quinta-feira, 3 de maio de 2012

A bacante de boca vermelha!!!

            Tu te levantas como uma Deusa da fertilidade sobre mim, tua sombra de natureza sagrada e profana me encobre totalmente, de um dos teus seios brotam três gotas de leite que ao serem tomadas pela minha boca, tornam-me um semideus invencível e de asas compostas por chamas.

            Tu irrigas a terra com teu orvalho menstrual e fazes nascer nela a Árvore da Ciência do Bem e do Mal e dela me aconselhas comer de seu fruto. Tu me ensinaste que sem feminilidade não pode haver divindade alguma.

            De tua boca vermelha me vem o beijo que me transmuta em um sábio sátiro que tocando a sua flauta, encanta as crianças que foram enganadas pelos Deuses monoteístas que portam consigo um falo, e faço-as voltar novamente para a Casa Matriarcal da Antiga Deusa.

            Tu me escondes no período de verão nas carnes de tuas coxas para fazer-me renascer somente na chegada do inverno. Sou então teu filho, e teu consorte, o meu sangue guarda em sua essência a alma do teu.

            Abraço o teu corpo deificado e ao mesmo tempo profanizado, como a paixão abraça a luxuria. Busco o interior de teu útero como um sacerdote-pagão procura a segurança de um Templo erigido aos seus Deuses. Com o poder fertilizante dos teus orgasmos, tu fazes com que germine em meu âmago de homem apaixonado, a primavera com todas as suas flores perfumadas e luzes poéticas. Derramo-me no altar do teu amor para que tu possas me beber com tua boca de bacante em estado de êxtase.

ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS. 

2 comentários:

Fernandes disse...

Caro amigo, não há como não se deliciar e se envolver ao ler sua poesia, meus parabens!

Sorry i cant fly... disse...

Inebriantes palavras.Como em todas as tuas poesias e poemas.
Bjlhões.