sábado, 27 de abril de 2013

Senhorio concupiscente!!!

       
        Eu sou teu dono dentro da verdade mais absoluta possível, e tal realidade está marcada em tua pele alva, pele de fêmea que saliva o desejo de uma inconcebível perversão.

       Gritas o que tua alma te inspira a gritar quando te toco com aquela demência sensual a qual somente eu sou portador. As palavras que saem de dentro de tua boca abismam até mesmo as ninfas que habitam as florestas da sensualidade mais vívida.

       Nossos destinos foram traçados por esta divindade que se chama desejo e que sempre foi execrada pelas almas puritanas. Agora no nosso caso, não há como dizer “não” ao seu chamado sagrado e de natureza proibida.

       Sim, eu sou teu senhor por inteiro da mesma forma que o céu é senhor da terra, e nos beijos, arranhões e tapas que lhe dou deixo em ti a marca deste meu senhorio indiscutível.

       Em meio aos lençóis e almofadas limpas e macias eu te mostro um paraíso de orgasmos que a tua devassidão mais insana nunca ousou imaginar que existisse. Montado em ti eu cavalgo deleites surreais, transpiro prazeres invertebrados, cultuo a luxuria em sua face para lá de incontemplável.

       Velados pelo dossel de nossa cama de vertigens carnais, inundamo-nos de nossos suores de odores afrodisíacos, entregues a essa coreografia de animais possuídos por suas paixões mais tempestivas correndo desabaladamente em direção a um fogo de uma libidinosidade sagrada que nem Prometeu assim como Deus algum, já houvera vislumbrado.

 - ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS.

6 comentários:

Natan de Alencar disse...

Um texto feito para A MULHER, como eu pensava. Uma escrita que certamente seria assinada por Anaís.

Gaia Lil disse...

SOBRE O SEU COMENTÁRIO NO TEXTO DE LILITH:

Volte-mos a boa e velha etimilogia.
A a palavra dêmonio provém do grego e significa mensageiro ou mais literalmente "mensageiro divino" ou ainda mais simples gênio ou espírito que provêm de materia incorporeá. Na Bíblia quando Cristo extrai o demonio de seu devoto na verdade ele se refere a um espírito.

o papel de lilith como daimon/dêmonio/mensageiro:

"A história que podemos lembrar de Lilith começa com Innana, a neta da deusa Ninlil, conhecida como "Rainha dos Céus".

Daí, através dos séculos, a Donzela Lilith, que buscava os homens para o Templo de Innana, se tornou no patriarcado o símbolo do mal supremo. Ela encarna de todas as formas e por milênios o medo atávico do homem do poder sexual da mulher."

http://sagrado-feminino.blogspot.com.br/2009/10/lilith-alem-das-faces-de-eva.html

uma donzela que buscava e levava os homens ao Templo da Deusa, logo uma mensageira divina, um daimon.
Dêmonio nada mais é que uma palavra que ficou estigmatizada pela cultura popular.

O mísitico disse...

Este trabalho em específico deixo-me um tanto sombrio. Parece-me que a figura da mulher foi colocada numa posição de objeto, fugindo ao tema do geral do blog, que na maioria das vezes dignifica a mulher. Há também muito sexo, as emoções estão muito carnais e o sagrado feminino não é expresso somente pelo corpo. Dá a impressão que os seguidores da deusa somente pensam em sexo. Gostaria de ler algo menos próximo do profano e mais próximo do sagrado.

Natan de Alencar disse...

Creio que este trabalho me deixa claro. Um poeta não pode sofrer limites em sua poesia, ou melhor, em seu poema. Há horas que a carne é chamada pelas palavras, outras algo mais total as pede. A questão sexual é mais complexa do que a noção de pecado, explícita nos cristãos e implícita em outras crenças que, no desejo de se estabelecerem como sérias, acabam incorrendo nos mesmos vícios sagrados das crenças tradicionais, colocando o sexo como menor, em suas concretudes ou taras (palavra tratada de forma reducionista também). Talvez o hindu que segue o tantra se aproxime mais da visão que deve se ter do sagrado sexo.

Jane Simon disse...

A impressão que tenho é que não importa a cultura, a seita, a religião ou qualquer que seja a inclinação "religiosa", a mulher sempre será a parte dominada. O eu lírico do poema exerce sua força e apelo sexual como maneira de impor-se à mulher. Percebe-se que ela não tem o poder de escolha, é simplesmente exigida como um ser submisso que não tem nada a dizer sobre si mesma, pois nada lhe pertence, nem corpo, nem alma. A mulher não é um ser voltado para a satisfação crua dos desejos animalescos do homem; é um ser forte, que já passou e ainda passa por diversas atrocidades e deveria - pois isso ainda não acontece - ser vista como ser pensante, atuante e dona de sua vida. Sob meu ponto de vista de mulher, o poema mostra claramente que o machismo impera até mesmo sob a forma lírica.

Natan de Alencar disse...

“Sonhar ser dominado coincide com a fantasia de se sentir irresistivelmente sexy”, fala a sexóloga Marina Simas de Lima, do Instituto Paulo Gaudencio, em São Paulo...Então, penso que uma coisa é a fantasia erótica e outra coisa é a mulher desrespeitada "ipsis literis". Peço até ao ilustre poeta que crie uma história em que essa fantasia se inverta e seja a mulher a dona...Felizmente, apesar dos sagrados se confundirem, se parecerem, meu amigo poeta, resta sempre a Arte e a Fantasia nela embutida...Claro que, como disse um amigo, a concepção de Arte de um John Lennon, Obama, Lula, será sempre diversa da de um Hitler. O perigo é se a nossa concepção se assemelhar a de Hitler.