sexta-feira, 18 de maio de 2012

E tu te despes diante de mim!!!

            Despes-te diante dos meus olhos fascinados com uma insaciedade que parece não conhecer um fim, retirando peça por peça do teu vestuário enquanto olhas para mim com uma expressão de uma malicia tal, que me incendeia o corpo e a alma. 

            Sorris salivando traquinagens sensuais que desejas fazer comigo, brincas com o fato de nesse momento enquanto assisto embevecido este teu estrip tease, de que sou um mero objeto do teu desejo em tuas mãos.

            Sobe-me nesses instantes um calor fragoroso por toda a minha carne, desta forma fico em chamas por causa do teu comportamento desavergonhado de mulher que anseias em possuir-me de qualquer forma e jeito.

            Por fim atira-me a ultima peça de tua roupa intima em meu rosto, é a tua calcinha de renda preta, ela que cheira o odor procedente da tua fissura molhada e felpuda que existe no meio de tuas pernas grossas e de pele aveludada.

            Atiras teu corpo sobre o meu quando assim finalmente acabas de ficar totalmente nua, digo-te que só me sinto sagrado quando sou tragado por esta tua nudez de pelos, carne e ossos. Reconheço que só me sinto vivo quando sou submergido em teu útero divino.

           Em teus braços me protejo do caos da violência criada pela minha alma patriarcal.

           Tu és minha como o orgasmo sublime é do sexo sacrossanto.

ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS.

Um comentário:

Guria Faceira disse...

ola meu rico

nossa maravilhoso poema

intenso provocante

simplesmente adorei

bjim guri