quarta-feira, 30 de julho de 2014

Serpente de encantos deleitáveis

        Eu te pertenço com todo o ardor da minha vontade, hoje e sempre. Habito em tuas mãos, pois, fiz delas um ninho de aconchego para este pássaro selvagem que sou eu.
        
        Agora eu não tenho outra direção a tomar, apenas aquela que me leva ao vulcão benevolente do teu seio, oh, mulher, serpente que porta em si mesma, o veneno de encantos que me paralisam totalmente.
        
        Teu ventre de mistérios atraentes é a tenda onde anseio morar, sim, morar abençoado pelos meus deuses antigos, e no interior desta morada plena de bênçãos divinais, pretendo encontrar-me e depois várias vezes, reencontrar-me com a tua sensualidade de fêmea voraz.
        
        Comprazo-me apenas com teu amor e teus carinhos deleitáveis, por esta razão sinto-me um homem feliz por tê-los somente para mim. Tu me complementas como os rios complementam o mar.
        
        Não troco a riqueza da formosura do teu corpo pelas safiras mais raras e preciosas que possam existir, não há um tesouro suficiente rico em comparação a ti, oh, meu amor mais querido.
        
        Minhas mãos transitam sequiosas pelo teu corpo, buscando a sensação prazerosa de tocar-te com tamanha intimidade, ao mesmo tempo em que, consigo tirar de teus lábios, gemidos de um prazer grandioso, por sentir-se acarinhada de forma tão profunda por mim.
         
        Amá-la sem medida é o meu grande objetivo, e tal objetivo eu o tenho até de forma obsessiva, então, a cada dia procuro transmitir-te este meu amor de modo diferente, e surpreendente. Digo-te em verdade, que desejar-te demais, é sim, o meu grande mal.
         
        Nos castelos de areia das minhas fantasias sensuais que tenho contigo, construo aquele mundo único no qual eu quero viver, um mundo onde vinte quatro horas por dia, apenas dedico a minha existência em possuí-la apaixonadamente dentro de uma concreticidade mais exata.    

-ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS.
 

Nenhum comentário: