segunda-feira, 10 de março de 2008

" CAOS ."-(TRILHANDO A ESTRADA DA SOLIDÃO).







Eu hoje mais do que nunca estou me sentindo muito sozinho, em meu caminho só vislumbro a sombra da solidão, sabe garota eu descobri que eu não tenho amigos, hoje mais do que em qualquer outro dia me sinto vazio, e tal sentimento me faz doer profundamente o meu coração. Eu não acredito mais em nada, para mim tudo que me cerca é caos, doença e mais nada, ah quem eu devo ouvir, para qual estrada devo me dirigir?Todas as vozes estão caladas, eu não quero de novo ouvi-las, todas as mãos estão abaixadas, ninguém as estende para poderem me ajudar, estou claustrofóbico, meu ar é rarefeito, me sinto preso dentro de um quarto escuro, não,eu não consigo respirar. Pare baby, te tentar me encontrar, agora eu sei que nem você e nem ninguém podem realmente me ajudar, agora por uns tempos abandonei minha casa, eu peguei o meu carro e coloquei o pé na tábua, agora só sou eu e Deus sozinhos nesta estrada, aonde vai dar, eu não sei, mas não se preocupe pois eu vou ficar bem. Talvez eu esteja só sendo egoísta, talvez eu esteja só pensando em mim, mas atualmente é assim que me sinto, sozinho, abandonado, pela felicidade execrado, eu sei que isso que faço é uma fuga, o que todos vão pensar de mim?Ah eu não penso nisso, com que vão pensar ou sentir eu sinceramente não me importo. Eu te queria aqui perto de mim, mas sei que fugir por uns tempos você não está á fim, pois de manhã até á tarde tu tens teu trabalho de professora, e de noite teu doutorado em ciências exatas pra fazer, é, eu sei que tu tens teus objetivos á atingir, e andar agora perto de mim, seria perda de tempo, isso só iria te ferir. Já me basto eu ferido e perdido que estou, sentindo raiva de mim mesmo, por não ter feito nada de útil na vida, e agora me surpreendo tão amargurado, é, querida, terrivelmente transtornado, pisando fundo por está estrada eu vou. A tristeza se posta ao meu lado, ela de minutos á minutos pinta com seu pincel místico lágrimas amargas em meus olhos, eu sinto o sal das lágrimas que rolam, quentes em meus lábios, o desespero também nesta viagem é meu acompanhante, sinto o acariciar de suas gélidas mãos em meus cabelos, ele aproxima sua boca fria de meus ouvidos, e sussurra para mim,que tudo está perdido,que não há esperança, nem presente, nem vindoura. Eu me sinto um mendigo de emoções, me sinto pobre em sentir algo de bom, junto com a tristeza e o desespero, os anjos negros da morte me cercam tendo em suas mãos, enormes machados afiados, é nessas horas que você percebe, porque a solidão e a depressão talvez sejam os dois maiores maus do século que já se passou, e tem tudo pra ser desse que mal começou. É eu preciso de ajuda, mas baby, não tem ninguém agora pra me ajudar, ah que sensação ruim em meu tosco coração, como é ruim este sentimento de se sentir sufocado, não quero ser repetitivo, mas me sinto preso em um fétido quarto, minhas narinas estão bloqueadas, eu não consigo de maneira alguma respirar. É me prenderam neste vazio e escuro quarto, e me fecharam á chave, jogando-a fora depois, agora eu te pergunto baby, o que virá logo á seguir?Pra que rumo às coisas deverão ir?Até quando este meu doloroso sofrimento deverá prosseguir?
Eu já fui jovem, bonito e magnificamente frondoso, a musa divina que é a vida, curvava-se docemente para mim, ela me oferecia seus préstimos honestos, e eu não aproveitei, e com isso tolamente eu errei, as oportunidades escorreram das minhas mãos como areia entre os dedos, e o que me sobrou?Nada, somente meus obscuros receios. Meu celular não para de tocar, sei que é você, e se eu te atender, sei o que vai me falar, vai insistir que comigo precisa se encontrar para poder conversar, vai querer me convencer voltar agora para o meu doce-amargo lar. Mesmo sem ar, vou dirigindo em direção ao horizonte desenhado no final da minha estrada, em algum lugar sei que devo chegar, não se preocupe, um dia pra casa eu vou voltar, da onde eu estiver, vou parar para lhe telefonar. Agora só quero fugir, quero tomar um rumo incerto, desconhecido, deixar o tempo passar, até ter forças para poder reagir. Mas nunca se esqueça que amo você, diga aos meus pais que não se importem comigo e por hora que fiquem em paz, diga aqueles que um dia se disseram meus amigos que me esqueçam, pois eu já não existo mais. Baby, não chores por mim, não fique assim, eu te juro que ainda não é o fim, só quero ficar algum tempo sozinho comigo mesmo, me compreenda se for capaz. Apesar de acreditar em bem pouca coisa agora, eu ainda quero crer no meu amor por você, ontem eu ouvi algo parecido,quando em uma canção que tocava no rádio, pude ouvir John Lennon cantar :- “Eu não acredito em Elvis, eu não acredito nos Beatles, eu só acredito no meu amor por Yoko!”
Sim baby, tenha esperança, pois eu me vi voltando pra você, eu me vi levantando-me das sombras da tristeza, e cheio de alegria, buscando você.
A PROSA POÉTICA POSTADA ACIMA E INTITULADA-"CAOS-(TRILHANDO A ESTRADA DA SOLIDÃO).-É DA AUTORIA DE ELTON NEVES-O ANJO DAS LETRAS.

Nenhum comentário: