Google Translate

Toque devasso

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014.
          Deixa-me tocar-te com aquela fome que só eu sinto por ti. Permitas a mim dedilhar-te como fosses um teclado de piano a esperar meu toque único, pronto a te levar aos abismos celestiais do deleite infindo.
        
        Quero fazer com que te arrepies ao meu tato de macho sedutor, habituado a provar grande variedade de vinhos, apto a destilar todos os gostos que teu corpo de fêmea fogosa poderá me proporcionar.
       
        Atrevido como sempre, vou deixar-te unicamente de calcinha, desnudando-te pouco a pouco. E, logo depois, vou livrar-te desta tênue, pequena, no entanto, fascinante peça.
        
        Amo contemplar mulheres vestidas apenas de calcinhas, antes do massagear erótico das peles e do penetrar do falo.
        
        E, quando eu te deixar totalmente nua, agarrar-te-ei o pescoço por entre os teus cabelos longos, e te puxarei ao meu encontro, na direção de minha boca, beijando-te de forma estonteante, febril, fazendo com que a cachoeira de tua excitação escorra por entre as pernas, lavando-as com as águas dos teus fluídos sublimes.
        
        Também permitirei que me dispas, te expondo meu corpo nu, fazendo-te arregalar os olhos, mediante a ereção do meu falo, que acharás surpreendente, em tamanho, diâmetro e robustez, levando tua mente a delirar e teu corpo a tremer em ânsias árabes de mil e uma noites.
        
        Eletrificada por tal visão, ficarás de joelhos diante de mim e tomando meu sexo ereto em tuas mãos e boca, me conduzirás pela estrada escarlate da loucura sensual, em deliciosa e fremente felação.
        
        Como é enlouquecedor sentir-te a boca e língua sugando minha lança fálica com a sofreguidão de uma devassa, com selvagem interesse de brincar com meus testículos até tirar a última gota das suas águas seminais.
        
        E, antes que um gozo descomunal me advenha, afasto-te a cabeça do meu membro molhado e intumescido, levanto-te pelos ombros, jogo-te em nossa cama, e, febrilmente, abro-te as pernas com firmeza hábil, e, movido por paixão de garanhão puro-sangue, penetro-te em uma estocada só, tirando-te um grito que mistura prazer e dor.
        
        Depois de várias outras estocadas que se seguirão àquela primeira, farei com que nós dois explodamos em um orgasmo longo, suado e poderoso.
        
        Deitado sobre ti, suando em bicas, sentirei teu abraço mais forte, assim como te ouvirei, bem juntinha aos meus ouvidos, dizendo assim:  - Tu és meu macho e tua virilidade só é comparável à luz sublime dos deuses, a me iluminar da cabeça até o recôndito mais profundo do meu útero.

- ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS

  Revisão ortográfica e textual de Natanael Gomes de Alencar. 

1 Comentário:

Cristal de uma mulher disse...

tuas letras deliciam todos os frutos do paraíso meu querido..
Me sinto jorrada de mel e da mais doce essência que me leva ao êxtase de minhas cavernas profundas...Quanto calor!!!!! Ufa!!!

Beijo querido

TEXTOS E CRÔNICAS DO ANJO DAS LETRAS. © Copyright 2007 - 2017 | Design By Gothic Darkness | Editado por Lizza Bathory