Google Translate

Imprimindo digitais e taras imensuráveis

segunda-feira, 2 de novembro de 2015.
        Ergue-te na luz da tua formosura desnudada e desnudante, ergue-te poeticamente sob o encanto enfeitiçador do teu canto de sereia de fisionomia bela.  Apaixonadamente entrego-te o meu favor, minha admiração e amor.  

         Iluminado pela luz pálida e mágica da lua; namoro-te, envolvendo todo o teu corpo em meus braços, me deliciando completamente beijo o teu pescoço, até chegar a tua boca, está que emoldurada por lábios tão lindos me convida ao êxtase.

         Teus cabelos de Rapunzel chegam aos teus pés, cheirando ao perfume agradabilíssimo de flores silvestres, emprestando-te um aspecto selvagem e ao mesmo tempo principesco, os meus olhos contemplando esta tua magnífica imagem, leva ao meu corpo a mergulhar no magma quente da mais pura excitação sensual.

         Isto me faz querer-te toda, seios, barriga, coxas e sexo, oh, sim, o teu sexo pingando a água cárneo-vermelha do deleite dos sentidos.  Oh, amor, amor meu, que tanto clamo através de cada poro da minha pele, invoco-te levado pelo embebedamento de uma paixão surrealística, tamanha é a sua grandeza comportada em dentro do meu peito.

         Ao envolver-te em meus carinhos incandescentes, firo-te no toque sutil em tua vulva, arranco com isto, os teus gemidos uterinos, igualmente abalo sismicamente tua estrutura corpórea levando-te ao paraíso das deidades orgásticas; dirigindo-te ao cume do Vesúvio do ensandecimento sexual.

         Com esta minha maneira de te amar sensualmente, unifico em ti a santa e a gueixa, a esposa e a amante, te faço sentir-se novamente inteira, sem cisão alguma, reconhecendo-te sem pudor ou vergonha, a tua identidade única de mulher - Eva e mulher – Lilith.

         Nesta dança profana dos sentidos, trocamos entre nós mesmos, os nossos cheiros, nossos gemidos, nos tateamos mutuamente usando nossas mãos libertinas; imprimindo na cútis um do outro, nossas respectivas digitais e taras imensuráveis.

         Neste acasalamento entre macho e fêmea que se desejam enormemente, deixamos de ser razão para nos transfigurarmos em vontade veemente, onde o próprio absurdo; consegue se surpreender, com a natureza deste desejo que, impiedosamente nos possui.

- ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS.

E “TU”, desejas vivenciar tal paixão ao meu lado, eu que sou o anjo da “PAIXÃO ABSURDA”?

1 Comentário:

Mi aurora disse...

Desperta profundos desejos tão quentes guardados no âmago do meu ser. Incita- me o voro voluptuoso conservado nas minhas... Sacia-me ,não pare !

TEXTOS E CRÔNICAS DO ANJO DAS LETRAS. © Copyright 2007 - 2017 | Design By Gothic Darkness | Editado por Lizza Bathory