sábado, 23 de abril de 2011

Lettre à mon amour!

      Veja só esses homens querida, eles desejam queimar mais uma bruxa na fogueira. Eles temem o que não conhecem e odeiam o que desafia seus princípios e suas crenças. Usam da truculência e do assassinato para defenderem seu mundo patriarcalista daquilo que o ameaça.

     Não pense que a santa inquisição acabou meu amor, ela continua existindo ainda, só que com um novo cheiro e um novo uniforme, afinal se tu não pensares como eles pensam minha menina, seus destino com certeza será a excomunhão ou o fogo do inferno.

    Novos nazistas estão invadindo as ruas, oh, meu coração, eles agridem e ferem quem for negro, nordestino ou gay, sobre suas cabeças fanáticas reluz a cruz suástica, esta que é um dos maiores símbolos da maldade, crueldade e estupidez humanas. Vamos expulsar essa gente de nossas vidas realizando neles o exorcismo do verdadeiro amor pelos nossos semelhantes.

   Nos canteiros dos nossos jardins já não crescem mais os sagrados lírios, pois os profanadores da inocência humana não o permitem, eles são almas pedófilas que ousaram macular até a ingenuidade dos anjos. Mal sabem tais criaturas da noite que teria sido melhor para elas nunca terem nascido.

  Vivemos em uma nação de porcos chauvinistas que batem em mulheres porque elas se negam a ser marionetes em seu teatro de bonecos.

  Tais homens chafurdam na lama do seu egoísmo e comem da lavagem da sua violência. Muitas vezes esses ignóbeis se tornam assassinos de suas próprias mulheres, logo delas, que um dia além de ter-lhes jurado amor eterno, também lhes prometeram protegê-las de todo mal existente.

  Talvez minha querida, tu aches que eu esteja sendo muito amargo nessas linhas em que eu lhe escrevo. Isso até pode ser verdade, a explicação de tal fato pode ser porque estou morrendo de saudades de sua presença corpórea junto de mim. Então em minha solidão acabo parando e pensando nessas coisas todas que acontecem nesse mundo em que vivemos e que me incomodam tanto.

  Logo espero que eu possa revê-la, com isso acontecendo tenho certeza que quando me encontrares em seus ternos braços tu me concederá profunda paz de espírito, me envolvendo com o seu imenso amor de uma natureza dulcíssima.

ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS.

Um comentário:

Flávia Fernanda disse...

Esse é o retrato da realidade cruel escondida ou então descarada e visivel em forma de poema. Gostei da retratação dos reais fatos.
Abraçãao