Google Translate

Hades. I Capitulo. Passos sombrios.

sábado, 9 de julho de 2011.
         A lua prateada iluminava o céu da cidade parecendo sorrir lá de cima com o cinismo de quem contempla há milênios os passos errôneos do homem nas sombras sobre a terra em que ele habita. Ela caminha languidamente olhando para esta mesma lua e lhe devolvendo o sorriso pleno do mesmo cinismo, seus passos são marcados pela unção de uma sensualidade única, os olhos dos trausentes que passam ao seu lado não tem como resistir-lhe um olhar de desejo e poderosa cobiça. Seu corpo de proporções voluptuosas fascina a alma dos machos e das lésbicas que salivam de vontade em possuí-lo quando ficam em sua presença.

        Mas essa mulher está longe de ser uma caça, antes ela é uma invencível caçadora. Como uma Diana moderna ela corre pelos bosques urbanos de vidro, aço e concreto prendendo na malha espessa de sua rede as suas fáceis presas humanas. Sim, de preferência humanos do sexo masculino, que levados pela sua libido desenfreada pensam poder tê-la em seus braços como se essa mulher fosse uma mortal qualquer.

        No entanto a mortalidade dos humanos não faz parte de sua natureza, pois nada há de humano nela. O que habita em seu âmago é a imortalidade de uma das filhas das trevas.

        Ela atravessa a avenida central da cidade de um extremo ao outro, o seu sobretudo negro esvoaça com suas abas ao vento cortante que atravessa seu belo corpo sem lhe trazer sensação de frio algum, afinal não há alteração alguma na natureza que lhe afete, pois essa criatura da noite costuma comandar os elementos dos reinos animal, mineral e vegetal.

        Sua mais nova vitima a espera sentado á mesa de um café na área central da cidade, esse foi o ponto de encontro marcado pelos dois ao telefone, após terem se conhecido há uns dois dias atrás em uma danceteria. Se ela quisesse poderia tê-lo jantado na mesma noite em que se toparam no barzinho junto a pista de dança, mas caçadores de sua espécie estavam rodando o perímetro e não seria seguro agir naquela referida noite, tal atitude equivocada de sua parte poderia lhe custar sua vida imortal.

        Então antes de evadir-se, ela teve o cuidado de passar o numero do seu celular aquele atraente macho humano que aparentava ter seus vinte e cinco anos, o tipo que ela adorava vitimar, sim, tinha verdadeira adoração pelos jovens e pela juventude em si. Ela nas noites de lua cheia costumava banhar-se no sangue de suas vitimas joviais para conseguir conservar sua juventude usando o poder mágico desse liquido viscoso e sanguíneo delas.

Continua.

ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS.

1 Comentário:

Velcan Pendragon disse...

Uau descreveu perfeitamente uma vmapyra caçadora e sensual, o toque final foi a semlehança com a condesa saguinaria Elizabeth Bathory , se banhando em sangue , agora que degustei de tais palavras anseio por mais , aguardo anciosamente .

Cordialmente Velcan Pendragon

TEXTOS E CRÔNICAS DO ANJO DAS LETRAS. © Copyright 2007 - 2017 | Design By Gothic Darkness | Editado por Lizza Bathory