Google Translate

O canto profético do útero.

sábado, 19 de abril de 2014.
          Cubro-me com o véu menstrual da minha sacralidade, e acendo o meu fogo uterino na tocha da minha alma de mulher. Minha face ainda não pode ser contemplada, porque não me foi permitido subir a ELA, aquela que sempre existiu, a INCRIADA.

Lisboa está tão longe de mim tanto quanto a possibilidade de que eu possa ouvir a voz de Fernando Pessoa. Se por enquanto não posso ouvi-lo recitar a sua poesia perfeita em sua essência, ao menos serei capaz de gravá-la em fogo nas tábuas seculares do meu espírito.

As águas purificadoras da vida correm submissas sob os meus pés, e um oceano de criatividade fulgurante existe dentro de mim. Com minhas próprias mãos alvas matei os leões da misoginia, e com meus pés de mármore esmaguei as serpentes do patriarcado hiperfálico.

Envergonho-me daquelas mulheres que frequentam por sua própria vontade o QUARTO VERMELHO DA DOR, pois estas são portadoras de uma espiritualidade vazia e tem a sua psique corroída pelos ratos obscuros de um machismo agressivo e dominador.

Por estes dias eu vou me retirar ao deserto, e lá jejuarei e orarei àquela que porta o caldeirão negro aos seus pés, na mão direita o cálice menstrual e na mão esquerda o athame sagrado, em redor da sua cabeça estão dispostas as sete luas da magia, e diante de si ELA tem todas as nações curvadas em plena submissão. 

Lá me alimentarei com as maçãs vindas da sagrada Ynys Wydryn e beberei da água provinda do poço divino de Segais. Em momentos de pura transfiguração poética conversarei com Deusas primais, elas que são tão antigas quanto o próprio planeta terra.

O tempo urge e ruge com toda fúria dos dragões sagrados que foram esquecidos pela humanidade, eis que ele fará que o momento dos momentos logo chegue, quando a árvore do conhecimento abraâmico cairá por terra, para dar lugar à árvore da ciência de Gaia.

E então homens, mulheres, crianças e anciões verão um novo trono como um sol retumbante raiar por entre as brumas do esquecimento humano, e sentado nele, contemplarão com o seu olhar surpreso; a Antiga Mãe. E todos conhecerão a verdade que foi ocultada pelos filhos da religiosidade monoteísta.

Que antes do Pai, ELA desde sempre existiu.Que antes do VERBO ser enunciado e feito carne, ELA a Grande Senhora, já reinava andando ao lado dos nossos ancestrais.

Então o grande ídolo da mentira será aniquilado e a terra que foi salgada e tornada estéril pelo sal do poder fálico, será renovada pela luz primaveril e refulgente do seu útero divino.

Eu fui, e sou e sempre serei a altíssima sacerdotisa do sol e da lua, filha da graça matrilinear divina, irmã da terra verdejante, e o cumprimento da grande profecia: Que o lírio vencerá a espada, que a gazela pacificará o leão, e que o MASCULINO reencontrará com a ajuda do FEMININO DIVINAL, o caminho sublime do SAGRADO.

-ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS

3 Comentários:

Clara Sol disse...

Bom dia amigo Elton.
O que seria o"O canto profético do útero".
Uau! Uma bela poesia e que poesia.Desta que rebate dentro do útero literalmente.Consegui me tocar fundo, pois é deveras sensual.
Um excelente final de semana e que Deus te ilumine seus caminhos.
Agradecendo por partilhar e sempre que postar temas tipo estes, me indique, pois adoro prestigiar os amigos.Abraços sempre.
ClaraSol.

Ronilda David/Loubah Sofia disse...

Estar aqui é como se tivesse eu adentrado de fact pelos umbrais do sacrado e a ouvir algures o mantra da santa essência,luz do nosso mais puro eu.

Pela primeira vez testemunhei a mulher ser honrada como ser ambivalene que é.

Muito apreciei este ambiente cuja beleza,exala dignidade e graça.

Meus melhores cumprimentos Poeta e felicitações por teu dom poético.

Desejo-te um dia abençoado.

Marli Terezinha Andrucho Boldori disse...

Bom dia, Elton
Seu poema" O canto profético do útero", me levou a várias leituras e muita reflexão.È algo que não tenho palavras a altura de sua escrita para lhe deixar registrado o meu mais alto comentário. A sensualidade que descreveu deixa-nos a mensagem subliminar, nas entrelinhas encontramos mais que pedras preciosas, basta ter um olhar mais atento.
Parabéns! Grande abraço!

TEXTOS E CRÔNICAS DO ANJO DAS LETRAS. © Copyright 2007 - 2017 | Design By Gothic Darkness | Editado por Lizza Bathory