Google Translate

Tu és a minha perdida e sagrada Camelot

quinta-feira, 12 de novembro de 2015.
Que a luz beatífica do teu útero desça sobre mim santificando-me por completo.  E que eu assim possa te pertencer inteiramente, espero desta forma ouvir saindo dos meus próprios lábios, louvores de amor dirigidos a ti, oh, mulher.

Eis que o astro-rei avança vitorioso por entre as nuvens brancas; elas, que mais parecem ser feitas de puro algodão.  Retumbante, este senhor solar do firmamento, ilumina os teus passos de guerreira celta.  Sei que tu não baixas a tua cabeça para a lei da misoginia, e que muito menos os teus joelhos se dobram para os deuses monoteístas.  Macho algum, seja ele uma divindade, um anjo ou humano, possui voz altiva contigo.

De teus seios atraentes e rijos; jorram abundantemente o leite e o mel da graça divinal, e da tua boca de sacerdotisa da “GRANDE SERPENTE”, brota os rios plenos de conhecimento de Ísis, a flor sangrada e antiga do Nilo.

Do meio das colunas sacro-benditas das tuas pernas, escorre o teu sangue menstrual, este que derramado no seio da terra, a torna fértil e frutífera, também a transforma no lar seguro para todos os seres viventes que caminham sob ela.  Tu, oh, Lilith a primeira e Eva a ultima, és filha de Gaia, és broto verde, saudável e amado de Pachamama.

Teu sacerdócio descende da alta sacerdotisa de Avalon, a gloriosa ilha das maçãs; diante de ti estão dispostos o caldeirão negro e o altar de ouro de Cerridwen.  Em tua mão direita empunhas Excalibur, a espada diviníssima, aquela que um dia pertenceu ao nobre Rei Arthur.

Tu és para mim e para toda a raça humana, oh, minha, donzela, mãe e avó, a mítica e perdida Camelot.

Somente tu e mais ninguém é a verdadeira “MUSA” da autêntica e pura poesia, de ti unicamente procede à inspiração iluminadora que toca os corações inquietos dos Bardos.  Digo tal verdade porque vejo em ti, a manifestação do reflexo perfeito da Antiga Deusa-Branca, esta que é e sempre será a “MUSA PRIMORDIAL”.

Na tocha da tua alma feminina, arde a chama do fogo do amor mátrio, e é apenas este amor ardoroso que poderá nos salvar das trevas destrutivas do ódio e da guerra. 

As nações um dia recorrerão definitivamente a ti, verão que os príncipes abraâmicos mentiram quando disseram que o pecado entrou no mundo através da tua desobediência ao divino, e perceberão que o “FEMININO SAGRADO” e não messias patriarcais; é o caminho, a verdade e a vida.

Quem não vier a ti, não conseguirá ascender a Antiqüíssima e Grandiosa Deusa-Mãe.

Apenas nos átrios perfumados dos teus palácios de luz é que encontrei a “SABEDORIA” em seu estado mais sublime.

- ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS.

Comentários:

TEXTOS E CRÔNICAS DO ANJO DAS LETRAS. © Copyright 2007 - 2017 | Design By Gothic Darkness | Editado por Lizza Bathory