sábado, 15 de março de 2008

" A FUGA!"







Hoje eu quero fugir de casa com vocês, vou deixar uma carta de despedida para os meus pais, e então poderei partir sem olhar para trás, sabe na madrugada que se passou eu chorei a noite inteira, meus olhos ficaram inchados e tão cansados pelo pranto de dor do qual fui vitimado, Pois há muitas horas atrás eu fiquei sabendo que a Alice se suicidou, sem quem ninguém esperasse pela janela á fora a sua vida jogou, ah Deus que dor, para bem longe o meu amor voou.
Agora me sinto tão cansado, quase que desesperado, sou jovem, o que esperar da vida?E se há algo á esperar não quero fazê-lo sentado!Eu quero dar um fim á este tédio sem nexo, o mundo gira, por que então temos que ficar parados?
Será que estamos na vida assim tão errados, para vivermos somente em meio á dor e decepção?Porque Alice não me procurou, para conversar comigo?Porque se entregou ao seu desespero egoísta?A vida parece um trem desgovernado sem um maquinista para controlá-la. Alice pode ter ido, mas seu espírito jovem sempre ficará comigo, eu insisto em acreditar no amor, na amizade, na solidariedade, mesmo que às vezes me sinta sozinho e vazio em meio á esta grande cidade. O André me ligou, sua voz no telefone estava tão afetada, arrastada, eu sinto que ele está se despedindo,está sendo consumido aos pouquinhos pelas drogas, elas como sarnas doentias estão devorando-o vivo,por inteiro. Os pais dele não conversam mais, não querem mais falar com ele, desistiram e entregaram os pontos, mal sabem eles o quanto perderão com isso, será que não entendem que estão desistindo da vida de seu próprio filho?
Sabe neste nosso plano de fuga, não pode haver falhas, atrás de nós não podemos deixar marcas, rastros que nos entreguem que nos denunciem. Sabe eu quero entender a poesia desta vida, eu quero deixar a minha marca nesta existência, quero mergulhar de cabeça sem temor ou medo, quero descobrir quem sou eu, quem são vocês, e porque este mundo é assim,tão furioso. Olha aquela menina ali, ela está se atirando do oitavo andar, ela se cansou dos seus pais, irmãos, tios e tias, primos e primas, se cansou das suas vestes de grife, dos seus discos raros, das suas baladas divertidas e de toda sua turma, ela também quis fugir, mas não do nosso modo, ela resolveu partir, em uma viagem para um outro plano um outro espaço. Quando eu tiver um filho, vou amá-lo como nunca amei ninguém, como eu mesmo nunca me amei,quando tiver um filho,quero ter com você, e o seu nome será o mais bonito, o mais querido, terá nome de anjo, e nosso amor por ele será seu sustento. É, você me convenceu,eu não vou mais fugir,por que culpar meus pais por tudo, isso é uma atitude covarde,achar que eles são responsáveis por tudo de mal que me acontece, eles são humanos,não deuses, nem tudo está sob seu controle. Eu sou dono do meu destino,eu sou responsável pelo que comigo ocorre, somos larvas em um casulo aprendendo á sermos borboletas, vamos sair do casulo, vamos voar com nosso par de lindas asas multicoloridas, nossas asas estendidas para a vida, vida que nos espera sequiosa para ser vivida, experimentada, vivenciada, amada, tocada, não, nada de fuga, vamos sim á vida!


Este texto foi inspirado na letra da musica Pais e filhos-, da autoria de Renato Russo-disco-”As quatro estações-1989-Emi Odeon-Legião Urbana”.
A PROSA POÉTICA POSTADA ACIMA E INTITULADA-"A FUGA"-É DA AUTORIA DE ELTON NEVES-O ANJO DAS LETRAS.

Nenhum comentário: