segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Francisco de Assis!!!

****Foste imensamente rico e jovem assim como bonito e quiseste ser soldado em guerras em seu mundo medieval para conquistar para si glória pessoal e um nome grandioso.



****Em sua pequena Assis era o grande rei da juventude, pois arcavas com o dinheiro que teu abastado pai lhe dava com lautos e generosos banquetes aos moços e moças que lhe eram semelhantes na idade e na sede de desfrutar das delicias da vida enquanto podiam.


****Eras, pois um doce e gentil aventureiro, o mundo da idade média aos seus olhos seria o grande cenário onde como um Dom Quixote dos que tinham dinheiro viveria nele as suas grandes aventuras.


****As gentis donzelas te achavam belo e tu lhes fazias mesuras com uma elegância e charme tais que, em toda a Itália ainda não se vira pelo coração feminino algo igual.


****Tu tocavas em seus corações sem sujá-los com pérfida malicia e te aproximavas destas moças de jeito tão Candido que nunca aconteceu de ferires nem a tua e nem a delas a puríssima castidade de seus viçosos corpos juvenis.


****Depois de voltares doente da guerra entre as cidades de Assis e Peruggia, descansastes alquebrado na casa de seus pais e convalescendo sentias em seu coração ferido que nunca mais tu serias o mesmo novamente.


****A gloria do mundo e suas pompas deixaram de atrair seu coração adolescente, dentro dele pulsava agora uma fome diferente daquela de outrora, algo que não conseguias ainda definir direito.


****Ainda fraco andavas pelos jardins de sua casa tendo uma atitude estranha, visitavas as flores em um estado de contemplação profundo a elas,assim como a tudo que se movia e respirava ao teu redor, com certeza tu não eras o mesmo Francisco de antes.


****Um dia visitando uma pequena igrejinha em ruínas aos arredores de tua amada Assis, tu sentistes vontade de rezar diante um crucifixo bizantino que estava colocado acima do altar arruinado, quando da boca santa do crucificado ouviste a ordem que mudaria toda a sua vida:- Francisco reconstrói a minha igreja que como tu mesma a vê está em ruínas!


****Entendendo que tinha que reconstruir aquela igrejinha que quase caia aos pedaços em cima de sua cabeça, resolveste reformá-la ajuntando pedras com a ajuda dos moradores de sua cidade natal, e tão logo quanto pôde foste cumprir a ordem do teu divino redentor.


****Não querias mais o sempre amado dinheiro e nem a cobiçada fama e muito menos o tão desejado poder temporal, resolveste dar aos pobres as roupas finas que teu pai vendia em sua luxuosa loja de próspero comerciante, com isso conseguiste com essa mudança toda que ele te prendesse em sua casa ante as lágrimas de dor e sofrimento de sua mãe.


****Aproveitando uma das saídas de teu pai para comprar novas roupas para renovar o estoque de sua loja na distante Provença, França, sua mãe apiedada de seu sofrimento te soltou do cativeiro paterno, agradecendo a bondade de sua genitora ganhaste as ruas de Assis e por conseqüência a sua tão amada liberdade.


****Ao retornar para a sua cidade e seus domínios, seu pai sabendo o que sua mãe fizera, foi até a autoridade eclesiástica máxima de sua cidade, o Bispo.


****Então tendo sido convocado para se explicar o do porque estavas envergonhando o nome de seu pai vivendo pelas ruas da cidade reformando uma igrejinha antiga e doando a mendigos seu produto de venda, tu explicaste que conheceste um tipo de amor que nunca antes houvera conhecido!Um sentimento superior aos das paixões humanas que tinham por anos assolado o seu coração e alma.


****Acusado por seu genitor por querer fazer caridade com seus pertences e ouvindo de sua boca que tudo que tinhas lhe pertenciam, até mesmo seu nome e vestes, tu aos olhos do bispo e de toda a Assis que acompanhava tal contenda entre pai e filho, se despes completamente de suas vestimentas a ponto de ficar totalmente nu e em uma resposta contundente aquele que lhe colocou no mundo, então lhe dissestes:- Já que é desta forma, devolvo a vós meu pai Pedro di Bernardone não só as vestes que me comprastes assim como também seu nome o qual me destes, pois não me chamarei mais Francisco di Bernardone.


****Então devolvendo tudo que pertencia a seu pai, saíste do bispado de Assis vestido com a roupa do jardineiro daquela portentosa casa do Senhor que se apiedou de sua nudez corporal, mas que ficou emocionado com seu despojamento espiritual ao ter renunciado a herança milionária dos Bernardone.


****Dos grandes aos pequenos, dos ricos aos mais pobres, senhores feudais e vassalos, todos estes estavam boquiabertos com a sua história, a do jovem Francisco um dos filhos da burguesia de Assis que havia deixado a vida afortunada e abastada da casa paterna para vestir-se como uma pedinte de esmola e que passou a reconstruir todas as igrejas que precisavam de cuidados, nunca aqueles moradores da verdejante região da Úmbria virão coisa parecida em toda a sua vida.


****E tu oh Francisco não paraste por aí, reuniste inicialmente doze discípulos ao seu redor que começaram a segui-lo, mais tarde eles seriam milhares provindos de toda a Itália e Europa.


****Um dia em uma missa, no momento da proclamação do evangelho que narrava quando Jesus enviou de dois a dois seus discípulos para pregar a palavra de Deus aos pecadores, entendestes afinal o que o filho do Criador queria realmente que tu fizesses quando te pediu para reconstruir a sua casa, Jesus crucificado não falava da igreja material, física, feita de madeira, pedra e cal e sim da espiritual que é constituída pelas almas dos cristãos!


****E foi isto que realizaste pelos vinte anos de vida religiosa e penitente que levou, juntamente com os frades da Ordem que fundaste com tanto amor viraste um evangelizador itinerante levando a boa nova a quem precisasse ouvi-la.


****Depois te teres cumprido com a missão da reforma da Igreja espiritual que o Cristo lhe confiou, tendo chegado aos quarenta anos de idade completos e já muitíssimo enfermo, morreste ungido com a santidade do seu Deus o qual serviste fielmente, e cantando louvores a ele, partiu para o paraíso ladeado pelos seus muitos seguidores e amigos que choraram amargamente o seu divino transito ao seio sagrado do Pai eterno.


São Francisco de Assis, rogai por nós.


ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS.


Senhor fazei de mim um instrumento de sua paz!


(São Francisco de Assis).

Um comentário:

Lou Albergaria disse...

Adoro São Francisco! Um dos poucos "santos" que realmente recebem meu respeito. Geralmente só respeito os hereges...

BEIJÃO!!!

LOBA DE RAY BAN