quarta-feira, 18 de novembro de 2015

O doce furor da tua boca

Use tua boca em mim querida, levada por esta tua paixão que te direciona a desconhecer o significado da palavra “pudor”.   Passeie com a serpente rubra da tua língua de forma luxuriante, sob a superfície da minha pele de macho pingando de suor; transpirando loucuras sensuais induzido pelo toque saboroso dela.

Faça-me gemer loucamente de prazer, arfando por conta deste passeio libidinoso por todo o meu corpo nu, realizado com maestria por esta deusa da felação que és tu, oh, meu amor.  O calor dos teus lábios em cada centímetro da minha cútis; incita-me a um deleite cheio de vertigens alucinógenas.  Apenas peço-te que não pares de me acariciar desta forma, usando o fulgor carmim provindo desta tua boca de deusa egípcia.

Apenas tu e mais ninguém consegue desnudar-me assim de mim mesmo, de toda vergonha que eu pudesse ter; retirando do meu rosto todas as máscaras possíveis que pudesse usar.  Sendo deste jeito, entrego-me a ti de forma desavergonhada, renunciando minha castidade, festejando ao teu lado os rituais orgásticos de Dionísio.

Aceito vivenciar contigo o carnaval das tuas taras mais surreais, e bailar em teus braços levado pela musica profana dos teus gemidos, e ainda, ganhar o céu das tuas fantasias sexuais voando em tuas asas de anjo pagão.  Tu és com certeza a minha delícia completa, o amor ardente que anseio já experimentar por oceanos de séculos.

Osculado em minha lança fálica pela doçura caliente dos teus lábios de sacerdotisa afroditiana, deito nas profundezas do Vesúvio da tua garganta, os rios fluentes dos meus gozares um tanto furiosos e um tanto enlouquecedores.

-  ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS.

Nenhum comentário: