segunda-feira, 16 de maio de 2011

Corpo profano!

         Meu corpo é sua fonte de prazer
onde tu bebes e sacia-te.
Corpo esse em que tu deliras, enlouquece
e se deleita em êxtase!
Aonde o meu prazer chega transgredir
de minha carne à minha alma.

       Há um fogo que me queima
deixando - me tão vadia e louca.
Idolatre-me, possua-me e satisfaça-me,
puxe os meus cabelos longos
ama-me de todas as maneiras,
atravesse todas as fronteiras.
     
     Entre latejante e ardente faça seu sentimento pulsar forte e com luxúria dentro de mim,
num demente vai e vem delirante,
até que nossos corpos possam se fundir em uma só matéria.
O meu elo contigo é alem dessa vida.

    Sinto-me devassa, libertina, lasciva,
e ao mesmo tempo celestial e pura.
Sinto que gozo apenas com toques,
e o simples roçar de tua pele nesse meu corpo profano.

Sofi.

Nenhum comentário: