sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Moçoilas ardentes

        Venha para mim, jogue o teu corpo belo em cima do meu, ah, por favor, querida, deixe todo pudor de lado, aproxime-se e delicie-se em beber do meu suor, com teu toque mágico libere da minha boca os gemidos mais sensuais que ela possa produzir.

         Dance comigo em cima das labaredas do fogo da nossa própria excitação, abrase-se no calor dos meus braços, sinta esta moçoila desvairada que sou eu, sim, uma moçoila apaixonada por esta mulher loucamente excitante que tu és.  Desejo-te tatuada em minha pele bronzeada, anseio ver-te costurada no céu macio e perfumado da minha cútis delicada.  

         Na tua entrega total em minhas mãos, vou passear com elas nos corredores misteriosos da tua carne de mulher, fruta mística, cálice bendito do Graal.  Não me farei de rogada e beijarei ardentemente a tua boca de sereia lilithidiana. Amo ser tua deusa, amante e senhora; enlouqueço quando te portas sensualmente como minha menina aprazível.

         Amo esfregar o meu sexo no teu; meu sexo que goteja o nosso prazer liquefeito.  Amo beber da tua saliva de serpente lésbica, aspirar ao teu cheiro de jovem potranca que nestes momentos fica lavada dos teus suores.

         Urro de imenso contentamento quando enlaçada em teu corpo desnudado; friccionando a minha cona desavergonhada na tua, contigo e somente contigo, visito o seio de um orgasmo de sensação deliciosa e de uma força simplesmente brutal.

- ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS

Nenhum comentário: