segunda-feira, 17 de março de 2014

Beija-flor de asas libidinosas.

        Eu sou o beija-flor que oscula a flor do teu seio, que suga o néctar que reside no botão rosado do teu mamilo. Minhas asas se batem produzindo os ventos de uma luxuria extraviante.

        Eu me ergo sob a luz do meu desejo, e beija-flor que sou, beijo desmedidamente tua boca rubra, tal rubor procede deste prazer que em ti se acende quando  este meu beijar  vulcânico a atinge.

        Nos jardim dos deleites infindos, tu cresces feito flor que possui pétalas escarlates, e eu com minhas asas de beija-flor carregando consigo a essência de um anjo, aproximo-me de ti para roubar-te a inocência guardada em tua fenda triangular
rosada.

          E então me refestelo tomando do sumo fresco que escorre sagradamente desta tua fenda piramidal, e pecadoramente recebendo em meu intimo tal bendita bebida, ecludo numa explosão onde sensações de prazer e satisfações misturam-se furiosamente.

        Tal qual um beija-for possuidor do espírito de um sátiro, alço meu voo vertiginoso sobre teu ventre de mulher floral, concedendo-te um gozo tão profundo, que as ninfas da terra correm ao teu encontro para amparar-te, quando cais desfalecida em nosso leito de delícias douradas.

- ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS.

                            Ei, deixa-me ser teu Beija-flor?

Nenhum comentário: