Google Translate

Deusa e feiticeira

terça-feira, 2 de junho de 2015.
          Mulher que flutuas no céu paradisíaco dos meus pensamentos, tu que és banhada pela luz mágica da lua, esta, a senhora branca e divina de todos os poetas verdadeiros.  De tu emana toda a sensualidade que inflama a minha libido de mancebo da terra, também é o sol donde provêm todas aquelas sensações que iluminam e aquecem os meus sentidos.

          Deusa e feiticeira dos meus rituais da carne, em tua cabeça portas a coroa florida do amor sem fim.  Do teu coração de fêmea bela e sensual procede um rio de paixão que me lava totalmente, assim, como refrigera a minha alma que não suporta a angustia calorosa que vem da tua ausência.

          Venha, e voa para o ninho dos meus braços como se fosse um pássaro de puro encantamento e erga sobre eles os alicerces do teu lar eterno.  Permita-me singrar com a nau dos meus lábios no teu mar de beijos apaixonantes.  Sem demora fazes de mim o teu privilegiado consorte.   

          O teu sentimento romântico pela minha pessoa me é mais precioso que o ouro, a dádiva da tua paixão sensual pelo meu corpo me é tão importante quanto o meu respirar.  Sem ti não sei como existir, pois, a falta dos teus carinhos espalha o cheiro moribundo da morte.

          Desejo morar contigo para sempre nos palácios de cristal dos nossos quereres infindos um pelo outro, eu mesmo anseio, habitar pelos séculos dos séculos no templo do teu “DELPHOS” divinal, oh, senhora sacro-profana do meu coração de homem, este que, vive rendido aos teus belíssimos pés.

- ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS

Para ti, oh, mulher, que me lê com profunda paixão em teu coração!

1 Comentário:

Nelma Ladeira disse...

Bom dia amigo.
Que lindo sentimento!
No amor não existe restrições,
chegamos ao ponto de ficar vulnerável.
senhora sacro-profana do meu coração de homem,
este que, vive rendido aos teus belíssimos pés.
Lindo!!
Beijinhos.

TEXTOS E CRÔNICAS DO ANJO DAS LETRAS. © Copyright 2007 - 2017 | Design By Gothic Darkness | Editado por Lizza Bathory