Google Translate

Lua de sangue!- O confronto sangrento.- VI - e ultima parte!

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010.
****Tendo a sua atenção chamada por Santiago, Gabriel faz o que ele lhe pediu e olha na direção do céu de Paris, então ele fica totalmente estupefato com aquilo que começa a enxergar, seus olhos surpresos vislumbram as nuvens escuras se abrindo onde por detrás delas paulatinamente a lua cheia começa a aparecer revelando sua face redonda.

****Lentamente a Champ de Mars é iluminada pela luz cálida e de tom prateado do astro lunar, os dois homens lupinos ao contemplá-lo ficam imóveis, começando a sentir os primeiros efeitos dele sobre seus corpos.

****Gabriel agacha-se colocando um joelho só no chão, tendo a outra perna apenas dobrada, ele sente seus músculos expandirem triplicando de tamanho, a compleição de todo o seu corpo em poucos minutos é modificada, ganhando altura, largura e espessura sobre-humanas.

****Suas orelhas crescem ficando pontiagudas, de seu rosto vai se projetando um focinho e uma enorme bocarra ambos de um desenho canino, de todos os poros de seu corpo saem pelos amarronzados, abandonando aquela sua posição anterior, ele agora se apóia ao chão com as suas duas mãos espalmadas, assim como seus dois joelhos dobrados ficam postados sobre ele.

****Os braços e pernas de Gabriel perdem suas configurações humanas originais, sendo transformadas em patas dianteiras e traseiras de um enorme lobo. Enquanto toda essa incrível metamorfose se dava esse jovem rapaz podia ouvir suas vestes se rasgando não podendo mais elas, comportar seu corpo que agora não era mais humano.

****Totalmente transformado em um grotesco lobo de pelos marrons, Gabriel estira sua cabeça lupina na direção da lua soltando um uivo como querendo amaldiçoá-la por ela ter vindo a ele trazendo consigo aquele mal todo que o afligia.

****Um segundo uivo é escutado, só que esse não fora dado por Gabriel, esse tendo a sua atenção chamada para a direção de onde veio o som dele, enxerga bem a sua frente um outro ser licantropo, um grotesco lobisomem de pelagem branca que após ter uivado também na direção da lua cheia, volta o seu olhar atento para seu antagonista de pelos amarronzados.

****Gabriel e Santiago se vêem agora face a face não mais como humanos, mas sim como dois poderosos lobisomens, sedentos pelo sangue um do outro, tendo as suas patas postadas no gramado úmido pela névoa parisiense de um dos jardins do Champ de Mars onde a testemunha daquela cena dantesca é nada mais e nada menos que a própria torre Eiffel, esplendidamente iluminada por luzes artificiais que parecem torná-la uma belíssima caixa de jóias cheia de prata e ouro.

****Gabriel em clara atitude de ataque corre na direção de Santiago, ele se lança a frente com extrema velocidade saltando sobre o corpanzil do lobisomem branco, sendo deste modo, os dois licantropos se enroscam um ao outro rolando sobre a grama molhada se mordendo com imensa fúria.

****O lobo amarronzado enfia seus dentes pontiagudos no pescoço de seu adversário que solta um grunhindo de dor, este por sua vez em um gesto de contra-ataque desvencilha-se da forte bocarra e crava uma mordida voraz bem dada, um pouco abaixo da pata direita dianteira, mas precisamente nas costelas de seu atacante lupino.

****Gabriel solta desta feita um uivo de dor, e arremete uma patada contra a caraça de Santiago arranhando-lhe o focinho, um esguicho de sangue sai daquela região atingida pelas unhas compridas e expostas do licantropo de coloração marrom.

****Neste momento as duas criaturas caninas da noite se apartam, conservando uma distância de meio metro entre elas, ambas se movimentando em sentindo circular, fazendo com que uma fera ficasse rodeando a outra.

****Neste ínterim, um lobisomem rosnava ferozmente para o outro, era como se uma besta-fera esperasse tanto como a outra o momento certo para reiniciar o embate entre elas.

****O sangue escorria copiosamente da cara do lupino branco indo tingir de vermelho seu focinho e boca, Santiago passa devagarzinho a sua língua pela abertura de sua bocarra não só para limpar-se do liquido rubro e viscoso, mas como para experimentá-lo, com a intenção de dobrar a força de seu ódio pelo seu inimigo, personificado por Gabriel o lobo marrom que em um gesto de pura agressividade, continua arreganhando-lhe os dentes e rosnando-lhe ameaçadoramente.

****Santiago resolve tomar a atitude de recomeçar o combate e parte para cima de Gabriel, mas invés de saltar ao ar para atingi-lo com seus dentes e garras na altura do pescoço ou do peito, ele resolve abalroar seu adversário por baixo, batendo com tanta violência em seu corpo de pelos brancos, que o faz subir as alturas, passando acima dele e indo cair do outro lado, se chocando violentamente ao chão.

****O lobisomem de pelugem amarronzada cai de mau jeito ao solo gramado da Champ de Mars, ele sente uma imensa dor que se inicia em suas ancas indo findar-se em suas patas traseiras, o licantropo machucado tenta levantar-se, mas é contigo por tal dor que com essa sua tentativa de ficar novamente em pé sobre suas quatro patas, parece triplicar em sua intensidade.

****Aproveitando a dificuldade da recuperação de Gabriel, Santiago com uma ligeireza impressionante cai sobre ele enfiando-lhe suas enormes e afiadíssimas presas, o sangue quente e de textura espessa brota abundantemente do pescoço do licantropo marrom.

****Fraco e fulminado por uma dor aguda ao sentir-se transpassado pelos dentes afiados e cortantes do lobisomem branco, Gabriel quase se sente sem forças para livrar-se das garras deste seu agressor de natureza violentíssima.

****Gabriel percebe que se continuar naquela posição desvantajosa para si, onde ele tem Santiago em cima de seu corpo quase abrindo ao meio o seu pescoço, tenta então reunir suas últimas energias e num esforço animalesco, em um breve momento, encolhe suas patas dianteiras e traseiras para logo depois abri-las, batendo com elas com enorme impacto sobre seu atacante lançando-o para bem longe, totalmente fora do seu alcance.

****Santiago cai rolando sobre a grama indo parar uns cinco metros de distância do lobo marrom, Gabriel solta um urro de dor ao mesmo tempo de alivio ao se sentir liberto do assédio mortal do lupino inimigo. No entanto, seu estado é extremamente calamitoso, afinal de seu pescoço rasgado pelas presas de seu adversário o sangue desce copiosamente, sujando seu peito, patas dianteiras e o próprio chão em que agora pisa de forma cambaleante.

****Santiago um pouco surpreso da forma como Gabriel conseguiu se desvencilhar daquele seu ataque quase mortal, ao terminar de rolar sobre o tapete verde da Champ de Mars, logo se põe em pé sobre suas quatro patas, levanta sua cabeça lupina e foca com seu olhar penetrante de caçador assassino a imagem de sua presa que envolvida pela névoa fantasmagórica que algumas horas atrás se formou sobre toda Paris, se move quase que tombando de lado.

****O lobisomem de pelos alvos sabe pela experiência que acumulou em anos de peleja contra outros de sua espécie, que aquele era o momento do golpe de misericórdia, Santiago bem sabia que o ataque anterior que efetuara sobre seu adversário fizera estragos consideráveis sobre ele, ferido daquele jeito seria quase impossível para Gabriel continuar com uma mesma igualdade de condições poder dar seqüência aquele sangrento combate. O lobo marrom tinha tanto a sua cara quanto o seu dorso tomado pela vermelhidão do seu sangue que, jorrava a borbotões de sua garganta aberta.

****Sem pestanejar Santiago dispara uma corrida na direção de Gabriel que tomado pela dor e fraqueza provindos do seu ferimento, fica de costas para seu atacante totalmente agonizante e desprotegido, tendo a sua visão já turva, sentindo a sua consciência perder-se aos poucos, além do que, este começa também a se sufocar com seu próprio sangue.

****Em poucos segundos Santiago alcança o lobisomem agonizante e sem dó ou piedade cai pesadamente sobre ele montando-lhe em suas costas, sem suportar o peso daquele que o ataca, Gabriel que não tinha sequer mais forças para caminhar, muito menos para agüentar aquele julgo pesadíssimo todo sobre si, desmonta caindo ao chão, soçobrando ante a massa de músculos e pelo do licantropo que o havia transformado em uma criatura das trevas.

****O que se segue então é um verdadeiro massacre, uma cena da mais pura carnificina, Santiago abocanha a nuca de Gabriel atravessando o couro dela com suas presas brancas e vorazes, não satisfeito com isso, este licantropo homicida agita sua cabeça assim como sua bocarra tanto para a direita como para a esquerda, fazendo com que com esses movimentos, pedaços de carne junto com pelo de cor marrom saíssem e ficassem entre seus dentes que haviam perdido a sua brancura, por estarem com tudo isso feito, tintos do sangue de sua vitima.

****Gabriel não tinha mais forças para esboçar uma só reação que fosse, caído ao chão tendo Santiago com seu grotesco corpanzil de demônio licantropo em cima dele, não podia e nem tinha mais nada a fazer, a não ser se entregar aquela dilaceração final do que havia sobrado da região da sua nuca e pescoço.

****O licantropo branco levado pela sua total insanidade gerado pela sua sede e fome de sangue e carne de seu inimigo, cegamente dá continuidade aquela sua manobra de ataque selvagem de dilacerar a nunca dele até levá-lo ao óbito, e a cada bocanhada que consegue desferir ali, naquele preciso ponto, cada vez mais este se aproxima de seu objetivo. Gabriel completamente abatido está às portas da morte.

****Em dado momento Santiago sente que chegou a hora de desferir o golpe fatal, e deste modo colocar um fim aquele enfrentamento sanguinolento, totalmente decidido a isso, o licantropo branco larga Gabriel que jaz desmaiado embaixo de seu corpo peludo, e levantando a cabeça para o alto e com a bocarra bem aberta, ele desce com ela em um movimento brusco e rápido em direção novamente a nuca ferida e ensangüentada do seu adversário lupino.

****Quando as presas arreganhadas de Santiago estão a poucos centímetros da nuca desprotegida de Gabriel, ele ouve o som estrondoso de um disparo, o lobisomem branco sente um ardor ferrenho explodindo em suas costas queimando-o duramente, então este grunhe de dor e volta-se para trás, na direção de onde lhe pareceu ter vindo o som daquele disparo.

****Santiago surpreso arregala seus enormes olhos ao enxergar Gabriela lhe apontando uma magnum 44 prateada, tendo ainda o cano da arma fumegando após o recente disparo executado por ela.

****A criatura da noite alucinada de ódio por ter sido alvejada pelas costas em um ataque surpresa, faz menção de mover-se em uma atitude de contra-ataque, só que Gabriela é mais rápida do que o lobisomem não lhe dando a chance para tal intento, e com isso faz um segundo disparo, só que desta vez ela alveja o licantropo branco bem na altura da testa, este ao ser atingido pelo projétil da potente arma de fogo, cai fulminado ao chão totalmente sem vida.

****Gabriela cuidadosamente se aproxima do corpo ensangüentado e inerte de Santiago, e como que para conferir a veracidade de sua morte, ainda apontando-lhe a arma ela com a ponta do sapato que calça seu pé direito, empurram-lhe o focinho rubro de sangue, o licantropo branco, porém não se move, o algoz de seu irmão estava realmente e definitivamente morto.

****Então ao constatar essa verdade, a jovem mulher solta à arma que cai ao chão e desesperada corre na direção de seu irmão que mortalmente ferido está caído sobre a relva completamente sem consciência mergulhado numa poça de seu próprio sangue.

****Gabriela agacha-se e abraça por detrás a Gabriel, o estado do lobisomem marrom é deplorável, deitado de bruços ele tem a sua garganta e nuca abertos de onde saem jatos profícuos de sangue a olhos vistos, sua cabeça caída de lado como que se não tivesse mais vida assim como os seus olhos fechados e bocarra aberta, parecem ser sinais de um mau presságio, de que talvez sua irmã gêmea tenha chegado tarde demais para salvá-lo.

****Com lágrimas nos olhos e tendo a sua cabeça repousada ás largas costas do enorme lobisomem que há algumas horas atrás seu irmão se tornara, Gabriela com a voz embargada diz a ele:- Ah Gabriel seu teimoso, você deveria ter deixado eu ter vindo também, juntos nós poderíamos ter dado cabo neste miserável do Santiago!Agora olha só o seu estado, nós prometemos cuidar um do outro quando nossos pais partiram, e acabei falhando,deixando com que esse monstro acabasse contigo!

****De repente Gabriela sente que algo está acontecendo com seu irmão, ela então sai de cima dele e enxuga as lágrimas que lhe caem ao rosto com uma das suas mãos, para poder observar melhor o que ocorre com Gabriel. Ainda sentada ao seu lado, ela percebe que o corpo de seu irmão gêmeo mais uma vez passa por uma transformação, aos poucos ela observa que o licantropo marrom vai recuperando a sua forma humana.

****Em poucos minutos Gabriel volta a ser um humano novamente, toda a aparência e compleição física de um homem que sofre de licantropia fora embora. Gabriela olhando um pouco mais a frente, nota que o mesmo acontecera a Santiago, pois este também recuperara a fisionomia e constituição corporal de uma criatura humana absolutamente normal. A moça então olha para o céu e vê que a lua não fora embora, mas que continuava lá, isso podia significar uma só coisa, o mal do lobisomem tinha terminado. Aquilo que descobrira em suas pesquisas estava totalmente correto, uma vez que o homem-lobo que mordera Gabriel fosse morto em um combate com ele, a maldição licantropa o abandonaria para sempre, deixando liberto de sua presença funesta.

****Gabriel lentamente abre os olhos e solta um gemido de dor, além do seu pescoço e nuca todo seu corpo está dolorido, percebendo que o seu irmão voltara à consciência novamente, Gabriela se volta a ele e o desvira da posição de bruços em que ele se encontrava, agora podendo abraçá-lo melhor por causa da diminuição do tamanho e da sua compleição física, ela o aperta em seus braços levada por uma grande emoção:- Gabriel, meu amor, você está bem querido?

-Ai, ai, ai, não me aperte assim, eu estou me sentindo muito mal, o que houve?O que você está fazendo aqui e cadê o monstro do Santiago?

- Ele está morto maninho, eu dei cabo dele quando este estava por um fio para acabar com você!

- Mas como você conseguiu isso Gabriela, se nem eu virado em um demônio licantropo alcancei uma proeza dessas?

- Bom em casa fiquei pensando naquela coisa de balas de prata que havíamos comentado um com o outro ao celular quando lhe liguei há algumas horas atrás. Então resolvi tomar uma atitude, afinal não podia ficar na comodidade do meu quarto na insegurança em saber em como ia acabar essa batalha entre vocês dois, sendo assim, decidida resolvi sair da minha zona de conforto, peguei meu carro fui a uma loja esotérica e disse à atendente que precisava de um revolver com balas de prata para dar cabo de um lobisomem, como esse tipo de coisa para esse povo não é estranho, ela assentiu com a cabeça e após ter me mostrado alguns modelos diferente de pistolas, escolhi finalmente a velha e boa e tradicional magnum 44, e depois de ter comprado também a munição para esta arma feita da mais pura prata, sai de lá o mais rápido que pude vindo correr ao seu encalço.

- Ma eu lhe disse para ficar em casa Gabriela!

- E quem disse que você manda em mim?Prometemos cuidar sempre um do outro e foi isso que vim fazer aqui, e não seja mal agradecido, pois no fim das contas acabei salvando a sua pele!

****Gabriel começa a tossir e suas dores se intensificam, é ele que agora abraça fortemente a irmã e lhe diz:- Acho que você acabou chegando tarde demais irmã, estou com muitas dores no corpo todo e perdi muito sangue, sinto que não vou conseguir resistir aos ferimentos!

****Tomada por um enorme temor ao ouvir Gabriel falando assim, sendo que a momentos atrás ela já havia percebido que o seu estado não era nada bom, Gabriela lhe responde:- Não fale assim querido, depois de tudo que passamos juntos a coisa não pode terminar deste modo, você não pode acabar morrendo, não pode me deixar Gabriel, não pode!

-Meu Deus, até de dentro da minha boca está saindo sangue, aquele desgraçado tinha uma vantagem sobre mim, pelo fato de que fora lobisomem há mais tempo, ele angariou para si uma experiência em combate que o tornava quase impossível de ser abatido pelas minhas mãos, e só agora ás portas da morte é que consigo enxergar isso!

****Ao acabar de pronunciar tais palavras Gabriel começa a tossir soltando muito sangue ainda pela sua boca, aos poucos ele vai fechando seus olhos como querendo desfalecer.

****No ápice do seu desespero pela possibilidade de poder perder seu irmão gêmeo, Gabriela solta um grito de dor, ela o traz mais para junto de si estreitando-o com veemência em seus braços, lágrimas profusas rolam-lhe de suas faces.

****O sofrimento doloroso de ver Gabriel indo embora embarcado em seus braços faz com que Gabriela seja tomada por um choro convulsivo, ela possuída por tal sentimento beija o rosto do irmão e pede-lhe insistentemente que não a abandone.

****Gabriela fica assim por alguns minutos, é quando por um momento esta ergue um pouco a cabeça e seus olhos vislumbram a face prateada da lua, então tomada por uma força estranha que nem ela mesma saberia explicar, a jovem ergue com seus braços o dorso nu de seu irmão desfalecido, praticamente agonizante, como querendo mostrá-lo ao astro lunar, após fazer isso, sua voz se ergue alta na Champ de Mars:- Olhe para ele, foi você que lhe fez isso, trazendo-lhe a maldição do lobo com suas malditas visitas, agora salve-o, porque não quero perdê-lo, ele é a única família que tenho aqui na terra, se meu irmão se for, ficarei sozinha e minha vida sem a sua presença querida perderá totalmente o sentido, por isso salve-o sua maldita vagabunda!

****Ao terminar suas palavras cheias de ira e dor, Gabriela com uma de suas mãos cola o rosto ensangüentado de seu irmão junto ao seu, os gritos de um pranto amargurado ecoam de sua garganta de mulher que está sendo esmagada pelo peso da perda da pessoa que mais ama na vida.

****Então seus olhos cheios de água percebem um movimento súbito e estranho no corpo circular da lua cheia, o que se segue depois disso deixa a jovem Gabriela estupefata, além de ficar totalmente paralisada, tornando-se estática como se fosse uma estátua de sal.

****A lua começa a dobrar de tamanho paulatinamente, sua luz branca ilumina com uma intensidade grande que não lhe é peculiar tudo que está abaixo dela, as arvores, os arbustos, as flores assim como a própria torre Eiffel. Todo o parque da Champ de Mars é tomado por esses intensos raios prateados provindos do astro lunar que agora é um gigante que toma os céus de Paris.

****Quando o crescimento da lua para totalmente, um fenômeno mais incrível e inacreditável ocorre bem diante o olhar assombrado de Gabriela, a cor original deste satélite natural da terra muda completamente do branco prateado para um vermelho sangue que tinge toda a sua superfície.

****A lua torna-se totalmente vermelha, como que banhada em sangue humano, em sangue vivo. Os jardins do Champ de Mars assim como tudo que está nele recebem em si essa nova coloração, agora de um tom vermelho daquela sinistra lua cheia de tamanho agigantado.

****Gabriela agarrada a Gabriel e tendo todos os músculos do seu corpo tesos e paralisados não pode e não consegue esboçar uma reação física sequer que seja.

****A jovem e assustada mulher somente pode continuar contemplando aquela metamorfose assombrosa que se dera na lua. Então ela percebe a manifestação de um tremor no corpo redondo do monstruoso astro vermelho, após ter assistido tal perturbação, seus ouvidos ouvem provindo dele um grito estridente que parecia emanar uma dor tão profunda e tamanha, que Gabriela nunca vira ou sentira algo igual em toda a sua vida até ali.

****Aquele grito dado por aquela colossal lua vermelha pareceu penetrar no coração de Gabriela como um punhal de lâmina fria e pontiaguda, a jovem mulher então assim compreendia que a sua dor tornara-se também o da própria lua.

****Ainda em posição completamente estática, após o grito misterioso vindo da parte do astro lunar ter se findado, Gabriela assiste a lua voltando aos poucos ao seu tamanho normal, assim como lentamente ela vai readquirindo a sua cor branca original.

****No exato momento que a lua cheia volta ao seu estado de tamanho e coloração normais, Gabriela consegue sair daquele estado de paralisia de todos os músculos de seu corpo. Ela então tira seus olhos da lua e volta a sua atenção a Gabriel que continua preso em seus braços, e com admiração Gabriela constata maravilhada aquilo que lhe parece um verdadeiro milagre.

****Gabriel não tem mais sangue saindo do seu pescoço e isso porque o rasgo que tinha naquela região se fechara totalmente como se nunca houvesse existido, Gabriela levantando seu dorso, verifica a sua parte de trás e apercebe-se que o mesmo ocorrera com o ferimento que ele tinha em sua nuca. O mais notável de tudo era que o corpo desnudo de Gabriel estava totalmente limpo de qualquer vestígio de sangue que antes havia tido nele.

****Desta vez o choro de tristeza de Gabriela se transforma em um choro de alegria, ela abraça mais fortemente seu irmão para logos depois lhe tascar um beijo em uma de suas bochechas rosadas. Ao sentir-se beijado Gabriel abre os olhos e contempla com o aspecto de um alguém que despertou de um profundo sono a face de sua irmã que olha pra ele chorosa, ao mesmo tempo em que tem um sorriso presente em sua boca.

- O que houve mana,como ainda eu não morri?

- Como se sente Gabriel, você acha que está num estado de alguém que vai morrer?

****Gabriel ergue seu dorso saindo dos braços de sua irmã, e colocando-se sentado, ele abre os seus e lança um olhar analítico sobre eles assim como sobre seu corpo todo, com uma de suas mãos verifica com o tato dela o seu pescoço depois a sua nuca constatando o sumiço total de seus ferimentos letais.

****Estupefato ele olha para Gabriela e lhe pergunta:- Há alguns minutos atrás eu tinha dois enormes e profundos rasgos em meu corpo, um no pescoço e outro na nuca de onde estava saindo rios de sangue, onde foram parar esses dois ferimentos?

****Gabriela aproximando-se de seu irmão acaricia seus cabelos e tendo um sorriso carinhoso e ternos nos lábios, simplesmente lhe responde:- Em casa eu te explico tudo meu amor, agora é melhor irmos embora antes que alguém chegue e tenhamos que esclarecer sobre a sua nudez e sobre o corpo sem vida de Santiago que foi alvejado com duas balas de prata!

****Gabriel assentindo com um movimento de sua cabeça se levanta ajudado por sua irmã gêmea, Gabriela então retira de seu corpo seu casaco com o qual está vestida para que ele o coloque, afinal o frio nevoento naquele momento é enregelador.

****Aquele que antes era um amaldiçoado licantropo segue um pouco a frente, Gabriela se retém no mesmo lugar por um instante e voltando-se na direção da lua cheia ela lhe diz:- Sou-lhe grata por salvar meu irmão, eu não quis ser desrespeitosa, mas aquelas palavras duras que lhe dirigi foram na hora do desespero, me acredite!Mas saiba que nunca esquecerei novamente o respeito e reverência que sempre lhe deverei por toda a minha vida. Obrigada lua de sangue!

****Então Gabriela se move voltando seu corpo na direção de Gabriel que encolhido dentro do casaco que recebera dela, em um auto-abraço, a espera a meio metro de onde sua irmã antes se encontrava conversando com a lua.

****Quando Gabriela o alcança os dois se dão os braços e caminham juntos com a intenção de voltarem para casa, agora diferente dos dias que ficaram para trás, uma alegria imensa inunda seus corações de irmãos que se amam muito, e isso pelo simples fato de que tudo havia terminado bem, e que nenhuma espécie de mal havia conseguido separá-los, nem mesmo a maldição da lua de sangue.

ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS.

Significado de Lobisomem:
Indivíduo feio ou de mau gênio.
Duende ou bruxo que, segundo os supersticiosos vagava durante a noite transformado em lobo.
Fonte de informação: Dicionário on line de Português.

6 Comentários:

Lou Albergaria disse...

Lobisomem E Lobo então são bem próximos do que eu supunha...bom saber...

Tudo que é bizarro e soturno me incita e excita!


Muito boa sua história, apesar de ficção não ser meu forte, então não posso avaliar como gostaria. Mas achei a história envolvente e vc imprimiu um ritmo bacana de ler.

BEIJOS!

Vc anda sumido, que pena!!!

Está com medo da LOBA?! Loba também vira lobisomem ou lobismulher?

Aмbзr Ѽ disse...

(comentário cheio de spoiler - se quer ler o fim, passe longe)

o que podemos ver é a batalha do algoz de gabriel. uma batalha muito sangrenta e angustiante, com um desfecho que me lembra os filmes antigos, onde sempre a moçinha mais fragilizada possui uma chave para uma libertação/salvação... enfim. a explicação para o nome lua de sangue veio a calhar com o milagre que devolve a vida ao herói e que tem uma nova chance ao lado da irmã; um texto que nos faz sofrer até o fim com cada gota de sangue dos personagens.

Neuromancer disse...

Um desfecho genial, agora a felicidade retornou para Gabriel e sua irmã, o texto foi tenso nos momentos da batalha e por isso envolvente em suas descrições de uma épica batalha na noite parisiense entre os dois seres, parabéns pelo texto que acompanhei passo a passo, um forte abraço

http://intercon-x.blogspot.com/

Kassya Mendonca disse...

Ola meu bem,
só hoje consegui ler o final de tua saga.
Como sempre primorosa e envolvente; sabes que escreves com maestria.
Adoro teu estilo, sempre gostei, por isso te sigo (tu sabes), não pense que te abandonei!!!!
(rsrsrs) nem sempre te visito por aqui! mas por outro equipamento.
O final de tua história é realmente surpreendente e inusitada, cheguei a ver e sentir a mudança da Lua; e congesso que durante a saga, cheguei a torcer por Santiago.

Beijos!

Flávia Fernanda disse...

eu ainda não cheguei a essa parte mas to chegando e sem querer puxar saco é muito bem escrito e me parece ser feito com carinho

lua de sangue me instigou^^

Bjaaoo

Ninfa Lasciva

Valéria Russo disse...

AMIGO ELTON..
não consegui vir antes para concluir a saga mas eu adorei o final..
gabriel ficou livre da maldição e a magia da lua cheia o salvou.
vc foi muito criativo e inspirador...
parabéns amigo.
quero ainda te desejar mesmo atrazado um ano de paz, sucesso,amor, felicidade e prosperidade...
que seus sonhos tornem -se reais e nossa amizade se fortaleça cada dia mais.feliz 2011.
bjuivos no seu coração.
loba.
agora iniciarei a leitura da nova saga...

TEXTOS E CRÔNICAS DO ANJO DAS LETRAS. © Copyright 2007 - 2017 | Design By Gothic Darkness | Editado por Lizza Bathory