Google Translate

" FIZ DA LITERATURA MINHA BANDEIRA DE VIDA".

segunda-feira, 14 de abril de 2008.



Fiz da literatura minha bandeira de vida, ela é a minha única religião e grande filosofia, com sua forma e força a ignorância humana desafia, toda pensamento vão juntamente com toda burrice diante dela se tornam cretinas, no entanto sua bela face de sagrada deusa não saem diante de minhas retinas. A literatura torna minha alma literata diante de todo o mal atrevida, ela á faz desafiá-lo sem medo e sem recuo, tal mãe de minha alma que pelo seu ósculo santo foi ela purificada, coloca em minha mão direita a invencível espada mística da justiça, para os espíritos das trevas eu poder combater, e toda a sua intolerância e estupidez humana poder com essa minha poderosa arma vencer. A literatura é o meu luminoso candeeiro que ilumina meus pés na estrada desta vida que as vezes é cheia da iguinomia humana, ela me faz assim discernir a diferença entre o certo e o errado. A sua lei sagrada de proteger o homem das trevas da incompreensão e da falta de conhecimento do que é o bem, está gravada nas tábuas de carne do meu humano coração, seus mandamentos foram gravados de forma virulenta com o fogo da paixão dos deuses literatas nas minhas mais profundas e obscuras entranhas. A literatura purificou meus lábios com as águas puras da sua infinita sapiência, sua eterna sabedoria tomou de assalto meu espírito que antes de por ela ser visitado, era tão conturbado. Agora revestido pelo seu imenso saber,ele tornou-se invencível, não será a maldade humana que é filha da ignorância dos filhos de Adão e Eva que lhe fará frente, pois o conhecimento pleno da literatura a faz vizinha de Deus, e de sua mãe Maria, sua amada e constante amiga. O seu manto sagrado repousa sobre a minha cabeça, eis que me cercam os doutores da lei, pois querem ouvir de minha boca, o que ouvi diretamente dos lábios sacrossantos da minha douta mãe, a divina e esplendorosa literatura. Eis que tudo foi criado pelo proferimento da palavra, a humanidade foi salva pela palavra encarnada, o livro dos livros, o que chamam de bíblia é uma das primeiras manifestações de se usar a literatura como veículo de ensino e comunicação entre os homens,ainda que nesse caso de cunho puramente religioso. Entre os livros não me apercebo sozinho, quando leio eis que me sinto da cegueira intelectual e espiritual redimido, quando escrevo liberto o escravo que habita em mim, a literatura é a rosa perfumada e mística do paraíso celestial, por onde andou Dante Alighieri á procurar sua bem aventurada Beatriz, e que aflora em minha alma de seu aprendiz que por ter a literatura como sua boa mestra, vive imensamente feliz.


"Uma literatura que não respire o ar da sociedade que lhe é contemporânea, que não ouse comunicar à sociedade os seus próprios sofrimentos e as suas próprias aspirações, que não seja capaz de perceber a tempo os perigos morais e sociais que lhe dizem respeito, não merece o nome de literatura: quando muito pode aspirar a ser cosmética).”
(Alexander Soljenitsyne).


A imagem na parte central da tela, é a do poeta italiano Dante Alighiere-Florença-1265- Ravena-14 de setembro de 1321.
A POESIA POSTADA ACIMA E INTITULADA-,"FIZ DA LITERATURA MINHA BANDEIRA DE VIDA"-É DA AUTORIA DE-, ELTON DAS NEVES.

Comentários:

TEXTOS E CRÔNICAS DO ANJO DAS LETRAS. © Copyright 2007 - 2017 | Design By Gothic Darkness | Editado por Lizza Bathory