Google Translate

Eu busco o que é belo

quarta-feira, 28 de novembro de 2007.
        Eu não sou um poeta, apenas busco o que é belo. Persigo a beleza desenfreadamente, esteja ela onde estiver. Se o copo está se enchendo eu pouco me importo, quero que ele então transborde.
Eu não me satisfaço com pouco, sempre quero o muito!Só a beleza pode nos afastar dessa mediocridade toda.Eu quero o doce mel da poesia de Rimbaud destilada em minhas veias, e ver a rebeldia deste jovem poeta no coração de cada adolescente que passar por mim nas ruas, e que como Rimbaud, eles possam transformar toda a sua inquietação e inconformismo, em lindo ato de um belo versejar.

       Eu quero a pintura de Leonardo Da Vinci pintada no muro das escolas, e contemplar o sorriso da Monaliza intrigando o coração infanto-juvenil dos estudantes, e que o seu sorriso misterioso os ensine a sorrir sempre, até mesmo em meio as confusões deste mundo caótico e por vezes tão cruel em que vivem. Eu quero ouvir a quinta sinfonia de Beethoven ser executada em uma linda tarde primaveril nos coretos das praças, e que ao ouvi-la as crianças possam se comover francamente, e voar alegremente como o fazem as borboletas, e que os adultos tocados por essa linda sinfonia, se tornem semelhantes a elas, que são pequeninos anjos de alma poética.

        Eu quero ler impresso na primeira página dos jornais do mundo inteiro, o texto da poesia religiosa de São Francisco de Assis intitulada “Cântico do Irmão Sol”! E sendo assim, todos os homens da terra possam se conscientizar que se na idade média um humilde frade já cantava a natureza chamando-a de irmã, o que devemos fazer nós homens do século vinte e um, que a cada dia a matamos um pouco mais, com nossas chaminés de fumaça negra e poluente, que como bocas de dragões encimam nossas fábricas e indústrias?

        Eu quero que o teatro de Willian Shakespeare seja encenado em cada esquina das ruas da cidade deste país, e que os jovens possam conhecendo a história de Romeu e Julieta, aprender como o ódio dos mais velhos pode destruir seu sonho de viverem em um mundo de amor, e como uma simples estória romântica pode mudar o mundo.

        Eu desejo embriagar-me deste doce vinho, eu quero-o enchendo a taça até a boca. Sim nesta semana ainda eu ouvirei o som da Legião Urbana, eu quero dançar punk-rock ouvindo as guitarras estridentes do Nirvana. Anseio mais uma vez ser tocado pelas verdades tão belas ditas na musica pop de John Lennon, e sentir toda a dor angustiante de Janis Joplin no seu blues-catalizador-das-dores-humanas.
Quero ver nos cinemas de toda esta região em que moro, os filmes de Charles Chaplin em cartaz.

        Eu quero beijar a “Engraçadinha” de Nelson Rodrigues com todos os seus “pecados, dos doze aos dezoito”, e de me casar com engraçadinha depois que ela fizer trinta***. Eu gostaria de ter me encontrado em um simples passeio de ônibus com a “Dama da lotação”, provinda da mente do “Anjo pornográfico” ***. Eu quero encontrar nas mãos de toda a gente os livros escritos por Leon Tostói, Érico Veríssimo, Monteiro Lobato, Carlos Drummond de Andrade, Florbella Espanca, J.K.Rowling, Julio Verne, Oscar Wilde e Paul Verlaine, e tantos outros anjos das letras que ao morarem neste mundo sombrio o encheram de vida, poesia e, sobretudo beleza. Eu não sou um poeta, só procuro o que é belo, que me venha a beleza logo então, e não vejo outra maneira de poder vê-la, se não, através da arte de homens e mulheres que pululam todo esse nosso planeta .

- ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS

*** Engraçadinha — seus amores e seus pecados dos doze aos dezoito" e "Engraçadinha — depois dos trinta". Estes são títulos de dois dos livros famosíssimos do escritor e teatrólogo Nelson Rodrigues, publicados de agosto de 1959 a fevereiro de 1960.

*** Anjo pornográfico — é um dos nomes pelos quais, Nelson Rodrigues é conhecido no mundo literário. “A dama da lotação” é um conto também muito famoso criado por Nelson, que também ficou conhecido como a “flor de obsessão”.                           

1 Comentário:

Lou Albergaria disse...

Acabou de encontrar: Eu.

Beijocas,

Lou/Loba/Lu Albergaria

TEXTOS E CRÔNICAS DO ANJO DAS LETRAS. © Copyright 2007 - 2017 | Design By Gothic Darkness | Editado por Lizza Bathory