Google Translate

A garota Satã!!!- A balada sangrenta.- VII- parte.//Crônicas de Salém.

terça-feira, 4 de janeiro de 2011.

     O Caverna Cube ficava localizado em uma rua de aspecto sinistro, a luz dos postes era meio que camuflada pelas árvores que foram plantadas juntas ao meio fio, deixando-a iluminada á meia luz pelas lâmpadas de iluminação amarela deles. A movimentação de carros era enorme pela Edgar Allan Poe, todos importados, dando á entender que eram os bacanas da cidade que freqüentavam aquela danceteria de paredes externas de cor escura.

    Não foi muito fácil achar uma vaga no estacionamento do lugar que estava repleto de automóveis enfileirados lado á lado. Ao sair do volvo negro juntamente com Camilla, notei que assim como ela, aquela turba de pessoas, em sua maioria esmagadora de jovens entre dezenove e vinte cinco anos aproximadamente, estavam todos trajados com roupas pretas.

   Na porta de entrada da danceteria, havia dois seguranças do tamanho de verdadeiros enormes armários, estavam vestidos de ternos, gravatas, calças e sapatos sociais de bico fino que tinham pelo jeito, a cor preferida daquele espaço de entretenimento noturno, o preto. Eu na verdade estava já me sentindo desconfortável pelo fato de ser o único á não estar vestido daquele jeito, as cores claras de minhas vestimentas me dava um destaque gritante no meio daquela turba de gente enlutada.

   Camilla toma meu braço e assim passamos juntos pelos dois seguranças da porta, eles curvam as suas cabeças ao mesmo tempo, em uma sincronia perfeita numa reverência á ela, percebo que temos uma facilidade para entrar que muitos não tem, pois noto que um bom numero de pessoas são barrados por aqueles dois gorilas que se portavam como verdadeiros guardiões daquela que parecia ser a única via de entrada do Caverna Cube, estava na cara que aquilo era uma seleção daqueles que podiam ou não adentrar ao local, qual era o critério de escolha, bom, até aquele momento eu não sabia, e prefiro revelar isso somente mais tarde.

  Por dentro o Caverna era bastante espaçoso, tinha dois ambientes separados por dois andares, havia uma escada em espiral que levava os trausentes do andar inferior ao superior da danceteria, esta por sua vez em seu todo era precariamente iluminada, pois a única iluminação que tinham ali era os de canhões de luz dos lasers que faiscavam e explodiam por todos os pontos do recinto, a musica eletrônica fazia o ar vibrar ao nosso redor, isso tudo somado aquela gente esquisita e de comportamento meio que mórbido que freqüentavam aquele espaço, emprestavam a sua atmosfera, uma aparência sombria, eu iria até mais além, diria sinistra na realidade.

 Apesar da seleção criteriosa dos dois seguranças do Caverna Cube na porta de entrada, o lugar estava realmente cheio dificultando a movimentação nele, no entanto Camilla sabia para onde nos levar, pois ali me pareceu que as portas de tudo e de todos lhe estavam abertas, pois á nossa simples aproximação, fazia com que as pessoas dessem passagem para nós, era claro em seus rostos a expressão de respeito e de um certo temor, é lógico que até aquele instante eu não compreendia o porque daquilo, no entanto isso pouco importava, o que ficava claro para mim é que o objeto daquela verdadeira reverência e atitude de respeito, era a minha acompanhante, Camilla Armand.

  Ela então faz com que nos dirijamos a uma das mesas postadas juntas as paredes do Caverna Cube, sentados nela está um pequeno grupo de cinco jovens que pareciam nos aguardar, tanto é que estes deixaram reservados para eu e Camilla duas cadeiras vazias para que pudéssemos nos assentar junto á eles.

  Ante a nossa aproximação os três rapazes e as duas moças que compunham aquele grupo de amigos de Camilla, levantam-se e imitando o gesto dos dois seguranças lá fora, lhe prestam reverência curvando suas cabeças respeitosamente, lembro-me claramente que aquilo causou-me estranheza, ver tal reverência ser dirigida á ela por uma segunda vez naquela noite, e o modo como as pessoas em nosso caminho abriram passagem para que passássemos como se pertencêssemos á algum tipo de realeza, começou á me deixar intrigado.

  Então Camilla após nos sentarmos começa as devidas apresentações, o rapaz de sobrancelhas espessas, cabelos loiros, queixo quadrado e pele alva como se nunca tomasse sol é Ivan Mitriac, ao seu lado direito estava assentado Boris Ravena, esse por sua vez tinha a pele morena, olhos negros como o breu, profundos e expressivos, cabelos crespos e escuros, á esquerda deste estava postado Paolo di Pietro com seus olhos verdes grandes e magníficos, um rosto de uma beleza inigualável, cabelos com reflexo aloirados compridos que lhe iam até os ombros. Na outra ponta da mesa, estavam às garotas que eram gêmeas idênticas, com suas peles claras, olhos azuis escuros, cabelos lisos e de comprimento longo, olhar sombrio e taciturno, no entanto ambas donas de uma beleza arrebatadora, Letícia e Carolina Granov eram os seus nomes, estas por sua vez, fechavam aquele circulo de amigos íntimos e no mínimo curioso que se formara reunindo-se ali para curtirem juntos aquela balada.

  Ivan fazendo um gesto com uma de suas mãos, chama uma garçonete que passava próxima á mesa, ela então se aproxima trazendo consigo o cardápio, ao deparar-se com Camilla que sentara-se comigo junto á cabeceira da mesa, repete como todos os outros o fizeram desde que chegamos juntos ali, aquela mesma reverência curvando sua cabeça diante dela. Com uma voz forte em um tom ríspido e autoritário, Ivan diz a jovem garçonete:- Queremos que traga o melhor vinho da casa para o nosso jovem convidado aqui presente, e para o restante de nós a bebida de sempre, e espero que desta vez ela esteja na temperatura ideal, ou alguém irá pagar bem caro mais tarde por tal falha em seu serviço.

 Após ter terminado de anotar os pedidos feitos com extrema arrogância por Ivan, a jovem garçonete se afasta para poder nos trazer o que lhe foi solicitado. Então voltando-se para mim Ivan Mitriac me dirige um olhar interessado ao mesmo tempo em que me fala:- Ouvimos muito falar de você Gabriel, faz muito tempo em que alguém não consegue despertar em nossa amada Camilla um interesse tão grande como á que temos visto, estávamos curiosos para saber qual é o seu segredo para tamanho intento, pois não é qualquer um que consegue fazê-lo!

 Camilla pegando em minhas mãos postas sobre a mesa se antecipa respondendo por mim:- Não ligue para Ivan, Gabriel, as vezes ele fala demais, e está apenas com esse tom irônico todo, demonstrando seu patético e triste ciúmes como algumas vezes o faz. Não há nada o que explicar, simplesmente eu te achei uma espécime interessante do universo masculino, além do que como eu já te disse, tem alguns aspectos em você que me intrigam por demais, e nada como nos conhecermos melhor para elucidarmos esses mesmos aspectos intrigantes sobre a sua personalidade, e é simples assim.

- Ah então você me achou um espécime interessante do universo masculino, hummm...é a primeira vez que ouço uma garota se dirigir assim á mim, como seu eu fosse um animal raro, onde valesse a pena ser capturado para ser estudado!

- Não fique magoado com essa minha afirmação meu amor, ao contrário, deve é ficar orgulhoso de si mesmo, pois neste imenso universo masculino acho-te uma raridade, um dos poucos que se salvam dentro do machismo e porco-chauvinismo medíocre e cansativo da maioria dos homens , eu te conheço á muito pouco tempo para fazer este tipo de afirmação eu sei, mas lhe asseguro que tenho uma percepção aguda que a maioria das pessoas não tem, para perceber uma pedra bruta, que só precisa de um lapidador certo para torná-la uma pedra preciosa e de riqueza rara.

- Meu tio Fernando me disse algo parecido com isso hoje ao pegar-me na saída do colégio, que eu deveria ficar orgulhoso pelo fato de você ter tido interesse pela minha companhia, pois qualquer homem independente de idade, cor, religião ou condição social desta cidade, gostaria de estar em meu lugar neste mesmo instante, e cada vez que olho para sua beleza perfeita, totalmente inumana, compreendo o porquê disto!

-Não seja exagerado querido, mas venha comigo, vamos dançar um pouco, essa conversa está ficando séria e cansativa por demais, devemos nos lembrar que viemos aqui para se divertir, e nada melhor para isso do que começarmos pela pista de dança antes de tomarmos o nosso drink !

  De mãos dadas chegamos á pista de dança, onde casais levados pela eletricidade da musica eletrônica se sacodem em uma coreografia dançante sensual e espasmódica. Camilla estaca diante de mim olhando-me fixamente dentro dos olhos, o magnetismo que procede da beleza daquele olhar é praticamente impossível de resistir, ela então se aproxima de mim fazendo com que eu me incline sobre ela, para que possa falar ao meu ouvido, uma vez que ouvi-la com aquele som alto que varre todo o ambiente da danceteria fica difícil, então ouço-a dizer:- Esta noite você com certeza descobrirá quem sou eu, e o quanto lhe falei sério lá no carro quando estávamos vindo para cá, sobre ensiná-lo á não ter medo de nada, nem do céu e muito menos do inferno, nem de Deus ou do diabo, o medo seja lá do que for só nos enfraquece, pois ele é a marca que difere os fracos dos fortes, e nós meu querido pertencemos a está segunda categoria de seres, daqueles que não temem nada, somos criaturas fortes, poderosas!

  Ao acabar de me falar tais palavras, Camilla começa á dançar, algo mágico parece acontecer então diante de mim. Como se isso fosse possível, a garota se torna mais fascinante do que sempre foi, é como se toda aquela deusa magnífica que eu tinha consciência que ela era, se mostrasse em todo o seu esplendor e beleza naquele instante, eu quase não podia acreditar no que os meus olhos viam.

 Tentando acompanhar os movimentos do seu corpo com os do meu, em uma dança em que tudo que era feito nela transpirava sensualidade, meus olhos não desgrudavam de Camilla, e mesmo que eu quisesse não conseguiria, pois a beleza personificada é quem parecia estar dançando diante do foco da retina deles.

 O movimento de sua cabeça para a direita e esquerda, o balançar dos seus cabelos escuros, a ação dos seus braços e mãos como que, desenhando no ar imagens profanas inenarráveis de atos libertinos, a desenvoltura coreográfica de sua cintura, quadris e pernas em um dançar ritmado pelo seu grande sex appeal, faziam-na uma visão única e simplesmente deslumbrante em toda aquela pista de dança, era como se uma das sacerdotisas de Afrodite para invocar sua presença entre nós, estivesse se entregando á uma dança ritualística á muito tempo esquecida e proibida de ser feita.

  Então ainda dentro daquela sua dança luxuriosa, Camilla em um movimento ágil e ao mesmo tempo gracioso, achega-se junto á mim unindo nossos corpos em um abraço, aquilo era como se fosse o golpe de misericórdia de um caçador desferido sobre sua caça ao tê-la sobre sua total e plena captura, pois eu já não tinha domínio sobre a minha própria vontade, apenas sabia naquele mesmo instante que queria pertencer a Camilla Armand para o restante de minha vida, simplesmente desejava subjugar o meu querer ao dela, adorá-la como se faz com uma divindade, afinal eu estava convencido naquele momento, que aquela mulher deslumbrante não era humana, e sim uma deusa pagã dos tempos modernos, que tinha adentrado a minha existência com a intenção de redimi-la.

  Tendo envolvido as minhas espáduas com seus braços, e invadindo-me a alma com aquele seu olhar de uma sedução hipnótica irresistível, ela faz com que eu curve minha cabeça em sua direção, fazendo repousar meus lábios nos seus, em um beijo em que nossas línguas se encontram de uma forma apaixonada, como duas serpentes se enroscando numa cópula febril e ensandecida.

- Eu desejo ser inteiramente teu Camilla, eu entrego a minha vida em suas mãos!-, eu lhe digo assim que nossos lábios se afastam desfazendo aquele nosso beijo de uma ardência absurda, então sorrindo-me com aquele seu característico sorriso unindo sarcasmo e beleza, Camilla responde-me:- Era só isso que eu queria ouvir de você meu querido, ansiava que me fizesse essa entrega total convidando-me á entrar em sua vida como nenhuma outra pessoa o fez até hoje. Na segunda vez em que nos esbarramos na cafeteria do Dante Alighieri, resolvi escolher-te como meu eterno esposo, pois há tempos que estava á procura de um para acompanhar-me na conquista deste mundo de humanos idiotas para mim e meu pai, e para andar ao meu lado por toda a eternidade!Agora que achei você Gabriel, nossos destinos estão selados para todo o sempre, pois seremos um do outro pelos séculos dos séculos.

-Sim, é isso que meu coração quer Camilla, ser teu até o ultimo dia de minha vida, pois estou perdidamente apaixonado por você!

- Ah meu doce amor, você ainda não entendeu não é mesmo Gabriel?Não haverá para nós os últimos dias de nossas vidas, isso porque eu conquistei para mim e para quem me pertence na servidão e no amor dedicado á minha pessoa a vida eterna, o peregrinar perpétuo nas forças das trevas!

    Então ela toca suavemente meu rosto para logo depois beijá-lo com doçura, após este seu gesto carinhoso, nossos olhares novamente se encontram, só que desta vez a força hipnótica provinda daquele seu olhar de beleza arrebatadora, faz com que eu entre em transe total, minha mente assim como o meu corpo e alma ficam paralisados, completamente subjugados ao seu completo domínio.

-Doravante Gabriel você pertence somente á mim e mais ninguém, dê adeus a sua antiga vida e ao seu antigo Deus, pois eu faço com que morras para eles, para que renasças em uma nova vida e para um novo deus, o anjo caído que de forma injusta foi um dia expulso do paraíso e precipitado ao abismo do inferno, mas que será trazido de volta por mim, a sua própria filha, desta vez para morar e reinar neste mundo habitado por humanos que nasceram para serem seus vassalos!-ao acabar de me dizer isso, Camilla Armand abre a sua mandíbula fazendo com que seus dentes caninos cresçam em comprimento de forma absurda, fazendo-os se projetarem para fora de sua boca, então agarrando-me com força me puxa com violência para si, enterrando seus dentes de vampira sedenta por meu sangue nas carnes de meu pescoço perfurando-os bem lá no fundo.

    Por alguns instantes todos que dançavam a nossa volta param de fazê-lo para assistir aquela cena sinistra, a de Camilla Armand que tinha transfigurado seu aspecto humano em vampirico e estava sugando sofregadamente o meu sangue que saia pelos dois orifícios criados por seus enormes caninos superiores e inferiores que naquele momento perfuravam as veias da minha jugular, mesmo em puro transe hipnótico, eu conseguia sentir como se a minha vida estivesse se esvaindo por meio daquele beijo dado pela vampira.

   Camilla parecia sorver totalmente deliciada cada gota do meu sangue que sugava com ardente sofreguidão, o liquido sanguíneo, vermelho e viscoso escorria e se derramava em abundância sobre meu pescoço, ombros, peito e braços tingindo minhas vestimentas de uma cor carmim viva.

   Depois de um tempo que pareceu enorme, ela retira seus dentes de mim, de sua boca, queixo, pescoço e peito escorrem em profusão a substância avermelhada e liquida do meu sangue quente, então ela levanta seu pulso direito na altura de sua mandíbula e o rasga com seus próprios dentes de vampira, agora é o seu sangue que Camilla faz escorrer em grande quantidade, com sua mão esquerda ela segura minha nuca fazendo com que eu aproxime meus lábios de seu pulso direito aberto que sangrava, quando eu estava para beber do sangue maldito da vampira que fluía como um rio caudaloso dele, uma voz explode em meio o ambiente do Caverna Cube bradando:- Largue ele já, agora mesmo, sua vampira vagabunda!

Continua...

ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS.

6 Comentários:

Vivian disse...

Olá Elton!!Bom Dia!!

Ah meu Deus!!Como é que você para justo nesta parte!!!E agora?
Mas que coisa, em!!
Ele ficou tão seduzido que nem expressou estranheza, com a mudança de Camille!!
Vamos ver se o mocinho vai ser salvo...
Lindo trabalho!
Aguardo ansiosamente...

Milena disse...

Nossa estou muito curiosa! Sempre na melhor parte a palavra: Continua...

MOISÉS POETA disse...

JEITO BOM DE ESCREVER. GOSTEI...
VOLTO PRA LER O RESTANTE.

ABRAÇOS !

Neuromancer disse...

Agora estou no suspense, será que a Camille conseguirá transformá-lo?? vamos aguardar o desfecho, acompanhando sempre, um feliz ano que se inicia para você.

http://intercon-x.blogspot.com/

Susy Ramone disse...

Olá!!!
Nossa! Que blog legal e que texto maravilhoso! parabéns! Me deixou curiosa para ler a continuação.
Gostaria de convidá-lo para visitar o meu cantinho onde exponho meus singelos textos fantasticos: susyramone.blogspot.com
Espero que goste!
Bloody Kisses!

nicoli dauzacher disse...

Parabéns pelo blog! Realmente muito bom! Visite o meu se quiser, http://garotaadolescenteestilosa.blogpsot.com/
beijos e boa noite!

TEXTOS E CRÔNICAS DO ANJO DAS LETRAS. © Copyright 2007 - 2017 | Design By Gothic Darkness | Editado por Lizza Bathory