sexta-feira, 9 de setembro de 2011

A Deusa da carne!


             Ela brinca com delírios vertiginosos e de múltiplas cores, esta mulher é um vulcão irado cheio de desejos tentadores. Seus cabelos são lisos e a cor dos seus fios é aloirada, sua pele é alva e tem a maciez de uma nuvem branca feita de algodão. Seus olhos cintilantes são verdes esmeraldas e seu rosto é de uma beleza que antes dela, ainda não fora inventada.

             Sua voz é rouca e exprime uma sensualidade penetrante que devora a alma de quem é atingido por ela. Esta menina tem estatura alta, ancas largas e nádegas grandes e redondas, incrivelmente arrebitadas que ao seu movimento deixam sem ar quem com o seu olhar as acompanha.

            Esta garota nunca é caça mais é sempre a caçadora, gosta de seduzir com seu sorriso branco, lindo de morrer, este seu sorrir é emoldurado por lábios carnudos e bem desenhados e que o faz se encerrar em um esgar de uma essência divinal. Quem fixa as suas retinas nesse seu sorriso, cai em uma armadilha semelhante aos dos navegantes da antiguidade que paravam para ouvir o canto hipnótico das sereias.

            Esta jovem mulher quando se veste o faz para sair com o intuito de matar, a dedo escolherá dentre muitos homens, aquele que será a sua mais nova vitima.  Ela ama se ausentar de sua casa para ir dançar, e dançará com extrema paixão até todos os olhares se voltarem em sua direção, até todos os corações sejam masculinos ou femininos se curvarem ante sua divindade de Lilith encarnada e dos tempos modernos.

            Seu perfume inebriante foi feito com a seiva escorrida da fruta de carne piramidal de uma das ninfas amantes de Dionísio, as essências das quais foram feitas os seus batons, procederam do sangue divino de Vênus.

            Ela bebe sexo e transpira fetiches nunca antes praticados por ninguém. Da taça ébria e sagrada que segura em suas mãos borbulha a poção de uma paixão concupiscente e de uma atração irresistível. 

            Esta fêmea de espírito sensual e alucinante nunca faz amor, pois o que adora fazer é copular animalescamente a noite inteira até o seu corpo, coração e anima femininos esquecerem toda dor neles existente.

Sua luxuria é uma serpente de fogo mágico que se entrelaça na coluna dorsal de sua alma orgástica e que guarda em suas presas místicas o doce veneno de um prazer carnalissimo e de um paladar transcendental.

O nome dessa mulher é proibido com os lábios pronunciar ou escrever com a mão no branco do papel, mas todo homem o grita no choro do seu nascimento, no urro dos orgasmos que teve no transcorrer de toda a sua vida e no ultimo suspiro que lhe sobrevêm quando dá adeus a essa sua breve existência humana.

ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS. 

Um comentário:

Sorry i cant fly... disse...

Maravilhoso texto. Encantador como sempre. A proposito não sou a Loba de Ray Ban...rs A loba é a Lou e ela tem seu perfil em seu blog. É uma morena linda mesmo...rs