terça-feira, 8 de novembro de 2011

Liberando meus desejos sensuais que moram dentro de mim!


           A vida sem desejo não tem cor alguma, aqueles que lutam contra ele são eunucos de suas próprias sensações. Que insensatez tentar sufocar a manifestação dos nossos sentimentos sensuais que gritam por liberdade dentro de nós, pois reclamam para que os deixemos com que se soltem da clausura de nossa auto-repressão que criamos e com a qual os deixamos presos.

          Eu vivi muito tempo assim, me reprimindo, no entanto não pretendo incorrer mais nesse erro. Por isso me entrego a ti meu amor, sem medos, sem entraves, sem pudores, despido de tabus e conceitos moralistas criados por essa nossa sociedade hipócrita e no fundo, no fundo, imoral.

         Os meus desejos libidinosos pela mulher que tu és, eu deixo fluir livremente da minha alma por todo o meu corpo. Uma cachoeira de vontades devassas deságua em meu espírito masculino, eu então me deixando levar pelas águas libidinosas dela, acorro aos teus braços de mulher para ter um encontro com as delicias esplêndidas que moram em teus abraços de amor.

         Nestes momentos onde parece que o Nirvana se encontra com a terra, dispo-me de minhas vestes levado pela febre dos meus quereres carnais. Assim que me encontro totalmente nu, eu então começo a deliciosa tarefa de despi-la para tê-la diante de mim, só carne, pêlos, pura visão aliciadora, capaz de levar um homem a loucura extasiante do seu próprio desejo.

        Beijando-nos como dois loucos, incendiamo-nos no fogo desta vontade insana de possuir por completo o corpo um do outro. Línguas que se entrelaçam em chamas, braços que se abraçam sobre as cores psicodélicas do orgasmo que nos virá. Suores que brotam feito cascatas de nossos poros dilatados, cheiros envolventes e extasiadores de nossa pele bronzeada e transpirada por conta do exercício sexual realizado por nós.

       Tudo isso, é o nosso ritual sagrado, é o nosso ritual da carne, celebrada em uma liturgia da suprema lascívia humana, cantada por nossos lábios batizados pelos ósculos de Eros e Afrodite, esses nossos mesmos lábios que entoam hinos de louvor e adoração a essa Deusa-Serpente-Mistica chamada Luxuria.


       Ao fim desse nosso ato sagrado,quando esse espírito de poder e força nos visita,este a qual chamamos de “ORGASMO”, ele me faz ter a graça incomensurável de ouvi-la gritando de prazer. Gozando com a torrente poderosa de luz da alma ardente do teu útero, pois a musica dos teus gritos orgásticos são para meus ouvidos de um homem que te ama, tão aplausíveis quanto as mais celebres sinfonias de Beethoven.

ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS.

2 comentários:

Sorry i cant fly... disse...

Que texto divino. Uma declaração que com certeza proporcionará excelentes momentos com a pessoa amada concretizando o que sempre buscamos... a felicidade plena.
Bjlhões.

C. Dorothy disse...

"...Nada é mais intenso que essa febre de delirios que usaste, trazendo de longe esse grito de gozo supremo...adorei ler-te, suas palavras orgásticas me fizeram voar até o nirvana...Prazer meu amigo...muito prazer mesmo!!!