Google Translate

"OS PORÕES ESCUROS DA DITADURA OU AS LEMBRANÇAS AMARGAS DE ANA CAROLINA.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008.





Por quanto tempo ainda ficarás presa na escuridão daquele porão? Deixa minha querida teu coração livre, vire-o do avesso e liberte-o. Os anos de exílio já passaram, mas o sofrimento pelo qual você e tantos outros foram vítimas fez com que suas lágrimas se esgotassem, porém, não há mais como chorar, é preciso esquecer a dor e procurar aprender a vida amar. Eu sei meu doce bem que é difícil esquecer os choques elétricos, a dor veemente que sofrestes por causa deles e que quase te deixaram demente! Eu sei que os gritos estrondosos ainda ecoam nos corredores da prisão da tua mente. Naqueles tempos em nosso verde e amarelo país o espírito da tortura estava presente, não havia liberdade, a democracia era algo ausente. Os militares é que arrumavam á mesa, eram eles que dispunham nela os talheres, eram eles que designavam á cada brasileiro ou estrangeiro aonde deveriam sentar-se na mesa, a ditadura estava instalada e a ninguém se dava o direito de dar a isso uma resposta. Até hoje sabemos, meu amor, que muitas mães choram o desaparecimento sem explicação de seus filhos e filhas, algumas, com o passar do tempo até perderam a razão, pois como se conformar em seu coração que um menino ou menina que um dia lhes nasceu assim, do nada, desapareceu? Mas estas mães sabem o que realmente aconteceu, foram eles os senhores do golpe, que tiranizou nosso país, que com seus filhos e filhas sumiram e num só golpe covarde suas vidas consumiram. Sei minha Ana Carolina, que você teve sorte, pois aprisionada foi na saída de tua escola na baixada santista e sem te escutarem militares armados, homens de farda verde oliva profundamente desalmados, te algemaram e em um automóvel negro te levaram. Sei que ficaste desaparecida durante seis meses, sua família quase louca gritava á pleno pulmões por justiça que naquele Brasil militar não existia. – Meu Deus, perguntavam seus pais, avós e irmãos, cadê a nossa Ana Carolina? Que fizeram dela?Depois de um julgamento tardio armado por aquele fétido governo,fostes para fora do Brasil que por causa do golpe de 1964, acabou entrando pelo funil da servidão ao capital estrangeiro. Fostes para o exílio e lá ficastes no silêncio dos esquecidos, sendo que nunca minha amada, tua terra te esqueceu, nunca tua terra verde e amarela, a lembrança de sua imagem de sua memória apagou, mas seu grito de saudades de ti, mesmo de longe no ar ecoou. Eu sei que aquele sombrio dia de 1969 ainda persiste como cola á grudar em tua mente, quando te prenderam porque pertencias a um grupo de jovens que estudavam e discutiam idéias contra o autoritarismo militar, que nos era de amargar.Foram dias e noites terríveis, de incerteza e medo,o terror era cruelmente imposto. A tortura física e mental era o terrível animal que te fustigava e castigava constantemente,quase tirando-lhe a sanidade de sua mente. A angústia e temor pelos amigos que desapareciam ser deixar rastros, deixavam tua vida torturada sem nenhum compasso. Sua jovem existência pela ditadura militar reacionária estava um arraso!Compreendo que o exílio, naquelas circunstâncias, era até um alívio. Era manter a esperança que estava quase que perdida.

Mas os porões daquela maldita ditadura que nos trouxe uma vida amarga e dura, foram fechados. A abertura política e a anistia chegaram, medo e incertezas desvaneceram-se no tempo. Alegria ao retornar! Hora de voltar para casa e retomar tua vida que ficara em suspenso. Hora de recomeçar!

Hoje, já se passou tanto tempo, mas ainda te torturam essas lembranças que lhe são tão amargas. Vê, é hora de esquecer toda amargura sentida, tens que reagir, meu amor, lutar pela vida, dissipar os horrores e as dores que continuam atormentando tua mente, colher os frutos da bonança que é um estado da alma tão gostoso e decente.
Vem comigo, vem te libertar de todo este pensar que te traz tanto pesar, vem desfazer-se da infelicidade e mergulhar de cabeça no amor, vem comigo descobrir aos pouquinhos o valor do verdadeiro amar, pois já há muito tempo neste nosso país se instaurou a verdadeira liberdade de pensar, falar, agir e que nos fez assim um povo mais feliz! Vem meu doce, ser do amor comigo seu eterno aprendiz.


A PROSA POÉTICA POSTADA ACIMA E INTITULADA-"OS PORÕES ESCUROS DA DITADURA OU AS LEMBRANÇAS AMARGAS DE ANA CAROLINA"-, É DA - AUTORIA DE ELTON NEVES- O ANJO DAS LETRAS.

Comentários:

TEXTOS E CRÔNICAS DO ANJO DAS LETRAS. © Copyright 2007 - 2017 | Design By Gothic Darkness | Editado por Lizza Bathory