segunda-feira, 12 de maio de 2008

" O ANJO DA PAZ E DO BEM".// REEDITADO

Sou um espírito revolto semelhante á um mar conturbado, sou uma alma rebelde ao extremo, não aceito o caos estabelecido neste mundo tão negro.
-------------------------------

Sou um animal intelectual em posição fetal, pois me sinto oprimido pelos gritos e gemidos angustiados de almas inocentes que coagidas, se sentem encostadas á força em uma parede, e que de forma demente são fuziladas pela opressão de um sistema sem coração.
-------------------------------------

Eles desejam nos controlar, se não conseguirem tal intento, cortarão o nosso ar, querem que sejamos semelhantes há um gado que lhe sejam cego e totalmente submisso, não pretendem nos deixar pensar. -----------------------------------
Anseiam comprar seu voto á todo custo, nas campanhas eleitorais lhe mentiram sistematicamente e continuamente, prometendo um governo que nunca farão, ao seu nobre coração enganarão.
Não gosto de ser forçado á aceitar o que não quero, sou violento com ditadores, eles são inventores de duras ditaduras, almas corrompidas, que só existem para tornar as pessoas mais e mais oprimidas.
-------------------------------------

Eu nado sempre contra a corrente, contrário ao mal estabelecido, continuamente cerro os meus dentes.
------------------------------------

Não desejo matar, minha vontade é de amar. É-me insuportável continuar há ver, corpos que abatidos caem ao chão, sem nenhuma explicação, vitimas de uma violência gerada e praticada por gente sem coração, anseio cantar da paz, a sua canção, nunca mais eu quero precisar me vestir de preto, em luto por mais um irmão.
--------------------------------------------

Chega de ver prostitutas serem mortas nas ruas, basta de contemplar jovens meninos, venderem suas inocentes almas indolentes, ao funesto diabo, que os tornam traficantes, e depois de usá-los friamente, os aniquilam sem dó ou piedade, jogando-os em uma sarjeta qualquer de sua cidade.
-----------------------------------------

Meus olhos não querem mais visualizar, esquadrões da morte fazendo justiça com as próprias mãos, pelos escuros quarteirões, meus ouvidos não desejam ouvir novamente os gritos desesperados das mães por causa dos seus filhos que foram cruelmente chacinados. Que justiça é essa?Não é derramando sangue humano que á exerceremos, mas matando o nosso próximo, ainda que se trate de um criminoso, nós estaremos distorcendo-a.
-------------------------------------------

Minha alma poética é terra fértil aonde eu anseio que se plante a flor da paz, que o fim do nosso triste choro, nos chegue meu rapaz.
Eu sonho com um mundo aonde um homem como Nélson Mandela, não seja preso em nome do apartheide, ou outro como Gandhi, não seja morto, por sonhar com uma Índia irmã e mais justa para todas as etnias que nela existam, a África e a Índia assim como toda a terra, pertencem á quem ama a bondade e a justiça.
-----------------------------------------

É no amor que está à resposta certa, é nele que será resolvido à questão para o nosso dilema, pois sua força é uma poderosa arma, só que não fere e nem mata, nela está o poder que pode destruir a chaga cancerígena do mal, que só nos deixa de baixo astral.
-----------------------------------------

Vem comigo construir sob a luz deste amor uma nova terra, e com sua luminosidade acabar com toda dor. Vamos sobre este solo que nos é sagrado, plantar as sementes do perdão, da compaixão e da reconciliação.
------------------------------------

Vem em uma prece á Jesus, pedir para todos nós um novo, nobre, humano e puro coração, do amor, vamos nesta nossa nova terra, pelas nossas mãos criadas, entoar uma bela canção.
-----------------------------------------
ELTON DAS NEVES O ANJO DAS LETRAS.

“A violência, seja qual for à maneira como ela se manifesta, é sempre uma derrota”.
(
Jean-Paul Sartre).


“A violência destrói o que ela pretende defender: a dignidade da vida, a liberdade do ser humano.”
(
João Paulo II).


“As ditaduras fomentam a opressão, as ditaduras fomentam o servilismo, as ditaduras fomentam a crueldade; mas o mais abominável é que elas fomentam a idiotia.” (
Jorge Borges).


“Parece-me fácil viver sem ódio, coisa que nunca senti, mas viver sem amor acho impossível.”
(
Jorge Luíz Borges
).

Nenhum comentário: