terça-feira, 7 de junho de 2011

Alma noturna.

         A noite chegou,baby, e esse é o melhor período para mim, o sol não está mais presente, com isso as sombras foram embora, as coisas e pessoas em nossa volta só são cópias em carbono dos seus originais. É como todos dizem:- De noite todos os gatos são pardos.

         Na calçada o camelô desmonta a sua barraca, por hoje a pirataria digital obteve o seu lucro sagrado. Elvis vendeu mais um milhão de cópias, mas nisso só há um detalhe, tanto a sua gravadora como a sua família nunca saberão desses números, não digo a mesma coisa da máfia chinesa.

        Os bares a partir das oito começam a encher e as jukeboxes dos puteiros se enchem de moedas para que possam tocar mais um clássico cafona da musica popular brasileira.  As garotas de programa já pedem bebidas a seus clientes para garantir sua porcentagem nas vendas do álcool que dão lucro ao cabaré em que trabalham.

       Bêbados cruzam o meu caminho como moscas fedorentas que se levantaram de alguma vala imunda, muitos deles conversam com alguém que somente sua imaginação ébria consegue enxergar. A luz prateada da lua cheia bate em seus rostos sofridos, me fazendo ver demônios em forma translúcida, que parecem habitar em suas almas corroídas pelo ódio e pelas desilusões que se sucederam em suas pobres vidas.

     Entro em uma dessas igrejas dos desiludidos e dos fodidos existenciais, estou falando de um boteco qualquer, sentindo o ambiente logo de cara, parece que jogaram um spray de decadência no ar. Encosto no balcão e peço um uísque com bastante gelo, uma garota jovem e vulgarmente vestida se aproxima de mim pedindo-me para que lhe pague uma bebida, eu sei onde isso vai parar, em uma transada rápida no banheiro dos fundos daquela fétida pocilga. 

    A noite vai se esvaindo pelos vãos dos meus dedos como a areia se esvai pelo orifício de uma ampulheta, meu tempo está acabando, baby, aqui a pouco o sol vai nascer de novo, e tudo novamente será coberto pela camuflagem da mentira, afinal ninguém consegue ser autentico sob a claridade da luz solar.

   Assim que o dia raiar as máscaras da hipocrisia e da desfaçatez serão devidamente recolocadas.

   Eu vou voltar para minha casa que fica na periferia da cidade em que as suas paredes cheiram a mofo, vou levar comigo a garota que conheci naquela decadente espelunca, pois ela assemelha-se um pouco a mim, não parece ter muita gente com quem possa contar.

  A noite foi embora destruída pelo dia baby, e os vampiros noturnos se foram também com ela, mas apenas para dar lugar a outros tipos de vampiros, os diurnos.

ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS. 

2 comentários:

Velcan Pendragon disse...

Amei a simplismente perfeito é perfeito ,como sempre magnifico no que escreve meu caro amigo .
Tem selinho pra vc lá no meu blog
http://bruxasevampyros.blogspot.com/p/selinhos.html

beijos espero que goste

Anonymous disse...

Profundo, e autentico, entre no face e acesse gustavo rugieri da silva, existem relatatos parecidos.