sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Três Lagoas

Perdi teu amor para sempre. No entanto, fico pensando se, em algum momento, realmente foi meu esse sentimento ou tudo não passou de uma ilusão criada pela minha obsessão? Também me vem a dúvida de se houve algum dia em que me assumiste verdadeiramente em tua existência?  

Tua boca dirá que sim, mas teus atos me disseram que não.  Escondias nossa relação amorosa de algumas pessoas, levada quem sabe por um medo sem fundamento racional.  Talvez esquecida de que o amor é luz verdadeira, que deve ser mostrada sempre, particularmente àqueles que habitam nas trevas.

Corri atrás de ti o quando pude, e, quantas e quantas vezes, não tiveste tempo para este meu coração apaixonado! O teu trabalho, a tua família e teus amigos em muitos momentos tiveram tua atenção prioritária. Compreendo isso até. Mas foram muitas as circunstâncias em que a tua porta fechou-se para mim, me deixando de lado várias vezes em nosso conturbado relacionamento.

Acabei perdendo a calma, quando, no meu egoísmo, quis despejar em ti minha presumida rejeição, e fui capaz de dizer-te coisas horríveis e até de amaldiçoar os teus dias.  Fui levado por pura precipitação adolescente a esse enganoso pensamento.

Depois de todas as palavras amargas que a minha alma magoada te direcionou, tudo se fez tarde demais, isto, porque, como espinhos pontiagudos, elas perfuraram o teu coração de mulher e de tal modo que não deixaram espaço para o perdão. Minha culpa, eu sei.

Toda a minha devoção amorosa, em canções de amor e poesias românticas, foram esquecidas pela tua mente em um estalar de dedos, e, agora, meia dúzia de palavras duras, ditas em poucos minutos, foram suficientes para te agarrares nelas, e, assim, decidires acabar definitivamente com a nossa estória.

Atualmente, gritas aos quatro cantos do mundo a minha excomunhão, deixando bem claro que nunca te reconciliarás comigo, mas veja bem, uma coisa me parece hilária : o fato de deixares transparecer que não pensas em outra coisa a não ser no nosso enredo romântico.

Podes dizer ou escrever o que bem quiseres sobre mim; eu sei que tais expressões são apenas manifestações ácidas do teu orgulho ferido.  Porém, não te esqueças, garota: nossa vida sobre a terra não frutifica na ausência de perdão; antes, esta falta traz a perda da beleza interior, deixando somente uma casca fina e desumana a rachar ante a frieza da incompreensão das leis do amor.

Passadas algumas luas, o meu espírito, mortalmente machucado em seu âmago, agora só sabe sonhar de forma sôfrega com um belo e inquebrantável amor-romântico de novela das seis.

-ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS

O verdadeiro amor nos santifica, enquanto que o orgulho acompanhado da vaidade apenas nos satanizam.

Revisão crítica e textual de Natanael Gomes de Alencar. 

Nenhum comentário: