, te pedi para ires além dos limites, até mesmo quis te convencer a ultrapassar os limites da decência.  Lembro-me que não fui forte o bastante para enfrentar o “Senhor da Tempestade”, quando este se colocou entre nós dois, me arrependo de ter sido tão covarde, ali com certeza comecei a perder-te.

Conheci tua doçura, como nenhum outro chegou a conhecer, digo-te que ela tornou os meus dias muito mais felizes e com isto, meu coração ficou verdadeiramente apaixonado! Tua delicada voz, quando chegava aos meus ouvidos, provocava uma carícia intensa na minh’alma, o som do teu sorriso era capaz de criar um paraíso de delícias românticas dentro do meu peito, ah, eu jamais me esquecerei do teu humor de doce anjo libidinoso!

Digo tal coisa, porque acabaste com toda dúvida que eu tinha sobre a existência ou não dos anjos, afinal, o que seria esta mulher que tu és a não ser um espírito angélico encarnado? As minhas horas eram extremamente luminosas quando eu andava debaixo das tuas asas brancas, sendo tocado por um amor que em sua natureza era único.

Recordo-me das nossas noites de tórrida paixão, regadas pelo mais delicioso vinho, lembra-te que nestes momentos dulcíssimos nós tínhamos em nosso meio a presença divina de Dionísio? Eis que ele abençoava o nosso amor com sua alegria e com a força do seu êxtase divinal. Naquelas noites, o filho de Zeus e de Semele fazia de mim o teu indomável sátiro e fazias de ti a minha apreciável bacante.

Abriste-me, centímetro a centímetro, as portas do teu coração, contando-me a triste história da tua vida, de como foste traída no passado por aquele que um dia te desposou, pois, este, que era uma fera bestial de egocentrismo e violência, foi capaz de macular o leito matrimonial de ambos, se envolvendo sensualmente com as filhas lascivas do adultério.  Uma vez apartada dele, tentaste dar continuidade a tua vida, mas, nunca aceitando de verdade a separação conjugal que lhe foi imposta, após ser desmascarado por ti, em meio ao emaranhado das suas traições, eis que tal fera em forma de homem até hoje continua a te perseguir e a te torturar a mente e espírito de mulher.

Ah, minha flor encantada, com os olhos da minha anima, pude ser testemunha de toda esta perseguição e sofrimento que te foram impostos. Como já te reconheci, eu, na época, não tive a coragem suficiente de enfrentar ao teu lado toda esta situação difícil, e aí é que mora todo o meu amargo arrependimento.  Por longos períodos, a vida nos afastava, e, em outros mais curtos, nos reaproximava novamente, e eu não aproveitei estas oportunidades de reaproximação para te reconquistar definitivamente, oh, amantíssima, como fui tolo ao agir desta forma.

Da última vez que eu conversei contigo, tu me dissestes para a minha infelicidade que estavas conhecendo a outro homem, foi desesperador ouvir isto de ti, não conseguia acreditar ou conceber que poderias me substituir em tua existência por outro alguém.  Como a minha mente, apaixonada e completamente obcecada por ti, conseguiria imaginar-te sendo enlaçada pelos braços e juntada ao corpo de um homem que não fosse eu? E ainda, como aceitar-te fazendo planos de vida, sem espaço vital para mim?

Depois daquela nossa tão difícil conversa, nunca mais soube nada de ti, afinal, sumiste da minha vida qual fumaça levada pelo vento. Atualmente, eu sou apenas uma mescla de dor e saudade, de angústia e medo de nunca mais ter a oportunidade de reparar os meus erros junto a ti, e, com isto, conseguir atrair-te novamente ao porto seguro do meu ser. Agora, eu rezo aos meus deuses pagãos tão somente para que tu chegues a ler estas linhas e, de alguma forma, internamente, consigas me perdoar e me dar uma segunda e derradeira chance para que eu repare os meus pecados, e, desta forma, tenha a graça de conseguir fazer-te plenamente feliz.

Para obter forças como que viva dignamente sem a tua presença, eu preciso mais do que nunca acreditar no poder do amor, acreditar que este poder pode um dia me redimir de forma absoluta, fazendo com que tu, oh meu acalentador anjo, rufles as asas do coração e me chame outra vez, de “TUA DOCE E ÚNICA PAIXÃO”!

- ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS.

Análise critica e revisão textual de Natanael Gomes de Alencar.
Comente aqui...
1

Amor orgástico

terça-feira, 8 de agosto de 2017.
Esfregue-se em mim e impregne cada centímetro da pele do meu corpo com o cheiro do teu, me lambuze com o teu suor de fêmea enlouquecida, de mulher que perdeu totalmente a razão pela força do desejo.  Deixe-me sentir junto ao meu rosto o odor delicioso do teu hálito, com isto feito, eu sei que terei todos os meus pelos eriçados, com certeza serei absolutamente dominado pela mesma vontade escarlate que te possui.

Passe as tuas delicadas mãos sobre todos os vãos e músculos deste meu corpo desnudado, excite-o com o teu tato de ninfa dionisíaca, faça-o se sentir levado ao jardim de delícias extasiantes de Afrodite.  Quero-te como minha mulher, a esposa eterna da minh’alma, aquela que sempre me seduz com sua dança egípcia de deleites sensuais.

Também anseio em tocar-te com as mãos da minha luxúria de doce sátiro, eu tenho sede em beber desta tua transpiração que escorre abundantemente por toda tua pele. Hei de passar a minha língua por todas as sinuosas curvas e secretos corredores desta tua nudez morena, regarei o fundo da minha garganta seca com as tuas águas salgadas de sereia profana.

Do mesmo modo que fizestes comigo eu te deixarei toda arrepiada, e, te levarei a visitar os meus palácios de prazeres suntuosos. Não perdoarei principalmente a tua boca, visto que a encherei com os mares dos meus beijos rosados, nesta circunstância, nossos lábios se uniram de tal modo que deixarão as nossas almas em chamas.

Eu te peço encarecidamente que imprima as tuas digitais em mim, tornando-me com este feito, o teu objeto de louco desejo, se autoproclamando assim, como minha exclusiva dona. Querida, eu não quero outro lar a não ser aquele que existe dentro do oásis dos teus abraços.

Tal qual um shadowhunter, eu desenharei em mim com a ponta de cristal de uma estela, uma runa que tenha o poder de me prender a ti para todo o sempre. Eis que tenho uma só vontade, oh, minha paixão primaveril, de habitar contigo na mansão dos cupidos do amor infindo.

Quando faço amor contigo em cima do leito dos nossos prazeres afroditianos, me deixo esvair em gemidos obscenos e em palavras tão picantes, que estas ousam afrontar o pouco de pudor que nestes momentos ainda nos resta.  Apenas em tuas carícias de sacerdotisa lunar, é que eu encontro paz para o meu espírito conturbado.


É atravessando os portais dos teus dulcíssimos orgasmos, que sou transportado à ilha dos êxtases sensuais da divina Circe. 

- ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS.
Comente aqui...
0

Céu de prazeres rubros

quarta-feira, 2 de agosto de 2017.
Apenas tu consegues me colocar nesta posição, onde me sinto totalmente exposto, em um estado em que as minhas defesas psíquicas e emocionais são jogadas ao chão.  Nenhuma outra mulher tem este pleno domínio sobre mim, não há dúvidas que a química que o meu corpo possui com o teu é dinamite pura!

Dinamite que tem em si um explosivo do mais puro prazer, este capaz de deitar por terra todas as pedras da insegurança que bloqueiam a força impulsionadora da minha entrega total para ti! Então, quando me vejo livre, meus sentidos me conduzem com facilidade as vias prazerosas dos teus quentes braços.

É-me delicioso te colocar sentada sob o meu colo de frente para mim, sentir-te mexer as fartas ancas em um movimento circular que quase me leva à beira da mais completa loucura, fazendo o meu sexo criar vida, conduzindo-o a ganhar aos poucos tamanho e volume tais, que, me levarão a entrar contigo na dança lilithidiana do prazer.

Enquanto brincas divertidamente com tuas firmes nádegas sob o volume intumescido da minha lança fálica, tu beijas a minha boca com o furor dos teus carnudos lábios de Afrodite tupiniquim, neste momento, consigo contemplar a face gloriosa de Dionísio em transbordante êxtase divino.  Quem como tu, oh, meu doce amor? Quem como tu? Quem a não ser esta mulher como tu; capaz de sempre levar-me a um céu de sensações orgiásticas de cores assoberbamente rubras?

Quando bebo da taça dos teus feitiços de uma Circe amante, eis que me vejo como um novo Ulisses, preso na ilha dos teus desejos flamejantes. Ah, meu dulcíssimo paraíso de infindos deleites, que mistério sublime é este que tu manifestas em meu corpo desnudo, materializando nele sentimentos profundos de delícias inenarráveis?

Este mesmo corpo que se encaixa tão perfeitamente ao teu, que se entrelaça tão precisamente a sedosa malícia dele, absorvendo seu cheiro de sereia atlante, bebendo dos teus suores de sacerdotisa da lua, estes teus encantamentos me fazem lembrar Simone de Beauvoir se desvairando nos braços transpirados dos seus amantes desvairados.

Penetrando-te com o furor de um sátiro embriagado pelo vinho da inefável lascívia, derramo no âmago da cidadela do teu útero, a tempestade de um ORGASMO deliciante.

ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS
Comente aqui...
TEXTOS E CRÔNICAS DO ANJO DAS LETRAS. © Copyright 2007 - 2017 | Design By Gothic Darkness | Editado por Lizza Bathory