segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Sacerdotisa dos prazeres inconcebíveis

Tu me evocas como teu deus-macho diante do altar perfumado da tua cama, forrada com lençóis de algodão egípcio, e é em cima de suas fibras macias e brancas que procuro possuir-te com a força da minha demência divinal.

Iluminada pela incontestável beleza de tua nudez, tu assim me enlouqueces, fazendo-me arremessar toda a masculinidade do meu corpo na direção do teu. Então, me faço um sátiro possuindo uma ninfa do amor sensual, e na Roma incendiada do nosso leito, nos queimamos no fogo das nossas fantasias mais insanas.

O modo como os fios lisos dos teus cabelos ficam jogados em cima do travesseiro, somado à beleza vampírica do teu belo rosto, me provoca uma sanha enlouquecedora e um desejo crudelíssimo de tomar-te em meus braços para fazer contigo o que eu bem quiser!!!

E este teu sorriso branco, concedido a mim por dentes perfeitos, num sorriso que parece que me foi dado tanto por um anjo, quanto por um demônio lascivo, me arrepia a pele, e isto a tal ponto, que consigo sentir cada fio do pelo que reveste a minha carne, mover-se,  experiência que me teletransporta a um mundo de prazeres inconcebíveis.

Apenas tu consegues me provocar tais sensações, oh, sacerdotisa dos deleites inimagináveis, em tua cútis está tatuada a graça e o poder divino que pode me levar a experimentar os sublimes e doces orgasmos satíricos.

Nada é mais belo dentro da natureza que o corpo desnudo de uma bela mulher, e, em ti, isto fica a cada dia mais configurado, oh, senhora das minhas vontades libidinosas!

Amo beber, a cada noite e manhã, das águas deliciosas que jorram do teu oásis triangular de doçuras sublimes!!!

ELTON SIPIÃO O ANJO DAS LETRAS

Nenhum comentário: