segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Mulher borboleta

         Agora estou aqui diante de ti, contemplando-te a nudez de beleza inaudita, sentindo-te a presença que ilumina todo o meu homem interior.  Agora estou aqui somente para amar-te muito além da razão.  Deixa-me degustar teu corpo que neste momento está nu, desejo senti-lo no toque sensível da ponta da minha língua e no tatear libidinoso das minhas mãos.

         Anseio tomar tua boca em um beijo súbito, fazer com que subas pelas paredes,  levada pelo furacão dos meus carinhos.  Vou imprimir o meu nome em teu coração com o ferro e o fogo da minha paixão e jamais te esquecerás dele e muito menos dos meus afagos extasiantes.

         Liberar-me-ei em ti para que tu, oh, meu amor, te libertes em mim, e, com isto, possamos juntos fazer a travessia dentro do barco do nosso desejo, pelo imenso mar azul do amor sensual e romântico.

         O meu mundo somente existe no calor rosáceo dos teus braços; envolvido por eles, sinto-me mais homem e completamente Ser. Sentindo o cheiro do teu suor, oh, minha mulher sublime, me sinto divinizado: uma deidade que aprendeu o sentindo do autêntico amar.

         É indizível o prazer de habitar na floresta verdejante das tuas fantasias eróticas, comungar contigo das tuas vontades sensuais e ser, algumas vezes, o teu objeto supremo de prazer.

         Eu gosto mais de mim quando me sinto mergulhado em pleno gozo nas tuas entranhas de mulher borboleta.

-ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS 

Nenhum comentário: