Google Translate

" A MINHA SAGRADA TERRA".

segunda-feira, 28 de abril de 2008.










As nuvens pesadas cor de chumbo pairam sobre as torres do meu castelo, eu tenho guardada em minha bainha a minha espada, ela foi confeccionada pelos anões que moram nas cidades subterrâneas, seu metal encantado é inquebravél, é com ela que defendo o meu povo dos seus temíveis inimigos. Eis que sinto o cheiro gostoso de terra molhada, ela me faz lembrar-me dos meus ancestrais, pois ela foi regada com seu sangue carmesim, sagrado, puro, destilado em grandes conquistas de grandiosas guerras!
Aos meus ouvidos chegam a musica das gaitas de fole, tal som vem das montanhas místicas que nasceram ao bater do martelo divino de Jesus o filho amado de Javé, lá moram as fadas da fertilidade que todo mês visitam as filhas do meu reino, fazendo com que elas tenham sadios e lindos filhos. Gosto de passear na floresta cinza com minha rainha e suas aias, aprecio ver as dríades saírem dos troncos das árvores, e com seus cabelos de folhas verdes virem nos rodear, e juntas com os faunos e sátiros com o intuito de nos alegrar se entregam á dança que é embalada por uma alegre musica. A terra é a nossa mãe,ela nos dá os frutos de seu amor e suprema benevolência, é dela que tiramos nosso sustento e toda nossa riqueza, é em cima deste chão que ensinamos os nossos jovens rebentos andarem, e quando nossos idosos morrem é sobre está mesma terra que os interramos e á regamos com nossa lágrimas, frutos do nosso doloroso luto. Os doces cachos de uva crescem em nossos campos, o delicioso vinho rubro corre em cascatas em nossos ébrios rios, os elfos e os anjos brincam e correm ao largo das margens de nossas nascentes e fontes, nós somos descendentes dos bárbaros, a liberdade é a nossa maior conquista, e a justiça nossa grande prerrogativa. Somos uma nação sempre antiga e sempre nova, somos numerosos como a areia do deserto, somos eternos como o é o mar. Agora ouço o trovejar, eis que a tempestade se avizinha, sobre a minha amada terra as bênçãos do nosso grande Deus da vida e fertilidade irão do alto dos céus cair. Eis que sobre o terrível barulho do trovão, ouvirei o berro poderoso de Javé, que as gaitas de fole sejam sopradas á plenos pulmões e que os tambores sejam rufados com a devida santa ira por quem os tocar, o solo santo de minha terra geme docemente ao ser fertilizado e em seu espírito renovado.


" Canção do exílio."
Minha terra tem macieiras da Califórnia onde cantam gaturamos de Veneza.Os poetas da minha terra são pretos que vivem em torres de ametista, os sargentos do exército são monistas, cubistas, os filósofos são polacos vendendo a prestações. A gente não pode dormir com os oradores e os pernilongos. Os sururus em família têm por testemunha a Gioconda. Eu morro sufocado em terra estrangeira. Nossas flores são mais bonitas, nossas frutas mais gostosas, mas custam cem mil réis a dúzia. Ai quem me dera chupar uma carambola de verdade e ouvir um sabiá com certidão de idade! - "Murilo Mendes".


Todos os direitos reservados pelo autor




Homero :: Ilíada, passim

Data: -750. Pequena seleção de passagens que ilustram a relação direta entre Zeus, "pai dos deuses e dos homens", o raio e o trovão.

"O senhor do raio".

Mas também ele (Oceano) teme, do grande Zeus, o raio e o terrível trovão, quando retumba desde o céu.
[ Il. 21.198-9 ]
E então ele (Zeus), do alto do Ida, trovejou estrondosamente e flamejante clarão desfechou sobre as tropas dos Aqueus. Eles, ao vê-lo,se espantaram, e pálido temor a todos tomou.
[ Il. 8.75-7 ]
E trovejou terrívelmente o pai dos deuses e dos homens,no alto; (...)
[ Il. 20.56-7 ]
Teria sido, então, a ruína e o fim irremediável;estariam encurralados em Ílion, como carneiros,se depressa o pai dos deuses e dos homens não o percebesse. Depois de trovejar terrivelmente, lançou um raio brilhante que feriu o chão diante dos cavalos de Diomedes.


O TEXTO POSTADO ACIMA E INTITULADO-, ”A MINHA SAGRADA TERRA”-, É DA AUTORIA DE
ELTON DAS NEVES O ANJO DAS LETRAS.

Comentários:

TEXTOS E CRÔNICAS DO ANJO DAS LETRAS. © Copyright 2007 - 2017 | Design By Gothic Darkness | Editado por Lizza Bathory