segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Felicidade áurea

Trago para ti flores vermelhas que guardam em si o perfume inequívoco da minha paixão. Cubro teu corpo desnudo de tez perfumada com as suas pétalas, delicio-me ao ver-te assim tão ao natural, a emoção é tão forte que sinto o meu coração bater de forma descompassada dentro do meu peito.

Trago para ti o fogo do meu desejo, ele que guarda em si os meus arroubos viscerais pela suburbana que tu és. Deposito em cada partícula da tua pele os meus ósculos da mais vívida paixão. Fiquei viciado em amar-te deste jeito, então, não sei fazer de modo contrário, é mais poderoso do que eu, mimar-te com as minhas múltiplas carícias se tornou tão natural para mim quanto o simples ato de respirar.

Em teus ouvidos declamo os meus poemas de amor incandescente, aqueles que eu escrevi em tua homenagem nas madrugadas em que a tua ausência se fez presente.

No lóbulo de tua orelha deixo aquele leve mordiscar com o intuito de que o arrepio da excitação sensual erice teus pelos, não te deixando de provocar uma leve taquicardia. Sentir a tua respiração ofegante e contemplar os teus olhos se revirando pelo prazer que te é ofertado pelas minhas mãos, faz com que me satisfaça ao me sentir teu amante mais que perfeito.

Andar pelas pradarias dos teus desejos é como voar na companhia da própria liberdade, possuir-te sem medidas e sem medo é como beijar avidamente nos lábios esta vida louca que vivemos. Às vezes sinto que não posso te acompanhar em todo o caminho que andas, afinal, discirno nestes momentos que, os teus pés muitas vezes parecem possuir asas.

Foste apenas tu que me ensinastes que apenas o amor é capaz de nos salvar da nossa própria antropofagia, sempre senti que o nosso leito de deleites sensualíssimos é o meu porto seguro e a fortaleza inexpugnável da minh’alma.  

Pertencer-te e fazer com que também pertenças a mim deste modo, é conhecer a face da felicidade em seu aspecto mais áureo.

- ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS

Nenhum comentário: