Google Translate

Deleite lácteo

sexta-feira, 25 de julho de 2014.
    Gosto quando o calor da tua boca percorre o desassossego do meu corpo. Tua língua me é adorável, querida, principalmente em seu passeio por minha tez.

    Tu me levas a voos consumidores, ao beijar cada pedacinho de mim, e desta forma me diriges a encantos dos quais eu não posso mais escapar, sendo que este teu jeito de acarinhar me conduz a prados reluzentes de um prazer que só pode ter como medida o próprio infinito.

    Este teu massagear, usando a boca de sereia devassa, faz com que meus lábios emitam gemidos e palavras desconexas, levando meus olhos a girarem em torno das suas órbitas, induzindo a minha alma a quase abandonar o meu corpo mediante o deleite profundo que tu me fazes sentir.

    Imploro-te que pares, sem quase suportar tamanho prazer, mas, tu não me escutas, oh, ninfa de espírito escarlate, e continuas a explorar o meu corpo lambendo-o e beijando-o com extrema sofreguidão.

    Enquanto me provas com o vulcão de tua boca rubra, tens o teu corpo em cima do meu, então é inevitável que eu sinta o teu cheiro de fêmea excitada, determinada a degustar-me por inteiro.  Assim como é inevitável deixar-me dominar por uma imensa sensação prazerosa que toma conta de mim, quando discirno este teu odor aprazível, ah, minha doce e selvagem mulher.

    Oh, santa alegria, quando juntamente contigo experiencio os rios dos nossos suores juntarem-se, antecipando os maremotos devassos do encaixar dos nossos sexos. Quando isto ocorre, parece que as nossas almas fundem-se numa só essência.

    Por fim, percebo quando aproximas a tua cabeça por entre as minhas pernas e lá a encaixas. E, oh, divina sensação, quando sinto a tua boca primeiramente se apossar do meu saco-escrotal, para logo em seguida engolir o corpo do meu falo, a tal ponto de eu senti-lo tocando o fundo da tua garganta.

    Depois de alguns minutos de sofrer essa mamada gratificante, gozo torrencialmente, derramando meu leite quente e viscoso por sobre tuas faces e lábios sanguíneos, presenciando-te a engoli-lo, desavergonhadamente, gota a gota, enquanto te extasias, a olhar-me, numa expressão lascivamente bela.
   
    Terminada essa felação deliciosa, sobes a tua boca, ungida com o meu leite-seminal, até a minha e tascas-me um beijo que regurgita cumplicidade e satisfação.

 - ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS.

E tu, oh, amada leitora, desejas me beber deste modo?

Revisão ortográfica e textual de Natanael Gomes de Alencar

1 Comentário:

Cristal de uma mulher disse...

Meu grande amado escritor de sonhos de amor e sensualidades que contagiam todas as extremidades de uma mulher quente e sensual..não é diferente comigo,e aqui eu me deleito sempre ainda que muitas vezes não deixe minha pegada,mas, saiba que tu é aquele que toda mulher gostaria de tê-lo na cama para saborear esta comida e esta bebida que são tuas letras!
Nada contagia mais uma mulher do que um homem doce e fogoso,portanto meu belo saiba que sou desejosa de ti mais que nem sempre se pode desejar o que ainda não se pode ter...A ti eu não posso ter neste momento,mas te conto que o amanhã eu não possa fugir de uma realidade..

Meu beijo mais que especial a um homem quente e amado por mim....

Rachel Omena

TEXTOS E CRÔNICAS DO ANJO DAS LETRAS. © Copyright 2007 - 2017 | Design By Gothic Darkness | Editado por Lizza Bathory