terça-feira, 21 de julho de 2015

Beleza desnuda

         Meu coração transbordando de desejos furiosos, te invoca em cima da cama para que eu possa amar-te sem pudor algum.  Meus olhos clamam para que possam novamente ver-te no esplendor de tua bela nudez. Amo teu corpo desnudo porque aprecio o prazer sensual que este me concede de uma forma que nem eu sei explicar.

         Em cima do nosso leito que arde nas chamas imprevisíveis da nossa lascívia, nos revelamos de forma mútua de corpo e alma, dentro da luz desta revelação nos vemos como duas feras sexuais, uma desejando devorar sensualmente a outra.  Se a felicidade perfeita existe, então ela deve ser semelhante a esta sensação de grande regozijo que sinto ao estar mergulhado no âmago do teu útero escarlate.

         Teu cheiro de fêmea, feita de suspiros, gemidos e gritos que ecoam o contentamento exuberante dos sentidos, me fazem transpirar inteiramente, levam-me a abocanhar a tua carne macia e dela sugo os seus suores e fluídos, com isto, bebo profusamente de ti, ah, e como me são deliciosas estas tuas águas docemente salgadas.

         Gosto de me cobrir com o teu calor corporal, eu busco ter em minha boca o licor licencioso dos teus beijos inflamados, assim, embebedo-me de ti e quanto mais faço isto, me aproximo vertiginosamente do palácio da tua luxúria aprazível.
Através dos teus carinhos de gazela árabe, tu acabas fazendo-me mergulhar nos rios profícuos de orgasmos simplesmente abissais.

-ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS

Um comentário:

A Tributos disse...

Primeira impressão. Como uma Voyeur assisti o amante bem mais que poeta, deitar seus versos no corpo desnudo de sua bem mais que musa, amada, amante. Espetacular.