Google Translate

A MINHA POESIA!!!

sábado, 24 de julho de 2010.
******A minha poesia tem a alma erótica, sua obsessão mais sublime é seduzir a alma de quem a lê, de quem por doce-ventura entrar em contato com suas linhas.

******Ela tem o espírito nobre, apesar de ser acusada por seus detratores de dissimulada e um atentado contra a arte poética.

******Minha poesia não é assexuada, por isso canta em verso e prosa o conluio sensual e apaixonado das almas amantes, que trocam caricias na alcova dos prazeres infinitos da carne.

******Meu versejar na verdade não é de minha autoria, sendo assim, ele jamais me pertenceu, mas veio-me procedente da boca da musa, está que até os dias de hoje nunca me abandonou, mas que se aproxima de um dos meus tímpanos e com sua voz sôfrega diz-me: - Escreve o que eu inspirar ao teu coração de poeta!

******Meus versos brotam da ponta de minha pena autoral, ganhando corpo e alma através da tinta preta na qual foi molhada. No branco do papel imprimo com minha escrita aquilo que me incendeia de paixão a alma.

******Em minha poesia eu falo de amores incendiários, de arroubos apaixonados dos enamorados, da ferida aberta e sangrenta no coração amante, da união de corpos seguida de fusões dos espíritos, da lágrima de alegria de quem ama e é amado, assim como de gozos e orgasmos múltiplos, multicoloridos, indescritíveis e impossíveis da razão humana conceber.

******A minha poesia não tem nome, com certeza não cabe dentro de um rótulo, não pode ser definida por um gênero ou subgênero literário, ela é um espírito livre e também libertário. Ela fala todas as línguas humanas, no entanto, não serve a bandeira de nenhuma nação do mundo.

******A minha poesia ama absurdamente a mulher, tenta conhecer detalhadamente a sua alma feminina para poder revelá-la através da sua palavra poética, contudo perceba que, o meu versejar não descarta o papel importante e significativo do homem no universo feminino.

******A minha poesia é protegida e amadrinhada pelas dez musas. Pois como um dia disse Platão, enganam-se quem acredita serem nove as musas da inspiração artística, esqueceu-se de citar á Sapho de Lesbos.

******E sob a luz destas divindades gregas, vou imortalizando esta minha mesma poesia na vida sublime e cruenta da humanidade, sabedor que o oficio de ser poeta me escraviza ao mesmo tempo em que me liberta.

ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS.

2 Comentários:

Silvania disse...

Poeta ! para entender os seus versos,é preciso saber que o sentir e livre ... e nem toda a alma consegue se entender liberta !



Um beijo ...NANE.

Kassya Mendonca disse...

Marçal de Aquino disse:
"... é necessário que o leitor tenha imaginação. Quanto mais imaginação tiver o leitor, maior será a visualização que ele terá daquilo que escrevo..."

Beijos!

TEXTOS E CRÔNICAS DO ANJO DAS LETRAS. © Copyright 2007 - 2017 | Design By Gothic Darkness | Editado por Lizza Bathory