quinta-feira, 21 de abril de 2011

Sei que tu me queres!

     Sei que tu me queres, tenho consciência que me desejas com toda fome orgástica de sua alma. Anseias colocar as tuas mãos em mim com a intenção de levar-me com elas a tua boca de mulher- sereiana para devora-me inteiro em seu canibalismo de origem selvagem e de natureza contumaz.

    A serpente da paixão desmedida tu a trazes enroscada nas vértebras de sua coluna dorsal, é ela que faz com que repetidas vezes seus lábios emitam o som do mantra do meu nome.

   O cheiro de minha macheza chega as suas narinas provocando-te arrepios que eriçam os pelos de seus braços levando-a sentir um desejo tão profundo que, ele parece se assemelhar a uma queda livre em um abismo de uma fundura sem fim.

   É neste momento que escorre de suas pernas o orvalho de sua vontade em fazer comigo o que tu bem queres. Quando isso ocorre seu coração bate mais forte fazendo com que seu sangue corra caudaloso por todo o seu corpo, tu podes senti-lo também tão quente quanto o magma de um vulcão queimando-te no interior de suas veias.

  A noite tem sonhos eróticos comigo e com isso muitas vezes acordas em meio a orgasmos de sensações prazerosas infindáveis. Após o final do teu gozo tu com os punhos fechados, em cima de tua cama, chegais á gritar nua contra os céus dos teus desejos. Céus esses que há tempos se tornaram o seu inferno pessoal de prazer e angustia.

ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS.

Um comentário:

Carla disse...

Ufa, li seu texto logo de manhã cedo.
Realmente é uma poesia cheia de paixão e erotismo. Achei bem visceral, selvagem esta última.

Você escreve muito bem!!