Google Translate

Corredeiras do tempo!!!

sábado, 17 de dezembro de 2011.
            Eu queria me lembrar das coisas que tu recordas em teus sonhos transcendentais, desejaria ardentemente ver com teus olhos o que sonhas naquelas noites em que os Deuses visitam-te em teu leito de descanso.

            Sonhas comigo e contigo, no entanto nestes teus sonhares não nos vê nesta vida presente, tu nos assiste em existências passadas, nos contempla vivenciando amores proibidos em séculos e em tempos antigos.

            A voz do nosso amor parece ecoar nos corredores do tempo, nossa paixão assemelha-se a um arpão místico que perfura os céus e que escala as cordilheiras das eras, insiste em navegar nos oceano dos milênios e deste modo ousa desafiar os deuses da imortalidade.

            Salvaste-me da seta do ódio que meus inimigos lançaram contra mim, limpando o meu sangue do atroz veneno que ela carregava em sua ponta. Depois que fiquei curado, por entre os brancos campos de trigo onde em tardes amenas nos acostumamos a caminhar, tu resolveste um dia de forma surpreendente falar-me do amor de natureza mais pura que eu já houvera ouvido em toda a minha existência.

            Em uma outra noite também sonhaste que em um torneio medieval eu me entregava a um embate contra um velho amigo, e do meio do povo que assistia a tudo, tu viste com pesar a lança daquele que me dizia ter amizade sincera jogar-me violentamente ao chão. Ali pelo peso da minha armadura fiquei estirado ao solo sem conseguir me mover.

            Há alguns dias atrás me falastes que te lembrastes em um destes teus sonhos que em um tempo e lugar muito distantes daqueles em que atualmente vivemos, eu e tu em mais um de nossos encontros de amor, geramos no interior do seio de nosso romantismo apaixonado uma criança, um filho amado. Uma semente proibida perante as normas rígidas de conduta impostas por aquela sociedade e época em que vivíamos.

            Agora eu estou aqui, apenas querendo entender o mistério místico destas lembranças que os Deuses do amor lhe permitem ter nas noites em que Hipnos te conduz em sua barca ao seu reino do sono reconfortante.

            Agora nesta vida eu estou aqui, longe de tua presença de fada afável, distante dos teus beijos de mulher-sereia, privado dos teus abraços de filha de Cerridwen e Cernunnos, querendo lembrar-me de um amor que só não é mais antiqüíssimo que as mitológicas barbas de Cronos.

ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS.

À menina dos sonhos mágicos. Que os Deuses menina, te tragam sempre bons sonhos.

1 Comentário:

Anonymous disse...

Sonhei com um amor de romance, acreditei que a alma gemea existia, vivi uma vida esperando, sonhando e um dia, enconteri você.

Monica Motti

TEXTOS E CRÔNICAS DO ANJO DAS LETRAS. © Copyright 2007 - 2017 | Design By Gothic Darkness | Editado por Lizza Bathory