quinta-feira, 17 de abril de 2008

" O MEU NOME É LITTERA".







Eu sou pura, sou santa, mas, no entanto também sou profana, sou douta, mas às vezes alguns fazem de mim uma burra, sou luz que dissipa toda escuridão que pode haver em todo o humano coração, eu sou água cristalina que purifica a alma humana, é comigo que os sábios batizam seus discípulos que pelo seu ensino se tornaram seus filhos, eu sou a voz da eterna sabedoria que aos rebentos de Adão e Eva esclarecem e os ilumina, sou flor, sou fruto,sou dos deuses delicioso manjar, eu sou o caminho certo para quem anseia a suprema inteligência alcançar. Eu sou mar bravio para os incautos, eu sou oceano tranqüilo para os sábios, eu sou também um lindo e refrigerador oásis no meio do deserto da procura pelo saber para os cultos, eu sou o ardente látego nas costas dos pobres de espírito, e de mente incultos. Eu sou a vereda certa para as almas que querem viver livres da ignorância humana que á todos os seres humanos desumaniza, eu sou clara e limpa, aos peitos abertos e inocentes trago a mais pura alegria, eu sou virgem,sim sou intacta, sou do mal isenta, de tão purificada eu purifico, do abismo da intolerância eu livro, minha beleza é extrema, nunca á que tenho algum homem viu igual, a visão belíssima de minha sacra face á quem á vê embevece, o eleva e o fascina, de tão instruída sou instrutora, de tão sapiente sou mestra formada, de tão forte que sou, me tornei poderosa. De tão engrandecida pelo vasto conhecimento que eu tenho, tornei-me do universo todo, sua soberana senhora, eu estou presente em espírito de forma continua no casebre do camponês humilde, ou na mansão do empresário que por ter muito dinheiro, se acha tolamente um imenso e imbatível gigante, com os maus sou uma madrasta impiedosa, com os bons sou uma mãe benevolente. Eu ergo e derrubo reis, tais monarcas têm de seguir a minha sagrada e justa lei, sobre o peso do meu soberano cetro real esses príncipes da terra curvam suas soberanas cabeças de forma submissa e acuidade temerosa, eu os dirijo com a força de minha sábia destra. Minha filosofia é clássica e moderna, eu sou sempre antiga e sou sempre nova, os anjos me amam, por mim os homens clamam, eu sou às vezes Dantesca, por vezes sou Shakespereana, por outras vezes sou Rodriguiana, mas posso dizer que não muita poucas vezes torno-me Balzaquiana, e adoro quando posso ser Rimbaudiana. Para finalizar filho ou filha minha que agora está á me escutar, eu sou rasa, profunda, larga, imensa, eu sou cheia, sou plena, vazia e evasiva, eu sou a tua sanidade e também posso ser a tua desvairada loucura, eu sou palavra viva, sou letra escrita que tudo vivifica, sou parágrafo, virgula e travessão, sou expressão bonita mas posso me transformar em um sórdido palavrão, sou reticências, sou ponto afirmativo e logo depois para contrariar torno-me ponto de exclamação, sou romance, sou novela, sou obra verídica eu sou também um puro texto de ficção, sou poema, sou formosa poesia, eu sou um soneto, sou uma crônica, eu sou uma formosa prosa poética pronta. Sou teu inicio, meio e fim, eu sou a mais bela flor do teu imenso jardim, eu lhe sou sincera, eu lhe sou aberta, eu te sou toda franca, eu lhe sou carinhosa, da tua alma sou sua terna esposa, quer saber o meu nome agora?Eu me chamo a bem aventurada Senhora literatura.



"Para criar uma obra-prima da literatura, dois poderes precisam estar presentes: o poder do homem e o poder do momento.” (Matthew Arnold)



"O certo em literatura é escrever com o mínimo possível de literatura. (...) a mim me salvaram as crianças. De tanto escrever para elas, simplifiquei-me. " (Monteiro Lobato)



"Não é a beleza, mas sim a humanidade o objetivo da literatura."( Salamah Mussa )



"Literatura é a imortalidade da fala.” (August Schlegel).


“A literatura é a minha bandeira e filosofia de vida, sendo assim, digo-lhes, que ela é a minha vida.”
Cubatão, Quinta-feira 17 de Abril de 2008.Elton das Neves o Anjo das Letras.
A POESIA POSTADA ACIMA E INTITULADA-," O MEU NOME É LITTERA"-,É DA AUTORIA DE -ELTON DAS NEVES-O ANJO DAS LETRAS.

Nenhum comentário: