quarta-feira, 20 de julho de 2016

Amor de poeta

Olhastes para mim com teus olhos de musa inspiradora, me descobristes lendo-me nas linhas poéticas que eu criei.  Sempre fui o teu poeta, aquele que nasceu enamorado por ti, o homem que passa os seus dias como um bardo apaixonado criando belezas estonteantes, materializando êxtases de puro deleite em sua mente e espírito, escrevendo a poesia nunca antes pensada, mas, agora inventada para o teu louvor, oh, minha querida.

O sangue vermelho que corre no interior dos meus vasos; flui como um rio caudaloso insuflando vida aos órgãos do meu corpo humano, despertando em mim ânimo e paixão apenas pela fêmea que tu és, senhora dos meus mais apaixonantes pensamentos.

A pena poética que seguro em minha mão é o instrumento da minha escrita artística que dedico a ti, minha musa antiga, donzela resplandecente em beleza única que me acompanha já há um mar de séculos.  O meu amor-romântico pela mulher que me significas; verdadeiramente é tão antigo quanto a essência do próprio vento.

Levado pela paixão visceral que guardo em meu peito por ti, ah, mulher dos meus sonhos que transcendem toda doçura imaginável, te eternizo em cada verso poético escrito pela minha mão.  Tu me seduzes a escrever-te palavras tão belas que se estas pudessem ser lidas pelos anjos, tais palavras seriam capazes de fazê-los chorar, tocados pelos mais comoventes sentimentos.

Assim como o meu coração te pertence, sei que o teu está em minhas mãos, sendo desta maneira, posso senti-lo pulsar de forma deverasmente apaixonada.  Confesso-te com toda a sinceridade da minha alma que este teu amor por mim é como uma coroa de ouro refulgente a brilhar sobre a minha cabeça de homem afortunado.

Caminhando nos átrios luminosos deste sentimento tão lindo que nutres pela minha pessoa, eis, que vislumbro em tua face ditosa o aspecto da mais bela deusa que uma crença humana ousou imaginar.

-ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS

E tu oh, minha leitora, já fostes amada por um poeta???

Nenhum comentário: