sexta-feira, 26 de outubro de 2007

Anjo caído

        Eu te conheço desde quando eras ainda somente uma criança. Lembra-te das vezes que te peguei no colo?Teu sorriso era transparente como a de um anjo e recordo-me como se fosse hoje, quando te levavas no ombro para no parque poderes brincar, ao fazer isso, era como se eu levasse o meu próprio mundo de satisfação pessoal junto a mim.
         
          Eras meu meigo anjo e sentia como se eu fosse uma criança que voava sob suas asas que eram singelas e ao mesmo tempo tão reluzentes. Eu um dia com os meus olhos pude assistir que subias no brinquedo mais alto, e quando presenciei isso pela primeira vez, fiquei estupefato. Mas notei surpreso que não tinhas medo, e lá no topo do teu brinquedo, te mostravas como um pequeno príncipe tão cheio e seguro de si.
        
         E ao final descias dele pelo escorregador todo sorridente com aquele seu ar de vencedor, e tudo ficava bem no final.
        
         Então eu compreendi que os anjos não têm medo de nada, eles parecem que não podem sangrar, ou será que estes têm outra maneira diferente de se ferir?
        
         Hoje crescestes, e te tornastes um lindo adolescente, estás quase da minha altura, deste modo não posso mais levar-te em meu colo, naquele parque nunca mais voltamos juntos para que pudéssemos nele nos divertir.
        
         Não sei como foi que isso aconteceu, pois, enquanto crescias sem que eu atentasse para isso, aos poucos da tua infância te despojavas, e tu dizia adeus aquele teu sorriso sincero de anjo, e desta forma nem percebia que gradativamente te perdias de mim.
        
         Não tinha mais tempo para te dar, acabei gastando-o com coisas menos importantes, e deste modo, nem tinha notado que alguém havia te sequestrado da minha vida.
        
         Até que um dia da minha profunda dormência irresponsável fui despertado, e descobri que por piratas sem direção foste levado. E agora em meio ao sentimento de minha desesperada dor, é que serei obrigado a pagar o alto preço do teu resgate.
        
         Resolvi me vestir de saco e jogar cinzas sob a minha cabeça como também fazer um jejum que oferecerei aos céus em tua intercessão, agindo desse jeito, espero arrancar a tua alma do poder dos nossos inimigos, estes que com suas artimanhas te desvirtuaram, fazendo-te seguir o caminho iníquo e amargo do vício.
        
         Saiba meu doce menino, que quando eu conseguir resgatá-lo trazendo-o novamente ao convívio da nossa família, eu voltarei a ser aquela pessoa dedicada ao teu bem estar, e retomaremos o nosso relacionamento tal como ele era antes, e tudo será renovado.
        
         A Virgem Maria esta manhã esteve conosco, com rosas perfumadas abençoou a minha criança, me garantiu que tudo agora ficará bem novamente, pois, aqueles que a amam com devoção, a graça de sua proteção em suas vidas sempre hão de usufruir.
        
         Ela me aconselhou com sua doce palavra, para que com meu menino a minha atenção e entrega nunca faltasse novamente, pois seu filho Jesus o havia me confiado; para guardá-lo e protegê-lo com a força do amor que havia em minha alma.
        
         Hoje tive um sonho embevecedor, sonhei que levava para aquele mesmo parque em que outrora ia com meu menino, agora os seus filhos, e já sendo um ancião revia a sua pureza inocente em suas faces angelicais, e pelo presente que me eram, assim como ele próprio ainda é e sempre será, dirigi ao céu um olhar doce, emocionado e muito agradecido.

- ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS

“As Drogas me fizeram voar, mas me tiraram o céu”.
(Desconhecido).

Nenhum comentário: