quinta-feira, 26 de março de 2015

O desvelar do doce mistério angélico

      Permito que tu faças com que o véu do grande mistério seja descido, podendo desta forma contemplar a minha face gloriosa.  Sim, que as escamas caiam de dentro dos teus olhos; fazendo com que a tua cegueira cesse.  Agora poderás me conhecer tal como eu sou.

      Doravante, beberás do vinho doce das minhas palavras diretamente do cálice que porto em minhas mãos, eu te revelarei o significado sublime de cada uma delas.  Afirmo-te que na tábua do teu coração gravarei a minha poesia que possui o açúcar do mel assim como o fel da morte.

      Caminharás comigo pelos corredores dos meus palácios de sabedoria e te banharás ao meu lado nas fontes cristalinas do “feminino sagrado”.  Pronunciarei apenas para ti o meu nome mágico, aquele que guardo em segredo a sete chaves, mas, deves saber que apenas poderá repeti-lo, quando estivermos a sós, no interior das nossas câmaras nupciais.

      Porque desde sempre lestes a minha literatura profano-sagrada, serás santificada pelo poder da sua graça, sendo-te dado como o foi a mim, a natureza de um anjo.

      No ritual do nosso casamento, beberás do meu sangue angélico, do mesmo modo que tomarei do teu que é humano, e tu, oh, querida, se tornará a carne da minha carne e o sangue do meu sangue.

      E tenhas a certeza que uma vez feito isto, podes estar onde estiveres, que, quando eu te chamar, força ou poder nenhum conhecido; dentro e fora deste mundo, será capaz de te impedir de atender a este meu chamado místico.    

      Teu corpo de mulher me será sagrado como um santuário pagão, pois, sempre verei nele a presença dos meus deuses, prometo-te também que, a tua alma será amada pela minha com um amor inigualável, do tipo que não se pode dar um nome existente, tamanha será a intensidade dele.

      Venha, oh, Senhora dos meus encantos eternos, descansa a tua cabeça em meu peito que é pleno da mais pura paixão por ti, eis que velarei o teu sono, eis que caminharei contigo em teus doces sonhos, pelos campos verdes e encantadores do misterioso Hipnos.     

-ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS

Dedico este texto aquelas minhas leitoras que tem acompanhado a minha literatura, nestes meus sete anos de carreira literária.        

Nenhum comentário: