Google Translate

Carla Roberta!!!

domingo, 13 de janeiro de 2013.
            Desfilas na Avenida de uma sensualidade cheia de negritude, uma negritude que de tão divina dá é água na boca. Teu samba no pé contagia as almas que te assistem, oh, passista filha dos Deuses, oh, dançarina filha de um rei chamado Momo.

            Em cima de tuas sandálias de salto alto, não vislumbras o mundo como ele é, mas como tu gostarias que ele fosse. A bateria toca em alto e bom som exprimindo o grito dos orixás, fazendo as mulatas e a roda das sábias baianas serem abençoadas em um batismo com suor, sangue e com a música que foi criada na senzala, e que nos tempos atuais fica tatuada no asfalto do sambódromo.

           Refulge o brilho da vida nas lantejoulas da fantasia que vestes, buscas nas arquibancadas cheias de gente o sorriso lindo de teu filho, e as bênçãos saudosas de tua tia e de tua avó. Olhas para o céu forrado de estrelas e tenta tocá-las com as pontas de teus dedos, e sabes que um dia quando partires desta vida, tu subirás se reunindo a elas no mais alto do infinito.

           Do meio de tais estrelas consegues ouvir o cântico de bênçãos procedentes das bocas de Chica da Silva, Zumbi dos Palmares, e de todos aqueles que um dia foram escravos, e ajudaram a construir com o derramamento de seu sangue sagrado, parte das riquezas deste nosso país, quando o período sinistro do estalar da chibata ainda era vigente.

           Mas tu és livre, assim como hoje todos os teus irmãos são livres. E eu só sei te querer, não penso em outra coisa do que em possuir-te ensandecidamente. Eu te peço, oh, semente da matriarca-gentil que tem por nome Mãe - África, que tu não me negues o teu amor, que nem passe pela tua cabeça privar-me do contato de teu corpo nu.

           Vinde há mim, dai-me de beber dos rios de esplêndidos gozos que correm desabaladamente do meio de tuas coxas formosas, deixai-me ser lavado por tais águas, e permiti assim, que eu vislumbre as faces ditosas de todas as Deusas do amor, que tem as suas peles pintadas com a divinal cor do ébano.

ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS. 

Salve a princesa de cor negra que desfila na Avenida do samba, mostrando seu formoso corpo seminu, revelando sua alma sagrada de mulher, e de tataraneta da Mãe - África.

A pintura usada para ilustrar o texto publicado acima,é intitulada como "Mulata," do artista plástico Di Cavalcanti,- (Rio de Janeiro,- 6 de setembro de 1897 - Rio de Janeiro,- 26 de outubro de 1976).

3 Comentários:

Natan de Alencar disse...

Muito bela. Talvez porque esteja cheia de tua verdade. Talvez porque nunca amaste tanto como agora. Há a contenção e o jorro nos momentos certos.

Anonymous disse...

bom nem sei como te agradecer eu amei se eu morrer hoje e Deus PERGUNTAR se eu tive um grande amor eu falei que sim e o nome desse amor È vc EU TE AMO OBRIGADO POR SER ESSE HOMEM TAO MARAVILHOSO QUE TU é ASScARLA ROBERTA SUA ETERNA DEUSA DO EBANO

Anonymous disse...

Transparece em tua poesia toda a beleza do ébano da mulher negra, toda delicadeza, perfume, paixão que emana dela. Além do jorro de amor que deixas bem claro em tuas palavras. E amar é muito bom! Parabéns, amigo.

TEXTOS E CRÔNICAS DO ANJO DAS LETRAS. © Copyright 2007 - 2017 | Design By Gothic Darkness | Editado por Lizza Bathory