sábado, 2 de abril de 2016

Abra a janela do teu quarto

O meu espírito lá fora te espera com ansiedade, tu sempre soubeste que o meu amor por ti é imenso como um oceano.  Meu coração por um mar de séculos vive apaixonado por esta mulher que tu és.  Em minhas veias corre o sangue da Senhora vestida da sagrada lua, a Deusa; e este mesmo sangue fervilha de desejo pela tua beleza sensual, oh, minha grande amada.

Abra a janela do teu quarto e permita com que o vento do meu espírito sopre sobre ti, deixa-me visitar-te em teu corpo e alma, permita com que eu navegue com a nau dos meus desejos sobre o mar da tua carne macia.

Existi em teu passado, ando contigo em teu presente e me manifestarei com mais poder ainda em teu futuro, em tempos remotos travei batalhas sangrentas para conseguir te preservar junto a mim, então, não serão pequenas coisas ou pessoas que te afastarão da minha presença nos dias de hoje.

Do meu âmago brotam as tuas vertigens sensuais, do meu suor nasce o gosto que te inebria; do meu cheiro procede aquele perfume que prende a tua mente a minha imagem.  Tu sabes, oh, gazela selvagem, que a minha pele é o leito confortável onde tu te deitas com a tua estrutura corpórea e é neste leito que descansas e encontras o teu melhor deleite.

Abra a janela do teu quarto secreto, aquele recinto vermelho onde me faço deus supremo dos teus orgasmos.  É nele onde deixo escrito em suas paredes as descrições proibidas dos coitos animalescos que tenho contigo, oh, minha flor lírica.  

Em meus beijos floridos de tons e gostos tu encontras a tua redenção, estou plantado em teu seio carmim como a vinha sacra que alimenta o teu organismo e santifica a tua anima, em meu peito de homem apaixonado estão semeados aqueles belos jardins que criei para a tua alegria manifestar-se cotidianamente.

Abra os teus ouvidos, fêmea do ultimo jardim do Éden, saiba que agora a tua serpente tentadora sou eu.  A árvore da ciência do bem e do mal desta vez será totalmente nossa, agora, queres saber do seu fruto? O Hieros gamos nos revelará que “ESTE” está entre o meio das nossas pernas.

Venha milady e me faça os teus votos, ilumine com a luz do teu útero o caminho que me levará a Avalon esquecida, encha de pura luz o templo antigo das veneráveis sacerdotisas.  Venha milady e me faça os teus votos e batiza-me santamente com o espírito santo do teu amor maior.


                          - ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS

Nenhum comentário: