Google Translate

Tu és semelhante ao astro-rei de luz e fogo escaldante

segunda-feira, 12 de novembro de 2007.
        Dante amou Beatriz desde quando ela era muito jovem, e quando a perdeu seu coração fragmentou-se por tanta dor sentida. Não aceitando a entrada de sua amada na mansão dos mortos, escreveu a divina comédia, onde atravessou acompanhado por Virgílio o poeta antigo, os círculos do inferno, e despediu-se dele na alta montanha do purgatório até encontrar-se com sua Beatriz no céu bendito.
           
        Se o poeta florentino fez a sua descida aos infernos, e se ao monte do purgatório de forma determinada subiu, e ao céu foi admitido para que pudesses estar com a sua musa, a querida Beatriz, que farei eu meu amor, se de mim te distanciares por demasiado tempo?Pois te digo, que por menos eu não deixarei, e onde te encontrares a ti hei de acorrer igualmente, e só terei descanso quando em meus braços estiveres de volta, oh, minha doce amada.
           
        Olhai o verde do campo, perceba como os lírios e os malmequeres salpicam com seu branco o chão, contrastando com a relva verdejante que nos convida para que sobre ela nos deitemos com o intuito de que façamos amor. E em meio a mil beijos apaixonantes, decidamos que a partir de agora não mais ficaremos separados, e com isso, juntos nós seguiremos avante, pois juremos sobre essa campina esmeraldina, amor fiel, duradouro e continuo.
           
        Romeu apaixonou-se por Julieta, sem saber, entretanto que o seu coração a filha dileta da família que lhe era inimiga havia sem querer entregado. Quando pela primeira vez a viu, o mundo de Romeu ficou de cabeça para baixo, pois naquela moça bela e romântica, ele pôde contemplar a mulher que encheria seus dias e as suas noites de momentos de alegria e de um prazer que, nem a imaginação dos anjos poderia conceber. Se Romeu encantou-se com Julieta, imagines se eu não haveria de encantar-me perdidamente por ti minha rosa, que és infinitamente mais linda e sublime que a filha dos Capuletos.
          
        Júlio César jamais pôde se esquecer, quando diante dos seus olhos o véu da ignorância sobre a verdadeira beleza foi descerrado. E a face de uma deusa egípcia ele conseguiu contemplar, e do alto do seu trono imperial se sentiu seduzido, ah, até então o imperador romano em termos de sentimentos nunca experimentara algo como aquilo. Quem era aquela tal de Cleópatra afinal de contas?Como poderia no mundo existir uma mulher com aquele magnetismo sexual avassalador?É que César a ti não conheceu minha querida, de tal dádiva ele não foi merecedor, pois perto do que tu és, a sua Cleópatra seria como a lua que, teria o seu brilho prateado ofuscado diante a luz radiante de tua formosura inquestionável.

        Troia por causa de sua bela Helena, aos pés dos gregos soçobrou, da antiga Grécia foi ela sequestrada pelo infeliz Páris, e desta história uma terrível guerra se seguiu. Ah se gregos e troianos tua face por um momento ao menos vislumbrassem, não mais pensariam em Helena de Troia, pois perto de ti ela pareceria uma joia de pouco valor, minha acalentada paixão. 

        Que uma venenosa jiboia me morda, se um dia de tu me esqueceres, Ah, minha divina Afrodite nascida toda nua da espuma branca do mar, tua simples visão me deixa sem fôlego, sem ar em meus pulmões. Venha comigo dançar uma musica sensual, ser a minha eterna consorte. Vamos juntos a canção do amor cantar, ébrios pelo levedo da paixão romântica.
Tu és semelhante ao astro rei de luz e de fogo escaldante.

- ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS

Dedico este poema as mulheres de toda raça, credo e cor, as mulheres de todas as idades, de todas as cidades deste imenso Brasil, principalmente aquelas que sofrem solitárias por não terem um grande amor, e por aquelas que sofrem caladas, tendo como causa uma imensa paixão não correspondida, e que por conta disto, vivem em triste dor.


Elton das Neves, o anjo das letras – 12 de novembro de 2007. (Uma segunda feira chuvosa e solitária.)

Comentários:

TEXTOS E CRÔNICAS DO ANJO DAS LETRAS. © Copyright 2007 - 2017 | Design By Gothic Darkness | Editado por Lizza Bathory