quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Alma gêmea!!!

            Eu nunca entendi teu amor tão incisivo e obcecado por mim, em nenhum momento percebi que a tua alma em primeiro lugar tinha se apaixonado pela minha, para logo depois se entregar em devaneios de amor feito de puro fogo pelo homem que eu sou.

            A minha alma agora eu sei te conheces há tempos, ela hoje me parece dizer que é irmã gêmea da tua. Espero que não tenha sido tarde demais para eu ter descoberto tal verdade.

            Sempre tentastes me ensinar o melhor do amor, que aparências não são tudo, pois aquilo que trazemos em nosso interior sempre foi e é mais importante do que tudo. Nunca me olhastes com os olhos físicos que só visualizam o exterior de todas as coisas, mas continuamente procurastes fitar-me com teu olhar espiritual, afinal com ele, sempre enxergastes aquilo que eu trago constantemente dentro de mim.

            Em tempo algum deixastes de ser paciente comigo, nem mesmo quando te dirigi as ofensas mais graves e de natureza absurdíssima. Lembro que mesmo ferida e despedaçada procurastes me perdoar movida sempre por teu imenso amor pela minha ingrata pessoa.

            Confesso-te que fui o maior dos tolos por não ter te enxergado como devia, e por não conseguir compreender a pureza e a sacralidade de teu grandioso sentimento romântico por este pífio inseto que atualmente reconheço-me ser.

            Passastes por tempestades de nuvens de cor de chumbo em nome dessa paixão que não tinha e nunca terá nome, valor ou medida, de tão incomensurável que ela é.

            Nos dias atuais tu me dizes que já não me amas mais, entretanto, não consigo acreditar em tais palavras desconsoladoras, e isso porque meu coração grita-me com paixão que um amor único como este não pode acabar desta forma.

            Agora te busco entre as sombras da minha tristeza, esperando que Mãe-Gaia ajude-me a recuperar teu amor perdido, ou ao menos, que a faça dizer a verdade, a verdade escondida a sete chaves dentro deste teu coração de ouro partido. De que tu minha menina-mulher, me amas ainda por demais.

ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS.

Nenhum comentário: