sábado, 31 de outubro de 2015

Meu anjo de seduções imprevisíveis

        Meu anjo de seduções imprevisíveis, sim, tu és o meu querubim de amor e prazer, em tuas asas encontro um céu de alegrias sensuais impensáveis, surpresas deliciosas que apenas fazem a minha alma exultar.

         Os sinos tocam em Paris, acompanhando-os, bate o meu coração quando ando pelas ruas da cidade luz, isto acontece pelo fato de eu ficar pensando em ti, mulher-anjo dos meus sonhos encantantes.

         Vivo como se estivesse encantado por uma bruxaria de amor que tu possivelmente tenha feito para mim, mesmo que tal coisa seja verdade, oh, bruxa amaríssima, apenas só tenho a te agradecer, pois, somente agora te amando assim, absurdamente, é que sei o que verdadeiramente é ser feliz.

         Todas as noites tu me presenteia com tua nudez corporal no interior do nosso quarto de luxúrias faiscantes, lá, te faz de santa e pecadora; um ser angelical ou um demônio sínico que me seduz com uma facilidade assombrosa.

         Debaixo dos lençóis, o meu corpo de homem másculo é somente teu, o cheiro da minha pele é tomado pelas tuas narinas de serpente sensualíssima, e este meu odor te enlouquece de uma maneira, fazendo-te com que me lambas com devassidão de alto a baixo, que mordisques a minha cútis movida por uma tara incontrolável; chegando até a sugar o meu sexo enrijecido com uma fome animalesca.

         Dentro deste frisson sexual, as paredes do nosso quarto giram diante dos meus olhos e a minha boca te diz coisas tão obscenas que nem eu acredito que ela poderia enunciá-las com tanta naturalidade.

         Ser tocado desta maneira pelas tuas mãos, lábios e língua é algo que me leva ao doce seio do prazer, e ao atingi-lo, é como se eu me sentasse à mesa dos deuses pagãos para comer com eles do seu manjar divinal.

         E quando meu sexo em riste penetra o teu tomado por uma fúria dionisíaca, digo-te palavrões; expressões ungidas por uma excitação tão lasciva, que esta se assemelha ter a forma de um fogo incendiante, e este fogo por sua vez, parece me tomar da cabeça aos pés, alastrando-se por toda a minha carne, chegando até o meu espírito, ah mulher, nestes momentos, fazes de mim um novo Eros, um deus supremo do amor luxuriante.

         Quando os nossos corpos nus e suados, encontram-se desta forma entrelaçados e unidos neste frenesi carnal abençoado pelas mãos inebriantes de Baco, fazendo um continuo e sincrônico movimento de vai e vem, oh, minha potranca lilithidiana, chegamos juntos ao final desta cópula de serpentes sísmicas, ao âmago tempestuoso de um orgasmo enlouquecido e completamente enlouquecedor.  

- ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS

Nenhum comentário: