quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Sou todo desejo por ti

Sou todo desejo por ti, oh, senhora dos meus mais profundos anseios, cada centímetro ou partícula do meu corpo se inflamam de um querer absurdo em tocar-te para possuir-te profundamente.

Nem o sol e tampouco a lua me deixam mentir, pois, dia e noite sonho com teus beijos que me lançam para dentro de um rio profundo de deleites intermináveis. Neste rio nado e mergulho satisfazendo a minha natureza de sátiro vermelho. Com toda certeza, oh, minha Vênus dileta, tu és para mim fonte inesgotável de puro contentamento.

Desnudar-te sob o reflexo prateado da luz lunar me dá um prazer inenarrável, isto quando em uma praia solitária buscamos refúgio para nos amar diante o olhar benevolente da mãe-natureza. Ao retirar peça por peça de tuas vestes, eis que se descortinam em frente aos meus olhos fascinados os segredos da tua imensa beleza corporal.

Então, sequioso em experimentar a tua boca que possui um gosto de doce fruta paradisíaca, eu a beijo com paixão demente me deliciando com este momento que para mim sempre é único. Enquanto a beijo faço minhas mãos passearem de forma sedenta ao longo das tuas costas, até elas chegarem até as tuas fartas nádegas para logo depois alcançarem tuas coxas grossas e de desenho bem torneado.

Meus lábios após terem se demorado osculando os teus, beijam agora de forma sôfrega a tua face, aproveito também para no momento seguinte mordiscar o lóbulo de tua orelha, sinto que com isto aumento a tua excitação sensual fazendo com que gemidos prazerosos sejam emitidos por ti.

Como é bela a visão de ver-te iluminada pela luz da lua que do alto do manto negro e salpicado de estrelas do firmamento, parece nos sorrir divertindo-se que está ao testemunhar a nossa “brincadeira” de menino e menina travessos.

Pondo-te em posição de gatinhas sob a areia da praia, estando tu bem como viestes ao mundo, toda nua e toda linda, oh, mulher minha, penetro-te fazendo com que deixes escapar no ar um grito de som obsceno que chegando aos meus ouvidos me arrepia dos pés a cabeça.

Percebo que na posição que ficamos estamos de frente ao mar que calmo e silente acompanha a lua no testemunhar do nosso apaixonante coito.

E após estocar-te sem dó ou piedade por longos momentos, finalmente faço chover os meus livres e selvagens orgasmos na superfície das tuas verdejantes terras UTERINAS.

- ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS

E tu, ardes de DESEJOS por quem???

Nenhum comentário: