Google Translate

Panteras orgásticas

sábado, 9 de agosto de 2014.
        Tu me tocas com tuas mãos fazendo nascer em mim o verdadeiro prazer, despertando a mulher sensual que dorme no interior da minha alma.

        E quando tu provocas este despertar, então, essa mulher, sobe à superfície da minha consciência, e como não poderia ser de outra forma, ela se manifesta como uma leoa devassa querendo abocanhar quem a acordou.

        Então, oh, minha querida, agora te digo firmemente:- Possua-me inteiramente ou eu te devorarei! Não tendo outra opção, tomas-me em teus braços macios unindo o meu corpo delicado ao teu. E como duas fêmeas-serpentes, serpenteamos através das campinas carmins de delícias intermináveis.

        Toma a minha boca no ardor escarlate da tua em um beijo tsunâmico, me fazendo estremecer desde as minhas entranhas, conseguindo assim a proeza de que uma cachoeira de pura excitação líquida desça copiosamente pela abertura rosácea do meu sexo. 

        Neste momento, eu sou tomada pelo espírito ardente da própria Afrodite, e entrego-me sem reservas a este nosso coito que acaba conduzindo-nos aos prados orgásticos de uma fissura infinda.

        Semelhantemente a epiléticas nós nos comportamos, levadas por impulsos de puro prazer espomádico que toma conta de cada músculo da nossa estrutura corporal.   Desta forma, nossos gemidos libertinos erguem-se de nossas gargantas apossando-se do recinto do nosso quarto, ecoando pelas paredes vermelhas que pertencem a ele.

        Se uma terceira pessoa estivesse conosco apenas a nos assistir, não conseguiria discernir quem seria eu ou quem serias tu em meio ao emaranhado que provocamos dos nossos cabelos, braços, seios e pernas dentro dessa forma louca de nos amar.

        Já quando estamos encharcadas de suor que lavou afrodisiacamente com seu odor não somente os nossos corpos, mas também todos os nossos sentidos, e de tanto esfregar ardorosamente uma na outra, as nossas conas feitas do fogo do prazer e da água da excitação, urramos em uníssono, feitas duas panteras feridas pela lança de ponta aguda e efervescente de um delicioso ORGASMO.

- ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS 

Comentários:

TEXTOS E CRÔNICAS DO ANJO DAS LETRAS. © Copyright 2007 - 2017 | Design By Gothic Darkness | Editado por Lizza Bathory